Apresentação

Nissan RE-LEAF. O adeus aos cortes de energia em emergências

O Nissan RE-LEAF é um protótipo para um veículo de resposta a emergências, que também pode servir como unidade móvel de abastecimento de energia.

Com base no elétrico Leaf, a Nissan desenvolveu o RE-LEAF, um protótipo para um veículo de resposta a emergências, que também pode servir de unidade móvel de abastecimento de energia após desastres naturais.

Uma funcionalidade só possível devido à capacidade de carregamento bidirecional que o Leaf possui desde que foi introduzido em 2010. Ou seja, não só pode retirar energia da rede quando está a carregar a bateria, como pode fornecer energia elétrica não só à rede (V2G ou Vehicle-to-Grid) como a outros dispositivos (V2X ou Vehicle to Everything).

Algo muito útil durante uma emergência, sobretudo após desastres naturais, em que podem ocorrer cortes no abastecimento de eletricidade.

VÊ TAMBÉM: Nissan Leaf e+ 62 kWh (217 cv). Testámos o Leaf mais POTENTE de sempre

Com o RE-LEAF a Nissan quer demonstrar o potencial dos automóveis elétricos nesses cenários. E apesar de ainda ser um protótipo, a verdade é que a Nissan já acumula experiência de campo com o Leaf “de série” para abastecimento e transporte de emergência no Japão após desastres naturais desde 2011 — o ano do grave terramoto e consequente tsunami. Desde então já foram formadas parcerias com mais de 60 autoridades locais para servir de apoio em situações de desastre.

De Leaf para RE-LEAF

O Nissan RE-LEAF distingue-se do Leaf regular pela distância ao solo acrescida em 70 mm, sendo agora de 225 mm, assim como pelas vias mais largas (+90 mm à frente e +130 mm atrás), sendo ainda equipado com pneus todo o terreno montados em jantes de 17″. Tem ainda uma proteção de “cárter” específico, componente ausente no Leaf, mas a permitir o mesmo efeito de proteção do fundo do carro.

Destaque ainda para a barra LED no tejadilho e no interior deixa de haver bancos traseiros e passa a haver uma divisória a separar os bancos dianteiros do compartimento traseiro.

No compartimento de carga, destaque para a plataforma que se estende da bagageira com um ecrã LED de 32″, um tomada doméstica interna e um conetor operacional para a gestão de comunicações e do processo de recuperação.

6 dias
O Nissan Leaf e+, se tiver a sua bateria de 62 kWh totalmente carregada consegue fornecer eletricidade suficiente para alimentar um lar médio europeu durante seis dias.

No exterior há duas tomadas 230 V à prova de água, que permite alimentar vários dispositivos em simultâneo. A Nissan detalhou os consumos de alguns deles durante um período de 24 horas, tendo em conta que o tempo para que o abastecimento de eletricidade seja reposto em cenários de desastre é de 24 a 48 horas:

  • Martelo pneumático elétrico – 36 kWh
  • Ventilador de pressão – 21,6 kWh
  • Tacho de sopa de 10 l – 9,6 kWh
  • Ventilador de cuidados médicos intensivos – 3 kWh
  • Projetor LED de 100 W – 2,4 kWh

Após o fornecimento de eletricidade estar reestabelecido o Nissan RE-LEAF pode ser recarregado através de um dos seus três perfis de carregamento: tomadas domésticas (3,7), 7 kW Tipo 2 ou 50 kW CHAdeMO.

Mais artigos em Notícias