Antevisão

Sucessor do Mazda CX-5 com plataforma de tração traseira? Parece que sim

O sucessor do Mazda CX-5 já mexe e prevê-se que chegue ao mercado em 2022. Tal como o sucessor do Mazda6, deverá adotar a nova plataforma RWD.

As expetativas para o sucessor do Mazda CX-5 não podiam ser mais elevadas, pois tem sido o modelo mais vendido do construtor de Hiroshima há muitos anos.

Começam agora a surgir as primeiras informações sobre a terceira geração do CX-5 que deverá surgir no mercado em 2022, cinco anos após o lançamento da segunda geração — a primeira geração do CX-5 também só esteve cinco anos no mercado.

A primeira de todas é sobre a sua designação. O registo de várias patentes por parte da marca japonesa indicam que o sucessor do Mazda CX-5 poderá muito bem vir a chamar-se de CX-50. Desta forma permite alinhar-se com o CX-30, o primeiro SUV da marca a adotar a designação alfanumérica com duas letras e dois algarismos.

VÊ TAMBÉM: Toyota e Lexus com a plataforma RWD e motores seis em linha da Mazda?
Mazda CX-5 2020
O CX-5 foi atualizado muito recentemente, e deverá permanecer no mercado por mais dois anos.

Plataforma RWD e motores seis cilindros em linha? ✔︎

Porém, a maior novidade não reside na sua designação, mas sim na base onde assentará e nas motorizações que a acompanharão.

Ao contrário do modelo atual, que assenta sobre uma plataforma de tração dianteira, o sucessor do Mazda CX-5 deverá assentar sobre a já confirmada nova plataforma de tração traseira (RWD) que a Mazda está a desenvolver. Além de variantes com tração traseira, sendo um SUV e como já acontece hoje em dia, esperem também variantes com tração às quatro rodas.

Melhor, por baixo do capot também devemos encontrar novidades ambiciosas na forma de dois novos motores com seis cilindros em linha — cujo desenvolvimento já decorre —, a gasolina e gasóleo, que complementarão as unidades de quatro cilindros.

Falta confirmar as especificações sobre os novos seis cilindros em linha, mas para já, os rumores indicam que o motor a gasolina terá 3.0 l de capacidade e recorrerá à tecnologia SPCCI que encontramos nos Mazda3 e CX-30 Skyactiv-X, complementado por um sistema mild-hybrid de 48 V. O Diesel poderá ser ainda maior, com 3.3 l, também associado ao sistema mild-hybrid.

Se isto tudo parece déjà vu, é porque já o reportámos anteriormente, mas em relação ao sucessor do Mazda6, que também tem data de lançamento prevista para 2022.

São conhecidas as ambições da Mazda em subir o seu posicionamento no mercado. O desenvolvimento desta nova plataforma e motores são a prova cabal disso mesmo. Os sucessores do Mazda6, CX-5 e, muito provavelmente, dos maiores CX-8 e CX-9 (não vendidos na Europa), com este hardware, apontam baterias diretamente às marcas premium, que recorrem a soluções similares ou idênticas.

Sabes responder a esta?
Em que ano surgiu o primeiro Mazda RX-7?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

O Mazda RX-7 faz 40 anos e ainda ansiamos pelo seu regresso

Mais artigos em Notícias