Mercado

Vendas na Europa caíram 78,3% em abril. O culpado? O Covid-19

Depois de um mês de março para esquecer, o mercado automóvel europeu afundou-se ainda mais em abril, com uma queda de 78,3% face ao ano passado.

Os dados são da ACEA (European Automobile Manufacturers Association) e confirmam as piores previsões. No mês de abril registou-se uma queda abrupta do mercado automóvel europeu.

Se em março as vendas caíram 55,1% na União Europeia e 52,9% em toda a Europa Ocidental (UE+EFTA+Reino Unido) face ao período homólogo, em abril o cenário foi ainda pior. Foi o mês em que o continente praticamente parou devido às medidas de controlo implementadas para combater a pandemia do Covid-19.

Na União Europeia, a ACEA registou uma queda de 76,3% nas vendas face a abril de 2019. Já se contarmos com toda a Europa Ocidental (UE+EFTA+Reino Unido) os números são ainda piores, com a quebra nas vendas a fixar-se nos 78,3%. No acumulado dos primeiros quatro meses do ano, a queda do mercado europeu (UE+EFTA+Reino Unido) é já de 39,1%.

VÊ TAMBÉM: Efeito Covid-19. Queda histórica do mercado automóvel nacional em abril

Os países mais afetados…

Apesar de praticamente todos os países se terem ressentido das fortes medidas restritivas aplicadas para tentar travar a pandemia de Covid-19, houve alguns onde a quebra de vendas foi mais notória.

Assim, quando separamos os resultados por países, a Itália, um dos países mais afetados pela crise pandémica e o primeiro a impôr o estado de emergência, viu as suas vendas caírem 97,6% relativamente a abril de 2019.

O cenário de quebra abrupta de vendas é, no entanto, comum a muitos países, com destaque para a: Bélgica (-90,1%), Croácia (-87,5%), França (-88,8%), Irlanda (-96,1%), Portugal (-87%), Espanha (-96,5%) e Reino Unido (-97,3%).

VÊ TAMBÉM: Mégane (afinal) fica, mas há vários Renault que não terão sucessor

… e os construtores

Como é óbvio, a quebra do mercado automóvel europeu também se refletiu nos resultados dos construtores.

Em abril, o grupo Jaguar Land Rover foi aquele que mais viu as vendas caírem. com uma quebra de 88,6% (UE+EFTA+Reino Unido). Atrás dele surge logo a Honda, cujas vendas caíram 88,5% em abril.

Já o grupo FCA, o maior afetado em março, viu as vendas caírem 87,7%. No Grupo PSA a quebra foi de 82,4%; na Nissan de 86,2%; na Mazda de 82,6% e na Daimler de 80,1%, com especial destaque para a quebra de 96,1% nas vendas da Smart.

Quanto ao Grupo Volkswagen, líder europeu, viu as suas vendas caírem 75% em abril. Os restantes construtores e grupos também tiveram quedas acentuadas: Grupo Renault (-79,5%), Grupo BMW (-69,7%), Grupo Hyundai (-79,3%), Grupo Toyota (-76%), Ford (-80,7%) e Volvo (-68%).

O que vem aí?

Com muitos dos países europeus a levantarem gradualmente as medidas de confinamento, a esperança é de que o mercado automóvel europeu inicie o seu percurso de recuperação.

A título de exemplo, o mercado automóvel chinês está praticamente recuperado dos efeitos da pandemia, com o mês de abril a apresentar valores de vendas apenas 2% inferiores aos registados no período homólogo de 2019.

Fontes: ACEA


A equipa da Razão Automóvel continuará online, 24 horas por dia, durante o surto de COVID-19. Segue as recomendações da Direção-Geral de Saúde, evita deslocações desnecessárias. Juntos vamos conseguir ultrapassar esta fase difícil.

Mais artigos em Notícias