Toyota GR Corolla tem três saídas de escape para apenas três cilindros. Porquê?

Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Toyota GR Corolla tem três saídas de escape para apenas três cilindros. Porquê?

Exagero ou verdadeira necessidade. Uma das soluções mais curiosas do novo Toyota GR Corolla são as três saídas de escape para um motor de apenas três cilindros.

As três saídas de escape do novo Toyota GR Corolla é um dos seus detalhes mais curiosos, para mais sabendo que pediu «emprestado» o motor ao pequeno (mas endiabrado…) GR Yaris.

O GR Corolla é, assim, uma espécie de «irmão mais velho» de um dos desportivos mais aclamados dos últimos anos — do qual nós temos muito boas recordações.

Trata-se, afinal, do mesmo motor G16E-GTS que já conhecemos do especial de homologação. Uma unidade de apenas três cilindros em linha e 1,6 l de capacidade, turbocomprimida, que no GR Yaris desenvolve uns surpreendentes 261 cv de potência… e conta apenas com duas saídas de escape.

A NÃO PERDER: MÁQUINA. GR Corolla com mais de 300 cv, tração às quatro e caixa manual
Toyota GR Corolla

Motor G16E-GTS com três escapes

No GR Corolla este motor ganhou mais algum músculo. Há muito potencial escondido no pequeno motor G16E-GTS da Toyota — há preparadoras que já conseguiram retirar mais de 500 cv deste bloco. Mas uma coisa são as preparadoras, outra são as marcas, que têm de obedecer a normas de ruído e emissões cada vez mais restritivas.

Foi por isso (e não só) que a Toyota, para conseguir aumentar a potência do G16E-GTS sem comprometer o nível de emissões e ruído, dotou o GR Corolla com três saídas de escape.

Esta foi apenas uma das alterações que permitiu ao G16E-GTS spec GR Corolla debitar uns saudáveis 304 cv — são mais de 100 cv por cilindro.

Os engenheiros da Toyota GR afirmam ter conseguido aumentar a eficiência do sistema de escape ao reduzir a contrapressão dos gases de escape no seu interior, aumentando o rendimento do motor sem prejudicar as emissões de CO2 e diminuindo o ruído.

Toyota GR Corolla
G16E-GTS. Pequeno motor, mas grande «coração».

A forma como o fizeram foi recorrer a uma válvula que controla o fluxo dos gases de escape que, quando abre a rotações mais elevadas, permite que estes escapem pela terceira saída (ao meio), evitando a passagem pelos silenciadores.

Junte-se às três saídas de escape, um novo sistema de arrefecimento a óleo para os pistões, válvulas de escape de maiores dimensões e portas de admissão parcialmente maquinadas no G16E-GTS e temos um ganho de mais de 40 cv de potência entre os dois hot hatch.

Contrapressão? O que é

O conceito de contrapressão pode ser entendido como a força que se opõe à saída dos gases de escape do motor. A contrapressão pode ser aumentada ou diminuída através da forma, diâmetro e comprimento dos tubos do sistema de escape.

Um sistema restritivo (com muita contrapressão) diminuí o rendimento do motor, mas um sistema de escape com a contrapressão ideal pode inclusivamente aumentar o rendimento do motor.

O «segredo» da contrapressão está no casamento da frequência da ordem de explosão do motor com a forma, diâmetro e comprimento dos tubos do sistema de escape.

Toyota GR Corolla

Terá sido este casamento «perfeito» que os técnicos da Toyota Gazoo Racing tentaram alcançar no novo GR Corolla.

Mais artigos em Autopédia