Preparação

BRUTO. Brabus Rocket 900 limita binário a 1050 Nm (!) para não destruir a transmissão

O Brabus Rocket 900 baseia-se no Mercedes-AMG GT 63 S 4MATIC+, mas extrai dele todo o "lado negro da Força": 900 cv, 1050 Nm e 23,9s para atingir… os 300 km/h.

Só olhando para as imagens deste alargado, musculado e temível Brabus Rocket 900, deixa adivinhar que a coisa não foi feita apenas pela metade — afinal trata-se de um Brabus…

Coloquem o Brabus Rocket 900 ao lado do Poseidon GT 63 RS 830+ que mostrámos há uma semana e, apesar de este último ser ainda (um pouco) mais potente, acaba por parecer um “menino de coro” ou para ser mais simpático, um “lobo em pele de cordeiro”.

Todo o aparato é justificado pelas capacidades (muito) majoradas em relação ao modelo que lhe serve de base, o “senhor-que-já-impõe-respeito” Mercedes-AMG GT 63 S 4MATIC+ (quatro portas) — uma portentosa criação dos mestres de Affalterbach que já tivemos oportunidade de experienciar:

TENS DE VER: Mercedes-AMG GT 63 S 4 portas em vídeo. O AMG mais POTENTE da atualidade

O Rocket 900 adiciona 7,8 cm à largura do modelo de série — atingidos no eixo traseiro —, visíveis nos alargamentos dos guarda-lamas, e acrescenta ainda uma generosa asa traseira, além de um expressivo difusor traseiro (ambos em fibra de carbono), o que justifica a aparência  mais ameaçadora.

A rematar o conjunto, as jantes Monoblock Z Platinum Edition, da própria Brabus, com as respeitáveis medidas de 21″x10,5″ à frente e 22″x12″ atrás, envolvidas por pneus de, respetivamente, 295/30 e 335/25!

Mas se a aparência já impressiona, o que dizer do motor?

É aqui que o Brabus Rocket 900 verdadeiramente se destaca de outras preparações. O M 177 usado pelos GT 63 S vê a sua capacidade subir dos 4,0 l para os 4,5 l, cortesia de uma nova cambota “esculpida” de um único bloco de metal, que permitiu aumentar o curso dos cilindros de 92 mm para 100 mm. Não se ficou por aqui… Com o aumento do curso vieram também novas bielas e pistões forjados que também viram o diâmetro ser aumentado de 83 mm para 84 mm.

Brabus Rocket 900

O sistema de indução é agora composto por dois novos turbocompressores, maiores em dimensão, e com pressão elevada para os 1,4 bar. Claro que não podia faltar uma nova admissão em fibra de carbono e com efeito ram-air, além de um novo sistema de escape em aço inoxidável, com válvulas ajustadas eletronicamente. Opção que garante que o incrementado V8 tenha várias vozes: de um discreto ronronar a um ribombante rosnar que tanto apreciamos nos V8.

Vamos a números. Se o Mercedes-AMG GT 63 S não tem que ficar embaraçado pelos 639 cv e 900 Nm que possui, o seu alter-ego Brabus Rocket 900 simplesmente trucida-o: 900 cv às 6200 rpm e 1250 Nm de binário a partir de umas razoáveis 2900 rpm. No entanto, para garantir que a transmissão não seja destruída por esta quantidade absurda de força, o binário foi limitado a uns “civilizados” 1050 Nm…

Com números “gordos” como este, não admira que atinja os 100 km/h em apenas 2,8s, os 200 km/h em escassos 9,7s e os 300 km/h em “meros” 23,9s, valores que estamos mais habituados a ver em superdesportivos de gema. Mas o Rocket 900 continua a acelerar para lá dos 300 km/h, atingindo uma barreira eletrónica aos 330 km/h — tudo para garantir que os pneus também não se auto-destruam, pois sempre 2120 kg à velocidade de um… foguete.

VÊ TAMBÉM: Volkswagen Polo GTI mais potente que um Civic Type R? Venha ele

Só vão ser feitos 10

A produção do Brabus Rocket 900 será limitada a apenas 10 unidades e, como seria de prever, o preço é tão exorbitante como os números que definem as suas especificações, ascendendo a 427 mil euros… sem impostos.

Mais artigos em Notícias