Mercado

Volvo. Pós-confinamento pode ser bom para promover os automóveis elétricos

Para o diretor da Volvo Cars, depois do confinamento a procura por motores de combustão deverá cair. E por isso devia-se promover os automóveis elétricos.

Aproveitando a sua participação na conferência Financial Times Global Boardroom, Håkan Samuelsson, diretor da Volvo Cars, assumiu que o novo período pós-confinamento pode ser uma boa oportunidade para promover os automóveis elétricos.

O diretor da marca escandinava afirmou: “a eletrificação será mais rápida. Seria bom promover novas tecnologias — bom para os governos apoiarem veículos elétricos, que são mais caros nos primeiros anos”. Ainda de acordo com Samuelsson, é “naive” (ingénuo) esperar que os consumidores regressem aos concessionários após o confinamento à procura de automóveis com motor de combustão interna. 

Por fim, o diretor da Volvo Cars considerou os incentivos e apoios por parte dos governos para o abate de carros antigos e consequente compra de automóveis com motor de combustão “um desperdício de dinheiro”.

VÊ TAMBÉM: Testámos o Volvo XC40 Recharge PHEV. O melhor de dois mundos?
Volvo XC40 Recharged

Falta de procura é a maior preocupação

Já acerca dos problemas e desafios que atualmente a indústria enfrenta, Håkan Samuelsson referiu que a falta de procura é mais problemática do que o reinício da produção.

“A procura na Europa está a cerca de 30% do habitual, mas na China está 20% acima daquela que existia antes do vírus. Se estes indicadores estiverem corretos, deixam antever uma boa recuperação ”

Håkan Samuelsson, diretor da Volvo Cars

Ainda acerca do mercado na era pós-covid, o executivo sueco relembrou um fenómeno que já se verifica nos EUA designado “revenge buying” (comprar por vingança) e que está a ajudar à retoma das vendas.

Neste caso os consumidores estão de tal forma fartos das restrições que veem na compra de um carro novo uma espécie de boost psicológico.

VÊ TAMBÉM: Volvo e Geely vão criar nova divisão de motores de combustão

As lições da pandemia

Por fim, a era pós-confinamento não trás apenas oportunidades para promover os automóveis elétricos nem desafios para o mercado automóvel.

Segundo o diretor da Volvo Cars, a pandemia de Covid-19 permitiu revelar os problemas associados a uma excessiva dependência produtiva face a um país.

Acerca deste assunto, Samuelsson afirmou: “a Europa e os EUA precisam de ter mais empregos na área da produção. Devemos produzir os carros onde os vendemos. Não podemos esperar que a China produza tudo”.


A equipa da Razão Automóvel continuará online, 24 horas por dia, durante o surto de COVID-19. Segue as recomendações da Direção-Geral de Saúde, evita deslocações desnecessárias. Juntos vamos conseguir ultrapassar esta fase difícil.

Sabes responder a esta?
Qual é a capacidade da bagageira do Volvo XC60 B5?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Testámos o Volvo XC60 B5. O que mudou em relação ao XC60 D5, que substitui?

Mais artigos em Notícias