Apresentação

MINI Electric Pacesetter. O “safety car” zero emissões para a Fórmula E

Afinal, o teaser não era para um JCW GP elétrico, mas é o mais próximo que teremos de um. O MINI Electric Pacesetter é o novo "safety car" para a Fórmula E.

O seu nome completo é MINI Electric Pacesetter inspired by JCW e será o novo “safety car” para a Fórmula E, um projeto que resulta da colaboração entre a MINI Design, a BMW Motorsport, a FIA e a Fórmula E.

Desenvolvido a partir do MINI Cooper SE (o MINI elétrico), partilha com este a sua cadeia cinemática elétrica, ou seja, o mesmo motor elétrico de 184 cv e 280 Nm, caixa redutora (uma velocidade) e ainda a bateria de 32,6 kWh.

Porém, são substanciais as alterações exteriores e interiores que podemos observar nesta criação única, o que acabou por garantir acelerações mais vigorosas, apesar da potência se manter inalterada.

TEM DE VER: O mais potente, radical e… esgotado. Ao volante do MINI JCW GP
MINI Electric Pacesetter inspired by JCW

Dieta

Para o conseguir, a BMW Motorsport fez o MINI Electric Pacesetter inspired by JCW passar por uma dieta, que resultou numa redução de aproximadamente 130 kg em relação ao Cooper SE totalizando 1230 kg. A maior parte dos ganhos parecem ter sido conseguidos com o despir do interior de tudo o que não era essencial.

Tal como no MINI JCW GP deixa de haver banco traseiro, mas no seu lugar temos uma roll cage soldada à estrutura do carro (gaiola de segurança). Os bancos da frente passam a ser baquets com arnês de seis pontos — revestidos com almofadas removíveis —, e nem o mostrador central de grandes dimensões “sobreviveu”. No seu lugar existe apenas uma cobertura em fibra de carbono para poupar mais alguns quilos.

O volante desportivo deixa de ter airbag e passa a estar equipado com um amortecedor de impactos também em fibra de carbono. A consola central contém o manípulo da transmissão, travão de mão e os comandos para as várias luzes de sinalização, com a fibra de carbono a ser o material de eleição para os fazer.

Muitos dos itens no interior são únicos e resultam do recurso à impressão 3D (fabricação aditiva). Não só as almofadas removíveis que fazem parte do revestimento das baquets, como também o amortecedor de impactos no volante, a consola central e o painel interior da porta do condutor (que contém uma fita para abrir/fechar a porta).

O resultado prático da menor massa do MINI Electric Pacesetter vê-se nos tempos de aceleração e retomas de velocidade: os 0-100 km/h cumprem-se em 6,7s (7,3s no modelo de produção), e os 80-120 km/h são conseguidos em apenas 4,3s contra os 4,6s do Cooper SE.

VEJA TAMBÉM: Vai ser o maior Smart de sempre. SUV elétrico chega em 2022

Super-chassis

Além da redução de massa, também o chassis foi substancialmente revisto, herdando alguns itens do extremista John Cooper Works GP, nomeadamente os travões de quatro êmbolos e as jantes de 18″ — ainda que aqui com um acabamento específico. Estas são envolvidas com pneus Michelin Pilot Sport 245/40 R18, exatamente os mesmos (pneu e medida) usados nas rodas dianteiras dos monolugares de Fórmula E.

MINI Electric Pacesetter inspired by JCW

Como não terá outro destino que não andar em circuito, o MINI Electric Pacesetter recebe uma suspensão apropriada para um carro de competição: coilovers ajustáveis em três direções, suportes para os braços de controlo com especificações de competição e as suas vias foram alargadas em 10 mm.

"Já mostrámos como a condução divertida e a mobilidade elétrica podem ser indissociáveis com o MINI Electric. No entanto, o MINI Electric Pacesetter inspired by JCW vai um passo mais longe e mistura o caráter da performance da marca John Cooper Works com a mobilidade elétrica. Esta versão extremista do MINI Electric foi desenvolvida para ser o Safety Car da Fórmula E, por isso há uma clara intenção de não o usar nas estradas públicas. Mas revela uma das direções que podemos tomar com a eletrificação da marca JCW. Para mim, a mensagem é clara: eletrificação e John Cooper Works são uma boa combinação."

Bernd Körber, Diretor da MINI
MINI Electric Pacesetter inspired by JCW
VEJA TAMBÉM: Oficial. O último MINI com motor de combustão chega em 2025

Único, também no aspeto

Apesar de derivado do Cooper SE e de ter semelhanças visuais com o John Cooper Works GP, o MINI Electric Pacesetter inspired by JCW tem uma identidade própria, como se fosse o fruto de um relacionamento entre os dois modelos citados.

O aparato aerodinâmico é grande. A face típica do MINI é aqui complementada com um avental dianteiro e splitters. Sendo elétrico, grande parte das aberturas regulares (como a grelha hexagonal) estão tapadas, com as únicas aberturas a estarem na parte inferior, que têm como objetivo canalizar ar fresco para os travões.

De lado temos alargamentos únicos — encimadas por bordas aerodinâmicas —, distintos dos usados no JCW GP, mas como este servem para acomodar as rodas e vias mais largas. Na traseira também não falta “animação” — bem pelo contrário. Podemos ver uma asa traseira que integra um conjunto de luzes para a sua tarefa como “safety car”, enquanto na parte inferior temos um difusor de ar de dimensões expressivas.

A maioria destes adereços, únicos e específicos para este carro, tal como vimos no interior, resultam da impressão 3D.

TEM DE VER: Novo MINI 3 portas só chega em 2023, mas já foi “apanhado” em testes

“Safety car”

O MINI Electric Pacesetter inspired by JCW vai entrar ao serviço como “safety car” da Fórmula E no próximo dia 10 de abril no segundo evento (terceira corrida) da temporada de 2021, em Roma, Itália. Aos seus comandos estará o português Bruno Correia, o piloto oficial FIA Formula E Safety Car.

MINI Electric Pacesetter inspired by JCW

"Agilidade, performance, carro de aparência espetacular. O MINI Electric Pacesetter Safety Car do campeonato mundial FIA Formula E tem tudo. Muito divertido de conduzir, parece que estamos num kart."

Bruno Correia, piloto oficial Safety Car Fórmula E

Sabe responder a esta?
Qual a capacidade da bagageira da Volkswagen Golf Variant (2021)?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Volkswagen Golf Variant (2021). As carrinhas ainda são alternativa?

Mais artigos em Notícias