Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Ralis

Passaram 19 anos mas o Rally Safari ainda é o que era

De regresso ao WRC, o Rally Safari trouxe algumas das mais exigentes etapas dos últimos anos como comprova este vídeo com os melhores momentos da prova.

Após 19 anos de ausência, o Rally Safari regressou ao calendário do Campeonato do Mundo de Ralis (WRC) e consigo trouxe as deslumbrantes paisagens do Quénia e algumas das mais exigentes etapas que equipas, carros e pilotos que concorrem na categoria rainha dos ralis enfrentaram em largos anos.

A história da prova foi feita de azares, avarias, acidentes, muito pó e até lama, honrando a “tradição” daquele que era, para muitos pilotos, um dos ralis mais exigentes do mundo (um dos outros era o nosso Rally de Portugal).

No final, a vitória “sorriu” ao “eterno favorito” Sébastien Ogier, que se valeu de um ritmo consistente (mesmo sem ser o mais rápido foi evitando azares) e da fiabilidade do seu pequeno Toyota Yaris WRC. Quanto a este, arriscamo-nos a dizer que terá sofrido mais neste rali do que em muitos outros que já enfrentou.

A NÃO PERDER: O Toyota que acabou com o domínio europeu no Mundial de Ralis

Um “regresso ao passado”

O há muito ansiado regresso do Rally Safari ao WRC trouxe consigo uma certa “nostalgia” doutros tempos dos ralis. Tempos em que as provas exigiam uma grande mestria na conjugação de três fatores cruciais para se chegar ao fim em primeiro (ou simplesmente para se chegar ao fim): velocidade, resistência e gestão.

Com as etapas cada vez mais curtas e os ralis a decorrerem em poucos dias, estes têm vindo a tornar-se, cada vez mais, em provas de velocidade, onde o ritmo imposto é, quase sempre, o mais elevado possível.

Hyundai i20 WRC
LEIAM TAMBÉM: Citroën Berlingo o carro perfeito para… ralis?!

Ora, as paisagens do Quénia obrigaram a um “regresso ao passado”, com os pilotos a terem de gerir atentamente o seu ritmo e a jogarem muito com a preservação dos seus carros. Por isso, não foram raras as vezes em que alguns pilotos se viram obrigados a reduzir a velocidade de passagem para uns impressionantes 30 km/h para evitar danificar o carro nas pedras presentes no caminho.

Para que fiquem com uma ideia da dureza do regressado Rally Safari e das condições que os pilotos tiveram de enfrentar, nada melhor do que verem o vídeo com os pontos altos da prova que vos deixamos neste artigo.

Sabe responder a esta?
Em que ano foi revelado o Opel Calibra?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Lembras-te deste? Opel Calibra, esculpido pelo vento

Mais artigos em Notícias