Concept

Maggiora Grama 2: um Lancia Delta Integrale disfarçado de Fiat Punto

Em 1994, o Salão de Turim foi palco da apresentação do Maggiora Grama 2, um Fiat Punto com aspeto exótico que despertava a curiosidade de todos. Fomos saber porquê.

Estávamos já em plena década de 90 quando a Fiat lançou a primeira geração do Punto, o sucessor do Uno, que carregava as ambições da marca num segmento bastante disputado. O entusiasmo era tal que logo após o lançamento, no inicio de 1994, a marca italiana desafiou vários estúdios e carrozzerias a reinterpretarem o Fiat Punto, como forma de o promover.

E assim foi. Uns meses mais tarde, o Salão de Turim foi completamente invadido por várias versões do modelo italiano. Dos 13 exemplares que compareceram no certame transalpino, apenas dois foram considerados aptos para a produção em série, o Bertone Racer e o Maggiora Grama 2, sendo que este último, desenvolvido então pelo carroçador Maggiora — também responsável, por exemplo, pela produção do De Tomaso Pantera — foi o que mais se destacou.

Em termos estéticos, o Maggiora Grama 2 distanciava-se do Punto de série pela sua carroçaria ligeiramente reforçada, mais larga e cavas da rodas mais proeminentes. Este look mais agressivo era acentuado através da pintura em tons de dourado, jantes de magnésio de 17 polegadas e pneus Pirelli P Zero. No habitáculo, exceptuando alguns detalhes em azul ou amarelo, o interior foi mantido igual ao do Punto GT, que já contava com bancos desportivos. Dito isto, como podem imaginar, era impossível para o Maggiora Grama 2 passar despercebido. Mas o melhor estava escondido…

Maggiora Grama 2

Para este modelo, a Maggiora foi “roubar” toda a mecânica ao Lancia Delta Integrale, inclusive a suspensão, sistema de tração integral permanente e motor 2.0 turbo de 8V. Com apenas 1100 kg de peso — menos 270 kg que o Delta Integrale— o Grama 2 atingia os 100 km/h em menos de 7,0s e os 220 km/h de velocidade máxima.

Maggiora Grama 2

Sucessor do “Deltona”?

Quem o guiou em pista garante que o Maggiora Grama 2 era realmente agressivo: era preciso “mãozinhas” para o controlar e contrariar o carácter subvirador da dianteira. Infelizmente, para mal dos nossos pecados, o Maggiora Grama 2 nunca passou da fase de protótipo. Ainda assim, o Grama 2 continua a ser recordado como um dos concepts italianos mais entusiasmantes do início da década de 90, chegando a ser apontado como uma alternativa ao próprio Lancia Delta Integrale.

Mais artigos em Clássicos

Os mais vistos