Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Tuning

Manhart ER 800. Mercedes-AMG E 63 S foi ao “ginásio” e ganhou muito mais músculo

Mais habituada a modificar modelos da BMW, a Manhart "deitou as mãos" ao Mercedes-AMG E 63 S e criou um verdadeiro "monstro".

Quando ouvimos o nome Manhart o nosso pensamento vai automaticamente para modelos modificados da BMW, com uma aparência mais musculada e agressiva em consonância com muito mais elevado número de equídeos por debaixo do capô. Mas a última novidade desta preparadora alemã tem por base um modelo da “concorrência”, o Mercedes-AMG E 63 S.

Denominada Manhart ER 800, esta “super berlina” começa logo por destacar-se através da decoração exterior, que junta o preto e o dourado, uma combinação que já é uma espécie de tradição nos modelos transformados por esta preparadora.

Pelas imagens é fácil perceber que esta versão tem por base o E 63 S pré-facelift, mas todas as melhorias mecânicas podem ser aplicadas ao modelo renovado que surgiu em meados de 2020. Afinal, o “coração” não mudou; continua a ser um V8 biturbo de 4.0 litros.

A NÃO PERDER: GT 63 S E Performance, o primeiro plug-in da AMG. 843 cv, até 1470 Nm e… 12 km de autonomia elétrica
Manhart ER 800

De série, este motor produz 612 cv de potência e 850 Nm de binário máximo, que são enviados às quatro rodas através de uma caixa automática de dupla embraiagem AMG Speedshift de nove velocidades e do sistema de tração integral 4MATIC+.

São números impressionantes, mas a Manhart queria mais. E graças a dois novos turbos, a uma nova admissão em fibra de carbono, um novo sistema de escape e a uma nova Unidade de Controlo do Motor, esta empresa germânica conseguiu “arrancar” 809 cv e uns incríveis 1070 Nm ao bloco de oito cilindros em V.

Para lidar com este aumento de potência e força a Manhart melhorou ainda o sistema de travagem recorrendo a discos dianteiros em carbono-cerâmica, e reduziu a altura ao solo em 20 mm ou 30 mm.

Mas tudo isto vem, naturalmente, com um preço associado. E está longe de ser barato. Só o kit de performance do motor custa 17 999 euros e a admissão em carbono adiciona 4630 euros.

Manhart ER 800

Já o sistema de escape custa 8499 euros, aos quais se somam 2899 euros para os downpipes e 700 euros para as ponteiras em carbono ou cerâmica.

LEIAM TAMBÉM: Bussink GT R. Designer alemão criou um Mercedes-AMG GT R Speedster

Para uma imagem a condizer é preciso “desembolsar” mais 8200 euros para as jantes de 21” (pneus 255/30 ZR21 à frente e 295/25 ZR21 atrás), 999 euros para os grafismos dourados, 595 euros para o acabamento em preto da grelha dianteira e 355 euros para a suspensão rebaixada.

Valerá a pena? Bem… A Manhart só irá fazer cinco unidades do ER 800, pelo que imaginemos que não faltarão interessados.

Sabe responder a esta?
Qual a potência da Mercedes-AMG CLA 45 S 4MATIC+ Shooting Brake?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Mercedes-AMG CLA 45 S 4MATIC+ Shooting Brake. “Foguete” familiar com 421 cv

Mais artigos em Notícias