Indústria

E depois do Coronavírus? Volvo na China regressa à normalidade

Que mundo vamos encontrar quando a pandemia do covid-19 acabar? Parte da resposta chega-nos da Volvo Cars diretamente de onde tudo começou: a China.

Normalidade. Uma palavra escassa nos tempos que correm e a que muitos desejam voltar rapidamente. É por este processo de «regresso à normalidade» que agora está a passar a Volvo Cars na China.

Apesar de as notícias no resto do mundo ainda não serem animadoras — a Volvo decretou a suspensão da produção nas suas fábricas localizadas na Bélgica (até dia 5 de abril), Suécia e Estados Unidos (de 26 de março a 14 de abril) — na China já há motivos para voltar a sorrir.

O desejado regresso à normalidade

No início deste mês, a Volvo Cars reabriu as suas quatro fábricas na China após um longo período de encerramento.

VÊ TAMBÉM: Objetivo: produzir mais ventiladores. Indústria automóvel responde ao pedido de auxílio
© Thom V. Esveld / Razão Automóvel
Depois da tempestade…

Mas as boas notícias não surgem apenas das unidades de produção. Em comunicado, a marca sueca fez saber que a afluência aos concessionários Volvo está a indicar um retorno à normalidade no mercado automóvel chinês.

No resto do mundo, para já, as preocupações da Volvo são outras. ” As nossas principais preocupações neste momento são a saúde de nossos funcionários e o futuro da empresa”, disse Håkan Samuelsson, CEO da Volvo Cars, que destacou ainda a importância do poder político neste momento:

“Com a ajuda dos programas de apoio implementados pelos governos e autoridades têm sido determinantes. Fomos capazes de agir rapidamente.”

A Volvo Cars está confiante de que as medidas adoptadas pelos governos mundiais conseguirão atingir o equilíbrio certo entre mitigar o impacto da pandemia e a proteção do futuro dos colaboradores, da empresa e da economia.

VÊ TAMBÉM: Testámos a Volvo V60 T8 PHEV Inscription. Foco na performance ou na poupança?

A equipa da Razão Automóvel continuará online, 24 horas por dia, durante o surto de COVID-19. Segue as recomendações da Direção-Geral de Saúde, evita deslocações desnecessárias. Juntos vamos conseguir ultrapassar esta fase difícil.

Mais artigos em Notícias