Vídeo

Vídeo: eram assim os testes de qualidade do Mercedes-Benz 190 (W201)

Foi em 1983 que a Mercedes-Benz lançou uma berlina que conservava todas as qualidades dos carros de luxo: o Mercedes-Benz 190 (w201).

Curioso para saber como eram feitos os testes ao Mercedes-Benz 190 (W201)?

Corria o ano de 1983 quando a Mercedes-Benz lançou uma berlina que conservava todas as qualidades dos carros de luxo, porém com dimensões mais contidas. Ameaçada diretamente pelo série 3 (E21) da BMW, a marca alemã apercebeu-se – a tempo – que um carro mais pequeno mas igualmente luxuoso encaixava na perfeição nas preferências dos consumidores.

RELACIONADO: Mercedes-Benz 190 E EVO II celebra 25 anos

O Mercedes-Benz 190 (W201) significou uma mudança de 180º no paradigma na marca da Daimler. O “baby-mercedes” como era apelidado na altura, dispensou as grandes dimensões e os cromados que ostensivos que marcavam as criações da Mercedes-Benz. Para além da nova linguagem estilística, vieram alguns aspetos pioneiros: foi o primeiro carro do segmento a usar suspensão multi-link no eixo traseiro e suspensão McPherson na dianteira.

De forma a manter os valores de conforto, fiabilidade, tradição e imagem, o Mercedes-Benz 190E era sujeito a diversos testes de resistência para garantir que não punha em causa qualquer um dos valores referidos. Durante três semanas, eram realizados testes à resistência dos bancos, abertura e fecho de portas (100.000 ciclos, simulando assim a utilização diária do 190E durante a vida útil do carro), bagagem, capô, suspensões…O Mercedes-Benz 190E era inclusive submetido a testes climatéricos, com termómetros a marcar temperaturas que iam desde o inverno no Ártico até ao verão na Amareleja – se nunca visitaram esta terra alentejana, aproveitem agora porque no verão não é para todos..

A NÃO PERDER: Ayrton Senna, o puto brasileiro que deu uma tareia aos melhores do mundo

Mais artigos em Notícias