Superdesportivos

Lamborghini Countach: Grazie Ferrucio!

Descrito como um dos desportivos exóticos mais fascinantes da década de 70 e 80, o Lamborghini Countach tem hoje lugar de destaque no museu da Lamborghini e nos nossos corações.

Se o Miura definiu o termo Supercar, o Lamborghini Countach tornou-se no arquétipo do que é um superdesportivo praticamente até aos nossos dias.

O primeiro protótipo do superdesportivo italiano — denominado por “Progetto 112” — foi apresentado no Salão de Genebra de 1971, já com grande parte dos componentes que viriam a integrar a versão de produção dois anos mais tarde.

Reza a lenda que o nome “Countach”, uma expressão de exclamação na língua piemontesa (o equivalente a “uau!” em português), surgiu quando Giuseppe Bertone, uma das figuras mais relevantes da indústria automóvel italiana, viu o protótipo pela primeira vez — entretanto Marcello Gandini, o designer do Countach, esclareceu, recentemente, a origem do nome…

RELACIONADO: Ferruccio vs Enzo: as origens da Lamborghini
Lamborghini Countach

O design exótico e intemporal do Countach ficou a cargo de Marcello Gandini, responsável pelo seu antecessor, o Lamborghini Miura. Ao contrário deste, o Countach apresentava linhas mais rígidas e retilíneas. É certo que não foi o primeiro desportivo com este design futurista, mas não há dúvida que o ajudou a popularizar. É lindo, impactante e foi um dos principais “poster car’s” do século passado.

Lamborghini Countach

A carroçaria por si só já é bastante baixa: apenas 107 cm de altura, o que coloca a visão do condutor a menos de um metro do chão, e o comprimento está ao nível de um utilitário dos nossos dias. Apesar das pequenas dimensões, deu para acomodar um V12 em posição longitudinal atrás dos ocupantes. O interior do habitáculo destaca-se pela elegância, como seria de esperar.

Na altura, Gandini abdicou dos aspectos práticos e ergonómicos do carro (as “más línguas” dizem que foi inexperiência…) em favor de uma carroçaria com perfil angular e perfeita distribuição de peso — quem estiver à espera de grande espaço para bagagens vai ficar desiludido…

lamborghini countach interior

Asa traseira? Só para o estilo

Como se não bastasse a sua forma única, o Lamborghini Countach era também reconhecido pela sua grande asa traseira. Facto curioso: não está lá a fazer nada a não ser servir para decoração. Desenhada inicialmente para um dos seus clientes, criou de tal forma impacto que a Lamborghini não teve outra solução que não fosse a de a disponibilizar, o que criou problemas.

Na realidade, o eixo dianteiro do Countach sofria de sustentação positiva (lift), pelo que uma asa traseira a “colar” a traseira ao asfalto apenas iria exacerbar essa característica. Assim, os engenheiros da marca de Sant’Agata Bolognese anularam a inclinação da asa, de modo a que não afetasse em nada a carga sobre o eixo traseiro, tornando-a apenas um apêndice estético, e não aerodinâmico.

Lamborghini Countach
Countach em estado puro, o protótipo original de 1971

V12, claro

A nível técnico, o Lamborghini Countach é quase irrepreensível. A versão LP500S QV (a mais popular), lançada em 1985, estava equipada com o tradicional motor V12 (a 60º) de 5.2 l em posição longitudinal central traseira, sistema de injecção K-Jetronic da Bosch e, tal como o nome indica (QV), quatro válvulas por cilindro.

Esta versão debitava já uns expressivos 455 cv de potência e 500 Nm de binário às 5200 rpm. Tudo isto resultava em prestações avassaladoras: a aceleração dos 0 aos 100 km/h cumpria-se em 4.9s, enquanto que a velocidade máxima é de 288 km/h, como pôde comprovar este condutor alemão numa Autobahn.

Em 1988, o Countach teve o privilégio de ter sido escolhido para celebrar o 25º aniversário da marca, e como tal, recebeu uma versão renovada. As ligeiras alterações no design não agradaram a todos, mas o 25th Anniversary Countach era o modelo mais refinado e com melhores prestações, o que se refletiu nas vendas — 4,7s dos 0 aos 100 km/h e 295 km/h de velocidade máxima.

Como nota, um certo Horacio Pagani foi o responsável pela derradeira evolução do Countach.

Lamborghini Countach 25th Anniversary
Lamborghini Countach 25th Anniversary
RELACIONADO: Lamborghini Countach Turbo: o pecador de Sant’Agata Bolognese

Referencial

A produção do desportivo exótico durou 16 anos e ao longo desse período saíram mais de dois mil carros da fábrica de Sant’Agata Bolognese, sendo que as últimas versões foram as mais vendidas. O Lamborghini Countach figurou nas listas dos melhores desportivos das várias publicações de referência da época.

De facto, o Lamborghini Countach é um modelo único e especial, mais que não seja pelo facto de ter sido o último “touro indomável” construído sob a alçada do fundador Ferrucio Lamborghini  (falecido em 1993). Mais recentemente, foi possível recordar o modelo italiano no filme de Martin Scorsese o Lobo de Wall Street.

Lamborghini Countach LP400
Perfil único e ainda depurado. Lamborghini Countach LP400 de 1974.

O final da década de 80 não foi propriamente bondosa para com o Countach, muito devido ao desenvolvimento da engenharia automóvel que a Lamborghini não soube acompanhar na perfeição. Em 1990 o Countach foi substituído pelo Lamborghini Diablo, que apesar das especificações mais sonantes, não fez esquecer o seu antecessor.

Um modelo indissociável da história da “marca do touro”. Grazie Ferrucio Lamborghini!

Mais artigos em Clássicos

Os mais vistos