Matrículas

O teu carro antigo pode ter uma matrícula nova?

Após uma longa espera, as matrículas novas já estão em circulação. Será que podes trocar as chapas de matrículas do teu carro por uma das novas?

Há dois anos que já conhecíamos as novas matrículas, mas só agora começam a entrar em circulação, e nas últimas semanas ficámos a saber que não vão ter a barra amarela que outrora indicava o ano e mês do automóvel.

Uma indicação que sempre suscitou polémica. Portugal era o único país da UE com a «barra amarela», algo que muitos apontavam ser uma diferenciação negativa dos carros importados face aos carros novos vendidos em Portugal.

Em segundo lugar, a «barra amarela» era confundida em alguns países europeus com o prazo de validade da matrícula — há países europeus cujas matrículas têm validade. Não é o caso das matrículas portuguesas que não têm qualquer prazo de validade.

VÊ TAMBÉM: Novas matrículas. A primeira (e segunda) matrículas já foram atribuídas

O teu carro antigo pode ter uma matrícula nova?

A resposta a esta pergunta é afirmativa. Podes trocar a matrícula do teu carro pelas matriculas novas, sem «barra amarela» e sem pontos a separar a sequência numérica e alfabética. Naturalmente, não existe alteração na sequência de números e letras da tua matrícula.

O que muda nas novas matrículas?

Face às matrículas que vêm substituir, as matrículas novas não só perdem a indicação do mês e ano do carro como também viram desaparecer os pontos que separavam os conjuntos de letras e números.

Também novidade é o facto de o decreto lei que estabeleceu as matrículas novas prever a possibilidade de estas virem a contar com três algarismos em vez de apenas dois.

Por fim, também as matrículas dos motociclos e ciclomotores vão conhecer novidades, passando a contar com o dístico identificador do Estado-Membro, facilitando a circulação internacional destes veículos (até agora, sempre que se circulava no estrangeiro era preciso circular com a letra “P” colocada na traseira da moto).

Segundo o IMT, as matrículas novas poderão ser utilizadas por um período estimado de 45 anos.

Mais artigos em Notícias