Notícias Como a Stellantis vai ganhar milhares de milhões com software

Indústria

Como a Stellantis vai ganhar milhares de milhões com software

As receitas globais da Stellantis na área do software aumentaram 2,5 vezes nos últimos três anos. E para o consórcio liderado por Carlos Tavares, isto é só o início.

Peugeot_e-3008
© Peugeot

Os automóveis conectados vieram para ficar e a era dos Software Defined Vehicles (ou veículos definidos por software) já está em curso, com os automóveis a poderem evoluir ao longo de todo o seu ciclo de vida, através de atualizações remotas.

Isto obrigou os construtores tradicionais a olhar para o software com outros olhos e a perceber que estava aqui um dos próximos grandes negócios da indústria automóvel.

A Stellantis não é exceção e apresentou no final de 2021, no seu primeiro Software Day, os planos para os próximos anos e de que maneira o software vai influenciar o futuro das 14 marcas automóveis (15, se incluirmos a Leapmotor International) que controla.

Yves Bonnefont Stellantis
© Stellantis Yves Bonnefont, Chief Software Officer da Stellantis

Agora, quase quatro anos depois, no último Software Day, a Stellantis revelou de que forma está a executar este plano estratégico, mostrou números e antecipou o que está por vir, reforçando o objetivo traçado em 2021:

A Stellantis quer faturar 20 mil milhões de euros em produtos e subscrições baseados em soluções de software até 2030.

Para isso a empresa prevê ter, até ao final da década, mais de 34 milhões de carros conectados nas estradas.

Receitas de software aumentaram 2,5 vezes em 3 anos

Para já, e de acordo com os números apresentados, a Stellantis já tem 13,8 milhões de veículos conectados (e por isso monetizáveis) entre as várias marcas do grupo. Falamos de veículos de passageiros e comerciais ligados à Internet — e aos servidores da Stellantis — que podem subscrever serviços de valor acrescentado.

Gama veículos eletrificados Stellantis

Graças a estes quase 14 milhões de veículos conectados, as receitas globais do grupo na área do software estão a ganhar relevância e cresceram 2,5 vezes desde 2021. Desde essa altura que o número de assinantes de serviços de subscrição aumentou para cinco milhões.

A juntar a isso, a Stellantis informou que só em 2023 foram feitas mais de 94 milhões de atualizações remotas (over the air ou OTA) a automóveis do grupo, adicionando, corrigindo e melhorando funcionalidades dos veículos já depois destes terem saído das fábricas.

Três novas plataformas tecnológicas

A base para o futuro software automóvel da Stellantis será garantida por três plataformas tecnológicas, denominadas STLA Brain, STLA SmartCockpit e STLA AutoDrive, cuja integração está prevista até ao final de 2024.

STLASoftwareDayPlatforms
© Stellantis

Anunciadas em 2021, no primeiro Software Day, estas novas arquiteturas tecnológicas vão ser inseridas nas quatro plataformas para veículos do grupo (STLA Small, STLA Medium, STLA Large e STLA Frame), e vão servir de base a todos os futuros modelos das 14 marcas do universo Stellantis.

  • STLA Brain: oferece acesso total remoto aos sensores e atuadores do carro, permitindo que o número de unidades de controlo eletrónico (ECU) por veículo seja reduzido para metade, cerca de 60.
  • STLA SmartCockpit: nova geração de personalização e capacidades conectadas, alimentadas por aprendizagem automática e Inteligência Artificial (IA), para uma experiência de utilização mais simples. A chave passa a ser um perfil pessoal digital que o utilizador pode usar em vários veículos do grupo.
  • STLA AutoDrive: o sistema combina a STLA Brain e a STLA SmartCockpit para fornecer tecnologias úteis aos Sistemas Avançados de Assistência ao Condutor (ADAS), para uma condução limitada mãos-livres (olhos-na-estrada e Nível 2+).

Novos serviços conectados

Além da oportunidade de negócio que o software representa, o objetivo da Stellantis passa por usar esta ferramenta para melhorar a experiência de utilização dos seus produtos. Para isso está a desenvolver uma série de novos serviços conectados e funcionalidades que podem servir clientes convencionais e até mesmo frotas.

STLASmartCockpit
© Stellantis

Um dos mais importantes é o e-ROUTES (já disponível na Europa), uma aplicação para smartphone, especialmente desenvolvida para automóveis elétricos, que permite planear rotas com base em dados de veículos em tempo real.

Este sistema é compatível com Apple CarPlay e Android Auto, podendo ter o e-ROUTES integrado na navegação, e adapta as paragens para carregamento às preferências do condutor, incluindo as opções de pagamento selecionadas e o nível mínimo de bateria definido.

ChatGPT oferecido de série

Depois de um projeto piloto em outubro de 2023, a Stellantis prepara-se para ser o primeiro construtor a oferecer o ChatGPT como uma funcionalidade de série para veículos novos e atuais, disponível em 20 países europeus até ao final de 2024.

O novo Peugeot e-3008 será um dos primeiros modelos da Stellantis a receber esta novidade.

Peugeot i-cockpit
© Peugeot

Esta tecnologia, integrada no sistema de controlo por voz dos veículos, vai permitir elevar e melhorar a experiência de utilização, com interações simples, mas muito abrangentes.

Será possível, por exemplo, questionar o sistema acerca dos monumentos a visitar numa determinada cidade. Ou então pedir-lhe para que faça uma piada sobre o automóvel que estamos a conduzir. Tudo é possível.

A juntar a isso, na América do Norte a Stellantis já tem disponível um AppMarket que permite aceder a novos serviços e pagar subscrições diretamente no veículo.

Este serviço já está disponível remotamente para quase metade dos veículos Jeep e Ram lançados entre 2021 e 2023. Vai alcançar, de acordo com a Stellantis, “99% dos veículos elegíveis até ao final de 2024”.

Outra novidade importante é o Free2move Connect Fleet, uma plataforma que “liga os gestores de frotas aos seus veículos (…) em tempo real” e que permite consultar online vários dados vitais dos veículos, tais como a vida útil do óleo ou o estado da bateria.