Fuso Canter. Os detalhes do «mini-camião» feito em Portugal

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Apresentação

Fuso Canter. Os detalhes do «mini-camião» feito em Portugal

Com uma ligação de 50 anos a Portugal, a Fuso Canter entra agora na sua nona geração e já está disponível no nosso país.

Lançada em Portugal em 1972, desde então a Fuso Canter tornou-se uma presença constante nas nossas estradas e um símbolo da indústria automóvel nacional.

Afinal de contas, a produção europeia é atualmente assegurada, em exclusivo, pela unidade da Mitsubishi FUSO Truck Europe localizada no Tramagal, Abrantes, de onde é exportada para 30 países.

Agora, na sua nona geração, a Fuso Canter viu os seus argumentos reforçados, contando com um visual revisto, mais equipamento e motorizações que já cumprem a norma de emissões Euro VI E.

VEJAM TAMBÉM: Toyota Dyna nacional já percorreu 1 milhão de quilómetros
Fuso Canter

Especialmente para Portugal, e como forma de comemorar os 50 anos de presença ininterrupta no mercado nacional, a nova Canter apresenta-se ainda com uma edição especial.

Disponível no lançamento e em quantidade limitada, esta caracteriza-se pela pintura Silver Grey, pelos logos específicos e pelos bancos em napa preta com logo bordado.

O que traz de novo?

No exterior destaca-se a adoção da linguagem de design “Black Belt” que se carateriza pela adoção de uma peça a negro que se estende a toda a largura da Canter e onde surge o nome da marca.

Além disso, conta ainda com luzes diurnas em LED (uma estreia) e, em opção, com um sistema de iluminação Full-LED.

Fuso Canter

No interior o foco esteve na praticabilidade. Assim, temos vários espaços de arrumação e o comando da caixa de velocidades surge integrado no tabliê.

Quanto ao equipamento, a nova Fuso Canter oferece, de série, sistemas como o Start-Stop, ESP, ABS, fecho centralizado com comando à distância, faróis de nevoeiro, computador de bordo, banco do condutor com suspensão, rádio CD/mp3 com Bluetooth ou o sensor de luz.

As versões pesadas contam ainda com o sistema de travagem automática e o avisador de desvio de faixa.

Fuso Canter

E os motores?

No total, a nova Fuso Canter está disponível em 60 versões. Conta com cinco pesos brutos (3,5 t; 6,0 t; 6,5 t; 7,49 t e 8,55 t); seis distâncias entre eixos (2500 mm; 2800 mm; 3400 mm; 3850 mm e 4300 mm); três tipos de cabine (Standard; Comfort e Dupla) e versões de tração traseira e integral.

Fuso Canter

No campo das motorizações, o modelo produzido no Tramagal apresenta-se com um 3.0 l turbodiesel de quatro cilindros com três níveis de potência e binário: 130 cv e 350 Nm, 150 cv e 400 Nm ou 175 cv e 430 Nm.

VEJAM TAMBÉM: AdBlue acabou. E agora? Vou ter problemas no motor?

Quanto à transmissão, está a cargo de uma caixa manual de cinco velocidades ou da caixa Duonic. Esta última baseia-se numa caixa manual de seis relações com dois discos de embraiagem húmidos hidráulicos e um sistema de controlo eletrónico que, segundo a Fuso, permitem passagens de caixa mais rápidas, suaves e sem quebras de potência.

Fuso Canter

Por fim, a versão de tração integral apresenta-se com um peso bruto de 6,5 t e cabine simples ou dupla. Com um diferencial traseiro autoblocante (até 70%), esta versão conta com ângulos de ataque e de saída de 35° e 25°, respetivamente.

Por enquanto os preços da nova Fuso Canter ainda não são conhecidos. Também não foram divulgados quaisquer dados acerca da versão elétrica, a eCanter, mas esta deverá manter-se presente na gama tal como acontecia na oitava geração.

Sabe responder a esta?
Em que ano foi revelado o Portaro?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Quando o “nosso” Portaro foi testado pela TV britânica

Mais artigos em Notícias