Indústria

Sinais dos tempos. BMW vai deixar de produzir motores de combustão na Alemanha

A BMW vai deixar de produzir motores de combustão interna na Alemanha, com a produção destes a ser transferida para outros países. Mais um passo no caminho da mobilidade elétrica.

A Bayerische Motoren Werke (Fábrica de Motores da Baviera, ou BMW) vai deixar de produzir motores de combustão interna na Alemanha, o seu país natal. Um momento significativo na história da BMW e que reflete as mudanças pelas quais a indústria automóvel passa, cada vez mais concentrada na mobilidade elétrica.

É em Munique (onde se encontra também a sede da BMW) que veremos as maiores transformações. São atualmente produzidos por lá motores de combustão interna de quatro, seis, oito e 12 cilindros, mas a produção destes será progressivamente descontinuada até 2024.

Porém, sendo a produção de motores de combustão interna ainda uma necessidade, a produção destes irá ser transferida para as fábricas que possui em Inglaterra e Áustria.

VÊ TAMBÉM: BMW está a desenvolver nova plataforma para elétricos, mas pode receber motores de combustão
Fábrica BMW Munique
Fábrica e sede da BMW em Munique.

O reino de sua majestade acolherá a produção dos motores de oito e 12 cilindros, na fábrica de Hams Hall, que por lá já produz motores de três e quatro cilindros para os MINI e BMW, desde que iniciou atividade em 2001. Em Steyr, na Áustria, é onde se encontra a maior fábrica de produção de motores de combustão interna da BMW, cuja atividade começou em 1980, e ficará encarregue de produzir os motores de quatro e seis cilindros, tanto a gasolina como a gasóleo — tarefa que já executava, executa e, como vemos, continuará a executar.

E em Munique? O que será lá feito?

As instalações em Munique irão ser alvo de um investimento de 400 milhões de euros até 2026 para poder produzir (mais) veículos elétricos. É intenção da BMW que tão cedo como 2022 todas as suas fábricas alemãs produzam, pelo menos, um modelo 100% elétrico.

Além de Munique, também as instalações fabris do construtor em Dingolfing e Ratisbona (Regensburg) situadas na região da Baviera, Alemanha, irão receber investimentos no mesmo sentido de absorver cada vez mais a produção de veículos elétricos.

Munique vai produzir o novo BMW i4 já a partir de 2021, enquanto em Dingolfing serão produzidas as variantes 100% elétricas dos Série 5 e Série 7, rebatizadas para i5 e i7. Em Ratisbona, será produzido um novo X1 100% elétrico (iX1) a partir de 2022, além de módulos de baterias — tarefa que partilhará com a fábrica em Leipzig, também na Alemanha.

Por falar em Leipzig, onde é produzido atualmente o BMW i3, também ficará responsável pela produção da próxima geração do MINI Countryman, tanto com motores de combustão interna como na sua variante 100% elétrica.

Fonte: Automotive News Europe, Auto Motor und Sport.

Sabes responder a esta?
Quantos cavalos debita o novo BMW 420d Coupé (G22)?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

BMW 420d Coupé (2021). É a versão que mais vende, mas é suficiente?

Mais artigos em Notícias