Mercado Automóvel

TOP 20. Estes são os carros mais «abatidos» em Portugal

Os portugueses têm carros cada vez mais velhos. A idade média dos veículos abatidos em Portugal continua a aumentar e a idade do parque automóvel também.

Os números são de 2019, mas a tendência tem vindo a agravar-se. Apesar de Portugal estar entre os países europeus com maior quota de mercado de elétricos, o panorama geral do parque automóvel deixa muito a desejar.

Os portugueses deslocam-se em viaturas cada vez mais velhas, logo menos seguras e mais poluentes. Os dados da Associação Automóvel de Portugal (ACAP) revelam que, desde 2000, a idade média dos carros em Portugal passou dos 7,2 anos para os 12,9 anos.

Isto significa que, dos cinco milhões de ligeiros de passageiros a circular pelas estradas nacionais, 62% têm mais de 10 anos. E destes quase 900 mil têm mais de 20 anos. Portugal acima da média europeia. Neste «campeonato europeu» não há Éder que nos valha:

País Idade Média Ano
Reino Unido 8,0 2018
Áustria 8,2 2018
Irlanda 8,4 2018
Suíça 8,6 2018
Dinamarca 8,8 2018
Bélgica 9,0 2018
França 9,0 2018
Germany 9,5 2018
Suécia 9,9 2018
Eslovénia 10,1 2018
Noruega 10,5 2018
Países Baixos 10,6 2018
Média UE 10,8 2018
Itália 11,3 2018
Finlândia 12,2 2019
Espanha 12,4 2018
Croácia 12,6 2016
Portugal 12,9 2018
Letónia 13,9 2018
Polónia 13,9 2018
Eslováquia 13,9 2018
República Checa 14,8 2018
Grécia 15,7 2018
Hungria 15,7 2018
Roménia 16,3 2016
Estónia 16,7 2018
Lituânia 16,9 2018

Fonte.

Os carros a circular em Portugal são cada vez mais velhos, e os veículos que são abatidos também. Estes são os modelos que em 2019 lideraram a tabela de abate:

Carros abatidos 2019
Top 20 — Distribuição por modelo VFV entregues para abate em 2019

Este gráfico é da Valorcar, entidade que monitoriza a atividade em Portugal e gere 185 centros de abate. Os dados apresentados dizem respeito ao abate de veículos em 2019. Uma tabela que em termos de modelos é liderada pelo Opel Corsa.

RELACIONADO: OE 2021. Vêm aí mexidas no cálculo do ISV dos usados importados

Mas quando verificamos as tendências por marca, é a Renault que lidera. De resto, um valor previsível uma vez que a Renault é líder de vendas em Portugal há muitos anos, logo é a marca com o maior parque circulante.

Marcas com veículos mais abatidos 2019

 

Incentivo para todos. Não só para elétricos

A ACAP defende um incentivo ao abate dos carros velhos. Esta associação defendeu junto do Governo um apoio à compra de 25 mil carros, mediante um incentivo ao abate no valor de 876 euros.

A NÃO PERDER: David Gendry. “Estou surpreendido pela falta de apoio ao setor automóvel em Portugal”

Segundo as contas da ACAP, este incentivo no valor global de 21,9 milhões de euros representaria um acréscimo da receita fiscal de 105,4 milhões de euros. Um incentivo que não discrimina, como outros incentivos atualmente em vigor, o tipo de motorização do modelo em questão.

Num país de carros velhos, onde o comércio e indústria automóvel atravessam tempos difíceis, para a ACAP, este incentivo seria um importante passo em três vertentes: segurança rodoviária, ambiente e economia.

Emissões CO2 Europa 2019
Apesar da falta de apoios, Portugal é dos países onde são adquiridos veículos mais ecológicos.

Orçamento do Estado 2021

Dentro em breve ficaremos a conhecer quais as medidas concretas, propostas pelo Governo no Orçamento do Estado para 2021, no que aos automóveis diz respeito. Recordamos que o setor automóvel representa, na globalidade, mais de 21% da receita fiscal em Portugal (dados da ACEA).

Mais artigos em Notícias