Segurança

A DEKRA lançou o Nissan Leaf contra um poste. Tudo em nome da ciência

Serão os automóveis elétricos tão seguros como os de combustão? Para descobrir a Dekra lançou três Nissan Leaf contra um poste, tudo em nome da ciência.

Lançada em 2010 e substituída em 2017, a primeira geração do Nissan Leaf voltou a ver a sua segurança posta à prova num violento crash test, desta vez levado a cabo pelos alemães da DEKRA e não pela Euro NCAP.

Ao contrário do que aconteceu da primeira vez (em 2012), o Nissan Leaf não enfrentou os testes de colisão frontal a 64 km/h (50 km/h contra barreira rígida) e lateral a 32 km/h (poste), mas sim a 84 km/h e 75 km/h, respetivamente, mas sempre contra um poste.

Desenvolvidos em conjunto com o centro médico universitário de Göttingen, os testes pretendiam simular o choque com uma árvore e tinham dois objetivos: perceber de que forma os métodos de salvamento podem ser melhorados e descobrir até que ponto os automóveis elétricos são tão seguros como os equipados com motor de combustão.

VÊ TAMBÉM: Ao volante do novo Nissan Juke. Como o puto cresceu

Os resultados

Apesar de as imagens dos dois vídeos divulgados pela DEKRA serem impressionantes, segundo o organismo alemão os padrões de danos demonstrados pelo Nissan Leaf foram semelhantes aos revelados por um veículo de combustão interna em impactos semelhantes.

Segundo a DEKRA, “o sistema de alta tensão usado pelos modelos elétricos mostrou-se fiável e desligou-se durante o impacto”. A juntar a tudo isto, o organismo alemão referiu que apesar de a bateria ter ficado bastante deformada, não houve qualquer princípio de incêndio.

VÊ TAMBÉM: Testámos o Nissan Skyline GT-R (R34) em vídeo. O verdadeiro Godzilla

Para além do Nissan Leaf, a DEKRA usou também um Renault Zoe nesta ronda de testes. No entanto, este foi lançado contra o poste a “apenas” 60 km/h.

Sabes responder a esta?
Qual era a potência do Mitsubishi Pajero Evolution?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Mitsubishi Pajero Evolution. Feito para vencer, literalmente.

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos