Lembras-te deste?

Lembras-te deste? GT by Citroën, um superdesportivo (quase só) virtual

Ao contrário do que é habitual, o GT by Citroën nasce primeiro no mundo virtual e ainda hoje lamentamos não ter sido produzido, como chegou a ser anunciado.

Sem nada que o fizesse prever, o stand da Citroën no Salão de Paris de 2008 foi dominado por um arrojado superdesportivo, o GT by Citroën.

Um superdesportivo da marca do double chevron? Inédito, sem dúvida, e não deixou os seus créditos por mãos alheias, ostentando ousadas linhas que fascinam tanto hoje como quando foi revelado, uma qualidade visual nada estranha à marca francesa.

Para percebermos o porquê da existência de tão arrojada criatura temos de entrar no mundo virtual, sobretudo nos videojogos, e mais em específico no universo Gran Turismo.

VÊ TAMBÉM: DS Automobiles revela grande SUV elétrico com tecnologia da Fórmula E
GT by Citroën

Foi uma parceria entre a Citroën e a Polyphony Digital, a empresa que nos deu o Gran Turismo, que permitiu que o GT by Citroën se tornasse uma realidade… virtual. Uma parceria que foi despoletada por Takumi Yamamoto, designer da marca francesa e autor das linhas do GT by Citroën, e a sua amizade com Kazunori Yamauchi, diretor da Polyphony Digital e o criador do Gran Turismo.

Do virtual para o real

Porém, o GT by Citroën saltaria do mundo virtual — teria a sua estreia no Gran Turismo 5 Prologue — para o mundo real, após Takumi Yamamoto e Jean-Pierre Ploué (chefe de design da Citroën na altura) terem conseguido convencer a direção da marca francesa em avançar com a construção de um protótipo. E ainda bem que o fizeram…

GT by Citroën

Olhem bem para ele… Se a marca francesa já era historicamente conhecida pela ousadia visual dos seus modelos, o que dizer deste superdesportivo?

Como outros superdesportivos, grande parte das suas formas e linhas podiam ser justificadas pelo túnel de vento. De acordo com a Citroën, havia vários elementos aerodinâmicos móveis, assim como um fundo plano e um expressivo difusor traseiro.

GT by Citroën

O interior não era menos vanguardista ou arrojado. O acesso ao mesmo fazia-se por portas de abertura tipo borboleta, a informação era disponibilizada através de um head-up display, e tinha pormenores invulgares, como o mostrador da velocidade selecionada no teto.

Esta era a visão de Takumi Yamamoto em como poderiam ser os superdesportivos no ano 2025 e, naturalmente, já se imaginava um futuro sem hidrocarbonetos. O GT by Citroën, no jogo, era um elétrico alimentado por uma célula de combustível a hidrogénio. Com um motor por roda, anunciava 789 cv e uma velocidade máxima de 375 km/h.

GT by Citroën

Os sonhos virtuais colidiram com a realidade na altura de criar o veículo físico — para trás ficou a sua futurista cadeia cinemática. Para o protótipo poder rolar por ele próprio, optou-se por um convencional, mas não menos interessante V8 (de origem Ford, ao que tudo indica). posicionado atrás dos ocupantes e motorizando apenas e só o eixo traseiro.

VÊ TAMBÉM: As saudades que eu tenho do Citroën Saxo Cup

Produção à vista?

O impacto do GT by Citroën foi enorme. Rapidamente se especulou sobre a eventual produção do superdesportivo e por momentos tudo indicava que sim, que a Citroën avançaria com a produção, ainda que muito limitada (seis unidades). Mas com o mundo a entrar numa profunda crise financeira, esses planos acabariam por ser, infelizmente, abandonados.

GT by Citroën

O GT by Citroën ficaria confinado ao mundo virtual, surgindo em mais algumas versões posteriores do Gran Turismo.

O protótipo físico, capaz de ser conduzido, foi motivo de vários artigos e vídeos. Trazemos-te um muito recente, cortesia do canal Supercar Blondie, que nos deixa ver em mais detalhe o “que poderia ser”.

O som do V8 é inebriante!

Mais artigos em Clássicos