Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Design

Peugeot 205 T16. Poderia ser assim o renascer do “monstro” de Grupo B?

Anders Warming, ex-designer da BMW e MINI, revelou a sua interpretação do que poderia ser um novo Peugeot 205 T16. Não custa sonhar…

Memórias de ruidosos “monstros” cuspidores de fogo é o que evoca a simples menção de Grupo B. Entre as máquinas que fizeram parte desta muito especial e selvagem categoria temos o Peugeot 205 T16, uma força dominadora nos últimos anos do Grupo B, tendo conquistado os campeonatos de pilotos e construtores em 1984 e 1985.

Como seria um Peugeot 205 T16 dos nossos dias? É o que Anders Warming, designer dinamarquês, nos propõe.

Para quem não o conhece, Anders Warming é um veterano no mundo do design e na indústria automóvel. A sua carreira foi passada, maioritariamente, na BMW e na MINI, tendo sido responsável pelo primeiro BMW Z4, a terceira geração do MINI (F55/F56/F57) ou o mais recente concept MINI Next 100 Vision (2016).

A NÃO PERDER: Um Lancia Delta dos tempos modernos? Poderia ser assim

Após ter saído da esfera do grupo alemão, passou pela Borgward onde desenhou o Isabella Concept (2017), tendo aberto o seu próprio atelier, Warming Design, em 2019. Desde então foi ele o responsável pelo design de várias propostas para a marca automóvel chinesa elétrica Hengchi, do grupo Evergrande Auto.

Reimaginar o Peugeot 205 T16 para o séc. XXI

Porém, este exercício mostra que este designer parece ainda ter muita “gasolina” nas veias, imaginando o que seria um novo Peugeot 205 T16, criando uma musculada máquina que se destaca pelos seus gráficos e volumes e como interagem entre si.

É apenas um exercício de design, mas deixou-nos com água na boca sobre como seria um 205 T16 para os nossos dias.

O 205 T16 original de Peugeot 205 não tinha muito: era um verdadeiro especial de homologação, um “monstro” de tração às quatro rodas e motor colocado atrás do piloto e co-piloto, e trazia o “pai” de todos os spoilers traseiros. A limitada versão de estrada — 200 unidades produzidas — era bem mais modesta em aparência e fogosidade, mas mesmo assim, tratava-se de um Peugeot 205 com 200 cv e motor “atrás das costas”.

Quem não gostaria de ver um novo Peugeot 205 T16?

Mais artigos em Notícias