Insólito

Este Bugatti Veyron está em risco de ser destruído. Porquê?

Que se saiba não houve irregularidades na importação para a Zâmbia deste raro Bugatti Veyron, no entanto, o hiper-desportivo pode mesmo ser condenado à destruição.

Ainda hoje, o Bugatti Veyron continua a ser um carro (muito) especial. Seja pelo seu W16 com 8.0 l e 1001 cv ou pelas prestações que continuam a impressionar — foi o primeiro automóvel de produção a ultrapassar os 400 km/h —, o modelo francês tem, desde o seu nascimento, um lugar garantido no “Olimpo” do mundo automóvel.

No entanto, pelos vistos nem esse pedigree parece capaz de o proteger do “longo braço da lei” e a prová-lo está a história deste Bugatti Veyron Sang Noir (uma versão especial da qual só foram produzidas 12 unidades) de que te falamos hoje.

Importado para a Zâmbia a 24 de fevereiro, o Veyron depressa começou a captar atenções no país africano e não apenas entre a população. Ao que parece, a Comissão de Combate às Drogas da Zâmbia ficou tão interessada no hiper-desportivo que acabou por… apreendê-lo.

Segundo a Comissão de Combate às Drogas a apreensão resulta de suspeitas que apontam que o carro poderá ter sido comprado com verbas obtidas num esquema de lavagem de dinheiro.

Acerca deste assunto, Theresa Katango, porta voz da comissão afirmou: “Após várias questões levantadas, a Comissão está a investigar, por forma a assegurar que a compra da viatura não violou quaisquer leis relativas à lavagem de dinheiro (…) o veículo foi apreendido enquanto as investigações são levadas a cabo”.

Para já, ainda não se sabe o que vai acontecer ao raro Bugatti Veyron. No entanto, se a Comissão de Combate às Drogas encontrar provas que indiquem que a compra resultou de um esquema de lavagem de dinheiro, este Veyron pode mesmo acabar por ser destruido.

 

Sabes responder a esta?
Qual era a cilindrada do Bugatti Type 10?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Foi há 110 anos que nasceu o primeiro automóvel da Bugatti

Mais artigos em Notícias