Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Arranque a Frio

DryCycle: esta “bicicleta” de quatro rodas custa tanto como um carro

A DryCycle é a resposta aos desejos de todos os que gostam de andar de bicicleta, mas não têm equilíbrio e não gostam de andar expostos aos elementos.

Se alguma vez se perguntaram qual seria o resultado do cruzamento entre um quadriciclo (como o Citroën Ami) e uma bicicleta, então a DryCycle pode muito bem ser a resposta a essa questão.

Dos quadriciclos “herdou” a carroçaria, os faróis, os piscas, o limpa para-brisas, um banco da OMP (que pode ser aquecido) e até dois aquecedores de ar com 150 W de potência. Das bicicletas herda as rodas “fininhas” e, claro está, os pedais. Quanto aos joysticks que são usados para virar, vamos assumir que foram inspirados no mundo dos videojogos.

Oficialmente um veículo a pedais com assistência elétrica, a DryCycle conta com um motor elétrico de 250 W que permite acelerar até aos 25 km/h. Como todos os veículos do seu género não pode funcionar exclusivamente em modo elétrico, por isso somos “obrigados” a pedalar se quisermos que se mova.

Feitas as apresentações, resta-nos apenas revelar o preço da DryCycle: 14 995 libras (cerca de 17 500 euros), um valor que permite comprar não só vários quadriciclos como até automóveis “a sério” como, por exemplo, o também “amigo do ambiente” Dacia Spring Electric.

VEJAM TAMBÉM: Andar de bicicleta em Portugal. Tudo o que precisam saber

Sobre o “Arranque a Frio”. De segunda a sexta-feira na Razão Automóvel, há um “Arranque a Frio” às 8h30 da manhã. Enquanto bebe o seu café ou ganha coragem para começar o dia, fique a par de curiosidades, factos históricos e vídeos relevantes do mundo automóvel. Tudo em menos de 200 palavras.

Sabe responder a esta?
Em que ano foi lançado o SEAT Ronda?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Este SEAT Ronda foi usado como prova em tribunal. Porquê?

Mais artigos em Notícias