O que significam as siglas DOHC e SOHC?

09/01/2017
12.811 views
Share Button

Mais uma vez, a Autopédia da Razão Automóvel responde às tuas perguntas. DOHC e SOHC, sabes o que significam estas siglas?

Depois da temática dos volantes bimassa, voltamos a mergulhar nos meandros da mecânica automóvel para explicar-te o significado das siglas DOHC e SOHC.

Estas siglas significam Double Over Head Camshaft (dupla árvore de cames à cabeça) e Single Over Head Camshaft (árvore de cames à cabeça). Há ainda o Over Head Valves (OHV) que consiste num sistema que opera as válvulas por intermédio de varetas lateralmente montadas no bloco do motor, uma solução usada amplamente nos primórdios da indústria automóvel mas que hoje já não se usa – por conseguinte, não vamos falar dela.

Agora que já sabemos quais os significados destas siglas, vamos explicar na prática, as vantagens e desvantagens de cada sistema, começando pelo básico:

O que é uma árvore de cames?

A árvore de cames é um veio cilíndrico localizado na parte superior do motor, sobre o qual existem partes salientes, chamadas de “cames”. É graças a estas “cames”, que este veio cumpre a sua função: controlar a abertura e o fecho das válvulas de admissão e escape. Este veio é accionado por uma corrente ou por uma correia, que vai buscar a sua força ao eixo principal do motor: a cambota.

É sobre este sistema que recai a responsabilidade de cumprir as quatro fases dos motores a «4 tempos» (admissão, compressão, explosão e escape), mediante a sincronização das válvulas com a posição dos êmbolos e a sua correspondente ordem de explosão. Este principio de funcionamento aplica-se tantos aos motores DOHC como SOHC.

Posto isto, qual é então a diferença entre os dois sistemas?

Quando a abertura e o fecho das válvulas é realizados apenas por uma árvore de cames à cabeça, estamos perante um motor com sistema SOHC – é uma solução tipicamente usada nos motores de duas válvulas por cilindro. Apesar dos motores com sistema SOHC serem mais simples e baratos de produzir, devido às normas ambientais e às preocupações com a performance, é uma solução em vias de extinção.

RELACIONADO: Freevalve: digam adeus às árvores de cames

Já os motores com sistema DOHC são mais complexos, caros de produzir mas também mais comuns – é a solução atualmente mais usada na indústria automóvel. Nestes motores o comando das válvulas é feito por duas árvores de cames: uma é responsável pela abertura e fecho das válvulas de admissão e outra é responsável, respectivamente, pela abertura e fecho das válvulas de escape.

A grande vantagem do sistema DOHC face ao SOHC, é possibilitar uma melhor gestão do fluxo de gases na câmara de combustão, tanto na fase de admissão (permitindo a formação de um mistura mais homogénea na câmara de combustão) como na fase de escape (permitindo a expulsão dos gases de escape de forma mais eficaz). Aumentando desta forma o rendimento do motor ao mesmo tempo que reduz os consumos e as emissões.

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Tags

Diretor Editorial e co-fundador da Razão Automóvel. Tem 29 anos, ama os automóveis mas tem uma paixão secreta: as duas rodas! Praticante de todo-o-terreno, iniciou-se nas lides da condução aos comandos de um Citroen Ax. Não resiste a umas boas curvas, seja no asfalto ou numa folha de papel.