Design

E se o novo Jeep Grand Cherokee fosse transformado num sedã?

Com a mania de hoje de transformar tudo num SUV, como seria o exercício ao contrário? Vejam como seria o novo Jeep Grand Cherokee em formato sedâ.

O Jeep Grand Cherokee é já uma instituição entre os SUV. E o que dizer da Jeep? A celebrar este ano o seu 80º aniversário, é a derradeira marca dos SUV. Não esquecendo o icónico Willys/Wrangler, foi ela quem acabou por definir em grande parte o que é ou o que deveria ser aquilo a que hoje designamos de SUV.

Anos antes do Range Rover, já a Jeep tinha o seu veículo todo o terreno de “luxo” na forma do Grand Wagoneer — denominação que regressa este ano ao portefólio da marca como o seu topo de gama. O seminal Cherokee (XJ), nascido na década de 80, é o arquétipo do SUV contemporâneo, ao ter prescindindo do chassis de longarinas e travessas por uma carroçaria monobloco — mas sem nunca esquecer as capacidades off road.

Além da Jeep, só mesmo a Land Rover para conseguir uma associação tão forte entre uma marca e este tipo de veículos. Pelo que nunca consideraríamos a possibilidade da Jeep enveredar por outros tipos de veículos que não um jipe, SUV ou pick-up. Bem, altura de considerar exatamente essa possibilidade.

VÊ TAMBÉM: Jeep Grand Cherokee L revelado. Maior, mais luxo e, pela primeira vez, com 3 filas de bancos

É o exercício a que se propôs o canal de YouTube The Sketch Monkey, onde o designer Marouane Bembli procura dar forma ao que seria um sedã da Jeep, partindo do recentemente revelado Grand Cherokee L.

A transformação do Grand Cherokee num sedã, como podemos perceber nas palavras de Marouane Bembli não foi a mais fácil. A grande luta concentrou-se nas proporções da inédita criação.

O transformar da carroçaria alta de dois volumes do SUV norte-americano numa mais baixa carroçaria de três volumes causou vários problemas ao nível das proporções. São visíveis as várias tentativas de Marouane em acertá-las, alterando a distância entre eixos por várias vezes, para melhor jogar com a carroçaria tri-corpo e até esticando mais a frente.

O resultado final (imagem abaixo), mesmo tendo suavizado alguns aspetos chave da identidade visual da Jeep — os arcos das rodas surgem redondos neste Grand Cherokee sedã, ao invés dos arcos das rodas trapezoidais típicos da marca — é o de uma berlina de aspeto formal, com três volumes claramente definidos.

Um Grand Cherokee sedã que, tal como o SUV do qual deriva, é mais marcado por formas e volumes rectilíneos e linhas horizontais que formas e linhas fluídas. Faz recordar outros sedã como o “primo” Chrysler 300 que Marouane refere por várias vezes no vídeo.

Jeep Grand Cherokee Sedan
VÊ TAMBÉM: Carrinhas dão luta em 2020 face à invasão SUV. Até quando?

Apesar dos mais tradicionais sedã estarem também ameaçados pela “invasão SUV” — as vendas deste tipo de carroçaria têm diminuído continuamente nos últimos anos, sendo já várias as marcas vão abandonar esta tipologia para fazer mais… já adivinharam… SUV e crossover —, temos que admitir que seria um desenvolvimento intrigante ver a Jeep lançar um sedã. Faria sentido?

Mais artigos em Notícias