Ambiente

Ford anuncia passos para alcançar a neutralidade carbónica em 2050

A Ford anunciou os próximos passos para alcançar a neutralidade carbónica em 2050 e apresentou novos objetivos de redução das suas emissões até 2035.

Para a “construção de um mundo melhor”, a Ford anunciou os próximos passos para alcançar a neutralidade carbónica em 2050, assim como novos objetivos de redução das suas emissões até 2035.

Para essa altura, a marca da oval azul estabelece dois objetivos significativos: reduzir as emissões de gases de efeito de estufa das operações globais da companhia em 76% e em 50% por quilómetro nos veículos novos vendidos.

Os veículos elétricos são essenciais para esta redução tão considerável de emissões e, como tal, a estratégia da Ford para o continente europeu assenta precisamente nisso.

A NÃO PERDER: Pagaram 910 mil euros pela primeira unidade do Ford Bronco
Ford Mustang Mach-E
Ford Mustang Mach-E

O desejo da marca é que em 2030 todos os seus veículos de passageiros sejam 100% elétricos. Já no caso dos veículos comerciais, a Ford promete uma gama de produtos na Europa capaz de circular com zero emissões, com versões totalmente elétricas ou híbridas plug-in, já em 2024.

Importa recordar que, ainda recentemente, a marca da oval azul anunciou um investimento de mil milhões de dólares para transformar as instalações de produção em Colónia, Alemanha — onde é atualmente produzido o Ford Fiesta —, num centro de produção de elétricos, o primeiro do género da Ford na Europa. Atualmente é produzido por lá o Ford Fiesta, mas a partir de 2023 dará lugar a um modelo 100% elétrico derivado da MEB do Grupo Volkswagen, a mesma plataforma do ID.3.

VEJA TAMBÉM: Novo elétrico da Ford em 2023 pode ditar o fim do Ford Fiesta
Ford Fábrica Colónia
Fábrica da Ford em Colónia, na Alemanha.

A somar a tudo isto, a fabricante norte-americana também anunciou que a próxima geração da gama Transit Custom vai incluir modelos totalmente elétricos fabricados na Turquia pela Ford Otosan.

Vamos ser líderes a alcançar a neutralidade carbónica porque é o melhor para os clientes, para o planeta e para a Ford. 95% das nossas emissões de carbono atuais provêm dos nossos veículos, operações e fornecedores, pelo que estamos a encarar as três áreas com elevada urgência e otimismo.

Bob Holycross, Diretor de Ambiente, Sustentabilidade e Segurança na Ford Motor Company

Eletrificar, eletrificar e eletrificar…

A Ford está empenhada em investir nos veículos elétricos e autónomos, bem como um soluções conectadas. Prova disso é o facto de ter duplicado o seu investimento em veículos elétricos para 22 mil milhões de dólares até 2026.

Ford Mustang Mach-E
Ford Mustang Mach-E

O Mustang Mach-E, lançado na América do Norte no final de 2020 e na Europa no início de 2021 é o “ponta de lança” desta ofensiva elétrica, mas está longe de ser o único. Nem mesmo a pick-up F-150, um dos veículos automóveis mais vendidos no mundo, vai escapar à eletrificação. A Ford já confirmou que próxima geração da pick-up terá uma versão totalmente elétrica que será produzida no novo Rouge Electric Vehicle Center em Dearborn, nos EUA, que já começou a ser construído. 

A NÃO PERDER: Renovada Ford F-150 passou a poupar 290 000 kg de papel por ano. Como?

Futuro mais “verde”

O objetivo da Ford em utilizar 100% de energia renovável de origem local em todas as suas instalações de produção em 2035 está intimamente ligado ao seu compromisso com os veículos eletrificados.

Compromisso FORD. Até 2050 a Ford assumiu o compromisso de atingir a neutralidade carbónica.

Ao longo da última década a empresa registou uma redução de 40% da sua pegada ambiental através de melhorias ao nível da eficiência energética e da conservação das suas instalações, bem como nos próprios processos de produção. 

Paralelamente ao objetivo de se eliminar completamente os aterros de resíduos através do modelo “reduzir, reutilizar, reciclar” e da eliminação dos plásticos de utilização única, a estratégia de utilização de água nos processos de produção da companhia aponta para uma redução de 15% na utilização de água doce até 2025 (tendo o ano de 2019 como referência), dando assim continuidade à redução registada de 75% desde 2000.

A NÃO PERDER: Fim da linha. Ford Mondeo deixa de ser produzido em 2022

Resposta à pandemia

Durante o ano passado, a Ford desempenhou um papel de grande importância em resposta à pandemia de Covid-19, ao utilizar a sua experiência de design e produção, bem como de componentes já existentes, para ajudar a produzir, entre outras coisas, ventiladores e respiradores.

Ford Covid-19
Ford criou máscara translúcida que é uma mais valia para as pessoas com problemas auditivos, que assim podem ler os lábios das pessoas com quem falam.

Até à data, a empresa produziu quase 160 milhões de máscaras, mais de 20 milhões de viseiras de proteção facial, 50 mil ventiladores com a GE Helthcare, e mais de 32 mil respiradores motorizados com purificação de ar em colaboração com a 3M.

Sabe responder a esta?
Qual é a capacidade da bagageira do Ford Puma?

Mais artigos em Notícias