Volvo Car Portugal quer crescer 9% em 2022, mas deixa dois alertas

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Mercado

Volvo Car Portugal quer crescer 9% em 2022, mas deixa dois alertas

Para 2022 a estratégia da marca sueca passa pelo crescimento e pelo reforço da eletrificação. Mas a missão da Volvo Car Portugal em 2022 não começa nem acaba nas vendas, "as pessoas vão estar no centro de todas as decisões", promete a marca.

As “nossas metas são ambiciosas, mas possíveis”, afirmou Susanne Hägglund, a nova Managing Director da Volvo Car Portugal na apresentação dos planos da marca para este ano.

Susanne Hägglund sucede no cargo a Edson Ishikawa, que após sete anos na dianteira dos destinos da marca em Portugal, ocupa agora o cargo de Head of Product & Consumer Offer (EMEA) na Volvo Car.

Nesta nova fase da sua carreira, Susane Hägglund encontra a Volvo Car Portugal num bom momento. Recordamos que em 2021 a Volvo foi a 3.ª marca premium mais vendida em Portugal e o modelo XC40 foi o SUV premium mais vendido do segmento.

VEJAM TAMBÉM: Volvo XC40 bate recorde de vendas em 2021
Susane Hägglund, Managing Director Volvo Car Portugal
Apesar de estar há poucos meses em Portugal, Susanne Hägglund já consegue entender e expressar-se em português. Ficou a promessa de que no próximo encontro a “língua de Camões” será o idioma principal. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

“Estou muito entusiasmada por estar em Portugal e espero, sinceramente, dar continuidade ao caminho que nos trouxe até aqui e, de alguma forma, conduzir uma transformação que julgo necessária nestes tempos tão desafiantes de mudança da indústria, da sociedade e do consumidor”, afirmou a nova responsável durante aquela que foi a sua primeira apresentação no nosso país.

Os planos da Volvo Car Portugal para 2022

Perante uma plateia constituída por jornalistas, Susanne Hägglund reforçou que a eletrificação será um dos principais pilares de crescimento da marca em Portugal e no mundo.

O objetivo é comum em todos os mercados: até 2025, metade das vendas da Volvo serão carros elétricos, e em 2030 acabam definitivamente os motores de combustão na marca. Para isso, a marca promete apresentar um novo elétrico todos os anos.

Volvo XC-X
A imagem é para meros efeitos ilustrativos, mas um dos lançamentos mais importantes será anunciado já este ano: trata-se de um SUV 100% elétrico que se posicionará abaixo do XC40. Łukasz Myszyński

No mercado nacional, Hägglund traça um objetivo igualmente ambicioso: alcançar um crescimento de 9% face ao ano passado e manter a liderança no segmento dos C-SUV Premium, no qual o XC40 foi o modelo mais vendido à frente dos concorrentes BMW X1/X2 e Mercedes-Benz GLA/GLB.

Recordamos que em 2021, a Volvo Cars conseguiu aumentar as suas vendas globais em 5,6%, aproximando-se das 700 mil unidades em todo o mundo, sendo que as vendas da gama de modelos eletrificados cresceram mais de 70% face a 2020.

Susanne Hägglund, Managing Director da Volvo Car Portugal
A nova Managing Director da Volvo Car Portugal ao lado do Volvo C40, o modelo da marca mais vendido em Portugal e líder do segmento C-SUV premium. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Os dois alertas de Susanne Hägglund

“Acreditamos que o futuro será elétrico”, foi uma das frases mais vezes repetidas por Susanne Hägglund, perante a insistência de uma plateia maioritariamente composta por jornalistas. “Sei que há marcas que estão relutantes perante a necessidade da eletrificação do setor. Mas nós não temos dúvidas relativamente à nossa estratégia.”

Mantendo o foco na preocupação ambiental e na eletrificação, Susanne Hägglund quis deixar outro alerta:

A eletrificação requer transformações em todo o ecossistema! Precisamos de evoluir no sentido de dar às pessoas a possibilidade de ter um automóvel 100% elétrico sem constrangimentos e essa será a minha principal missão em território nacional.

Susanne Hägglund, Managing Director da Volvo Car Portugal.

Para esta missão, Sussanne Hägglund quer mobilizar todos os setores que comunicam, direta ou indiretamente com o automóvel: marcas, instituições, poder político, fornecedores de energia para a mobilidade elétrica e rede de concessionários, pois acredita que “só assim será possível vencermos todos os desafios que temos pela frente”.

Susanne Hägglund, Managing Director da Volvo Car Portugal
A carreira profissional de Susanne Hägglund começou na SKF, uma marca de rolamentos. O que não deixa de ser curioso pelo facto de Volvo, em sueco, significar “eu rolo”. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Um desses desafios passa pelo crescimento da rede de carregamento, um constrangimento que poderá agudizar-se caso as infraestruturas não acompanhem a evolução da procura por carros elétricos. “O setor automóvel está a fazer a sua parte, agora é preciso que os restantes agentes cumpram a sua parte”, defendeu Hägglund.

A importância do legado da marca

Apesar do foco na eletrificação e na digitalização, a nova Managing Director da Volvo Car Portugal afirma que esta estratégia terá sempre as pessoas no centro de toda as operações, recordando uma celebre frase dos fundadores da marca, proferida em 1927:

Os automóveis são conduzidos por pessoas. Por isso, tudo o que fizermos na Volvo deve contribuir, antes de mais, para a sua segurança.

Assar Gabrielson e Gustav Larson, fundadores da Volvo.
Susanne Hägglund, Managing Director da Volvo Car Portugal
No ano passado, Susanne recebeu o prémio Automotive News Europe Rising Star, concedido a executivos do setor automóvel que se destacaram por “impulsionar a mudança, fomentar a inovação e tomar decisões corajosas”. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

É este legado que a nova Managing Director da Volvo Car Portugal quer manter presente no futuro da marca.

“Não esquecemos o nosso passado. Há marcas que celebram vitórias no desporto motorizado, nós celebramos o facto de já termos salvo mais de um milhão de vidas nas estradas. Essa é, quanto a mim, a maior vitória de todas”.

Mais artigos em Notícias