Mercado

Portugal no Top 5 da quota de elétricos na Europa

O mercado automóvel português tem a 5ª maior quota de elétricos na Europa. Os números são de um estudo da Federação Europeia de Transportes e Ambiente.

Os dados são de um estudo da Federação Europeia de Transportes e Ambiente (T&E) recentemente divulgado pela associação ambientalista Zero e dão conta que o mercado automóvel português conta com a 5ª maior quota de modelos 100% elétricos.

Na primeira metade deste (conturbado) ano, os automóveis elétricos corresponderam a cerca de 6% das vendas em Portugal.

Para encontrarmos quotas de mercado superiores temos de “viajar” até à Noruega (onde os modelos elétricos correspondem a 48% do total das vendas); aos Países Baixos (com 9,2%, a quota mais elevada na UE); à Suécia (7,3% de quota) e à França (6,3%).

VÊ TAMBÉM: Até julho venderam-se mais automóveis elétricos e híbridos plug-in na Europa do que na China. Porquê?

Quanto à quota de mercado dos veículos híbridos plug-in em Portugal, também eles contemplados neste estudo, esta fixa-se nos 5,8%. Tendo isto em conta, nos primeiros seis meses de 2020, os automóveis plug-in (100% elétricos e híbridos plug-in) contabilizaram cerca de 11% de quota de mercado.

Nissan projeto V2G PGR/José António Rodrigues

Aliás, entre os países da União Europeia, o mercado português conta com a 3ª maior quota de mercado de híbridos plug-in, sendo apenas ultrapassado pela Suécia (cerca de 19%) e Finlândia (12,4%). Mas é, mais uma vez, a Noruega que detém a maior quota de mercado, 20%.

O sucesso podia ser ainda maior

De acordo com o estudo da Federação Europeia de Transportes e Ambiente, estes resultados são o reflexo de dois fatores: a existência de uma tributação favorável e uma boa implantação de infraestrutura de carregamento.

Como exemplo da influência destes fatores o estudo dá a… Noruega, é claro. Afinal de contas, naquele país os automóveis elétricos e híbridos plug-in corresponderam a 2/3 das vendas totais (68%) no primeiro semestre de 2020.

Volkswagen Tiguan 2021
VÊ TAMBÉM: Kia acelera eletrificação. Até 2027 vai lançar sete modelos elétricos

Já no que diz respeito ao caso do mercado automóvel português, a Zero considera que “a oferta limitada de postos de carregamento tem condicionado negativamente a compra de veículos totalmente elétricos por parte dos condutores, sendo de momento um obstáculo importante ao aumento desejado de vendas destes automóveis”.

Tendência crescente?

Ainda de acordo com este estudo, existem alguns indicadores que permitem prever que a tendência de crescimento da quota de mercado dos automóveis elétricos e híbridos plug-in se deverá manter no segundo semestre do ano.

Por exemplo, em julho, na Suécia, estes alcançaram uma quota de mercado de 29%, na Holanda de 16% e na Alemanha de 9%.

Fontes: Zero; Federação Europeia de Transportes e Ambiente (T&E).

Sabes responder a esta?
De que país é a nova marca de automóveis elétricos Izera?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Izera. A nova marca de automóveis elétricos da… Polónia

Mais artigos em Notícias