Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Desde 34 303 euros

CUPRA Formentor 1.5 TSI testado. Mais razão do que emoção?

Menos desportivo, menos potente e menos divertido. No papel é assim que qualquer pessoa olha para o CUPRA Formentor mais barato da gama, mas será que na prática é assim tão simples?

Apesar de ser a imagem agressiva o primeiro tema de conversa, é a versatilidade e a amplitude da gama do CUPRA Formentor que lhe podem valer mais vendas no cada vez mais concorrido segmento dos crossover de “ares” mais desportivos.

Isto porque o primeiro modelo construído de raíz para a jovem marca espanhola está disponível com versões para todos os gostos e carteiras, desde o mais desejado VZ5, equipado com um cinco cilindros que produz 390 cv, até à versão de entrada de gama, equipada com um mais modesto 1.5 TSI com 150 cv.

E foi precisamente nessa configuração que voltámos a testar o Formentor, na versão mais barata à venda no mercado nacional. Mas será que para ceder à razão é preciso abdicar da emoção que encontramos nas versões mais potentes (e caras!) do modelo espanhol?

A NÃO PERDER: Na estrada e em circuito. O que vale o CUPRA Formentor VZ5, o mais potente de sempre?
Cupra Formentor

As linhas desportivas do CUPRA Formentor foram muito bem recebidas e não é difícil perceber o motivo: os vincos, as entradas de ar agressivas e os ombros largos dão-lhe uma presença em estrada que é impossível de ignorar.

As emissões de carbono deste teste serão compensadas pela BP
Saiba como pode compensar as emissões de carbono do seu automóvel Diesel, gasolina ou GPL.

Esta versão mantém todos esses atributos. Apenas se destacam as jantes de 18”, por oposição aos conjuntos de 19” das variantes mais potentes, e as saídas de escape falsas, infelizmente cada vez mais uma tendência na indústria automóvel.

Dentro do habitáculo é notória a qualidade geral, a aposta tecnológica e o espaço disponível. De série, esta versão conta com um painel de instrumentos digital com 10,25” e o ecrã central do sistema de infoentretenimento tem 10”. Em opção, por mais 836 euros, é possível equipar um ecrã central com 12”.

Apesar da linha de tejadilho baixa, o espaço no banco traseiro é generoso e mostra-se em muito bom nível. Eu tenho 1,83 m e consigo “encaixar-me” de forma bastante confortável no banco posterior.

Já na bagageira temos à nossa disposição 450 litros de capacidade, número que pode ser dilatado para os 1505 litros com a segunda fila de bancos rebatida.

LEIAM TAMBÉM: O futuro do Off Road? Já andámos no ABT CUPRA XE 100% ELÉTRICO

E o motor, está à altura?

Esta versão do Formentor estava equipada com o quatro cilindros 1.5 TSI Evo de 150 cv e 250 Nm, uma motorização com créditos firmados dentro do Grupo Volskwagen.

Cupra Formentor-20 Thomas van Esveld

Associado a uma caixa manual de seis velocidades, este motor conta com tecnologia de desativação de dois dos quatro cilindros, o que juntamente com o escalonamento relativamente longo da caixa ajuda a manter os consumos controlados.

Não é difícil perceber que este bloco se revela mais suave e silencioso do que emocionante. E se isso tem um impacto positivo ao nível da utilização diária, onde este Formentor se mostra sempre muito disponível e agradável de utilizar, também se faz notar ao nível das credenciais desportivas, um capítulo onde esta versão tem muito menos responsabilidades do que as propostas mais “poderosas”.

cupra_formentor_1.5_tsi_32

O motor sobe relativamente bem de regime e revela alguma genica logo nos regimes baixos. Mas o escalonamento mais longo da caixa de velocidades prejudica as acelerações e, naturalmente, as recuperações. O que nos obriga constantemente a ajustar as relações para que a resposta se faça sentir de maneira mais imediata.

A NÃO PERDER: CUPRA Leon “vitaminado” pela Abt, porque 300 cv não chega para tudo

E os consumos?

Mas se isto belisca o caráter mais desportivo do Formentor, por outro lado beneficia-o numa utilização em cidade e em autoestrada. E aqui, o escalonamento da caixa mostra-se bem mais adequado, deixando-nos alcançar consumos médios de 7,7 l/100 km.

Mas durante este ensaio, com uma condução mais cuidada por estradas secundárias, consegui consumos médios abaixo dos sete litros.

cupra_formentor_1.5_tsi_41

Dinâmica ao nível do nome?

Desde a primeira vez que conduzi o Formentor, na versão VZ com 310 cv de potência, percebi de imediato que este era um modelo “bem nascido”, como frequentemente se diz em gíria automobilística.

LEIAM TAMBÉM: Provocador. Herbert Diess (Grupo VW) diz que a CUPRA já vende mais que a Alfa Romeo

E isso também fica evidente nesta variante mais acessível da gama que, apesar de ter “poupado” na potência e no preço, mantém a direção precisa e rápida e continua a brindar-nos com uma condução muito envolvente.

Cupra Formentor-4
Jantes de 18” (opcionais) não afetam em nada o conforto a bordo deste Formentor e fazem maravilhas pela imagem deste crossover espanhol. © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

A unidade que testámos não contava com Controlo Adaptativo de Chassis, um opcional que custa 737 euros. Contudo, este Formentor apresentou sempre um ótimo compromisso entre dinamismo e conforto.

Num encadeado de curvas nunca recusou ritmos mais elevados e em autoestrada exibiu sempre um conforto e uma estabilidade muito interessantes. A direção é sempre muito comunicativa e o eixo dianteiro reage sempre muito bem aos nossos “pedidos”.

Cupra Formentor-5 © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

A somar a isto, algo que é transversal a todas as versões do CUPRA Formentor: a posição de condução. Muito mais baixa do que num crossover convencional, aproxima-se muito do que encontramos, por exemplo, num SEAT Leon. E isso é um grande elogio.

É o carro certo para si?

Esta é a porta de entrada para um dos crossovers mais vistosos e desportivos da atualidade, mas nem por isso “perde” motivos de interesse.

Com uma motorização mais orientada para os consumos, não tem o mesmo “poder de fogo”, obviamente, das versões VZ, mas mantém a condução envolvente e a direção muito comunicativa e isso chega para este se manter como um dos crossovers mais interessantes de conduzir da atualidade.

Cupra Formentor-10
Assinatura luminosa traseira dinâmica é um dos grandes destaques do Formentor. © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

E a verdade é que consegue ser um automóvel entusiasmante mesmo com apenas 150 cv de potência. E isso é algo que nem sempre acontece.

Muito bem equipado, com uma oferta tecnológica e de segurança muito interessante, este CUPRA Formentor 1.5 TSI tem no preço um dos seus maiores trunfos, uma vez que arranca nos 34 303 euros.

Nota: as imagens do interior e algumas do exterior correspondem ao Formentor 1.5 TSI de 150 cv, mas equipado com a caixa DSG (dupla embraiagem) e não com a caixa manual da unidade testada.

Preço

unidade ensaiada

39.252

Versão base: €34.303

IUC: €171

Classificação Euro NCAP:

  • Motor
    • Arquitectura: 4 cilindros em linha
    • Capacidade: 1498 cm3
    • Posição: Dianteira transversal
    • Carregamento: Injeção direta + Turbo + Intercooler
    • Distribuição: 2 a.c.c., 4 válv. por cil. (16 válv.)
    • Potência: 150 cv entre as 5000-6000 rpm
    • Binário: 250 Nm entre 1500-3500 rpm
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: Manual de 6 velocidades
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4450 mm / 1839 mm / 1511 mm
    • Distância entre os eixos: 2680 mm
    • Bagageira: 450 litros (1505 litros)
    • Jantes / Pneus: 245/45 R18
    • Peso: 1437 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 6,4 l/100 km
    • Emissões de CO2: 145 g/km
    • Vel. máxima: 204 km/h
    • Aceleração: 8,9s
  • Garantias
    • Pintura e corrosão: 3 anos de pintura e 12 anos de anti-corrosão
    • Mecânica: 2+2 anos ou 80 000 Km
    • Reviews Interval: 15 000 km/1 ano (o que ocorrer primeiro)
  • Equipamento
    • Jantes de Liga Leve 18"
    • Espelhos retrovisores com regulação elétrica e aquecidos com recolhimento elétrico (do passageiro com ajuste activado pela marcha atrás)
    • Welcome light (retrovisores) com projeção do logotipo
    • Abertura da bagageira a partir do exterior
    • Limpa pára-brisas com função intermitente, com sensor de chuva e luz
    • Volante desportivo multifunções em pele
    • Duplo piso da mala
    • Climatronic com 3 zonas e painel de controlo para os bancos traseiros
    • Vidros traseiros escurecidos
    • Diferencial autoblocante eletrónico (XDS)
    • Direção Assistida Progressiva
    • Cruise control adaptativo (com sistema "follow-to-stop") e limitador de velocidade
    • Sensores de estacionamento traseiros
    • Seleção de Perfil de Condução
    • Sistema de alerta de fadiga do condutor
    • Aviso de colisão, com travagem de emergência, com outros veículos, peões ou ciclistas
    • Assistente de faixa de rodagem
    • Câmara monovídeo multifunções
    • Infotenimento (MIB3) 10"
    • Quadro de Instrumentos Digital 10,25"
    • Faróis Full LED com lentes
    • Faróis de nevoeiro dianteiros em LED com função Cornering
    • Farolins traseiros LED com indicador de mudança de direcção dinâmico
    • Luzes diurnas com controlo automático e Função Coming & Leaving Home
Extras
Pack Sport — 2684 €; Airbags laterais traseiros + Airbag de joelhos dianteiro — 308 €; Sistema Pré-Colisão — 140 €; Bagageira com abertura e fecho Elétrico - Pedal Virtual — 485 €; Câmara de visão traseira — 252 €; Pacote Condução e Segurança L em combinação com Sistema de Navegação Plus 12" — 836 €; Park Assist — 355 €; Jantes de Liga Leve 18" Performance 38/2 Maquinadas em Preto Sport Mate / Prata — 373 €; Sistema de alarme antifurto — 252 €.
Avaliação
7 / 10
NOTA: 7,5. Pode ser o CUPRA Formentor mais barato do catálogo da jovem marca espanhola, mas nem por isso deixa de ser interessante. Mantém a imagem exterior distinta que tanto tem dado que falar, o interior bem construído e muito bem equipado e o comportamento dinâmico que nos faz esquecer, quase sempre, que estamos sentados num crossover. É certo que não tem o mesmo "poder de fogo" dos "irmãos" mais potentes, mas o que perde em potência ganha em consumos, em facilidade de utilização e claro… no preço!
  • Dinâmica
  • Imagem
  • Equipamento
  • Posição de condução
  • Ausência de comandos físicos para a climatização
  • Escalonamento da caixa (demasiado longo)
Sabe responder a esta?
Em que ano o SEAT Leon venceu pela primeira vez o troféu Carro do Ano em Portugal?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

SEAT Toledo. Vencedor do troféu Carro do Ano 2000 em Portugal

Mais artigos em Testes, Ensaio