Indústria

Elétricos mais baratos? Não nos próximos anos

Para a Jaguar Land Rover a culpa é do elevado custo das baterias necessárias para assegurar uma boa autonomia. A solução? Uma melhor rede de carregamento.

Segundo Ralf Speth, CEO da Jaguar Land Rover, enquanto a rede de carregamento não melhorar vai ser impossível reduzir o preço dos automóveis elétricos nos tempos mais próximos.

Tudo porque, para assegurar uma autonomia aceitável, as marcas têm de recorrer a baterias de maiores dimensões, baterias essas que são bastante caras (chegam a ser o mais caro componente de todo o carro) e que acabam por influenciar negativamente o preço de venda.

Para Ralf Speth, o preço dos carros elétricos ainda é muito alto porque “é preciso assegurar uma boa autonomia. Para isso precisamos de baterias grandes pois não há onde carregar o carro. Se houvesse onde carregar, poderíamos reduzir a dimensão das baterias e reduzir os custos”.

VÊ TAMBÉM: Metemos o novo Range Rover Evoque numa piscina. E não só…
Jaguar I-PACE
Apesar do sucesso do I-Pace (foi até Carro Mundial do Ano 2019) a Jaguar acredita que falta apostar na melhoria da rede de carregamento.

Preço das baterias baixar? Por enquanto não

Ainda de acordo com o CEO da Jaguar Land Rover não são de esperar, pelo menos nos próximos três a cinco anos, reduções do preço das baterias. Assim, a solução passa antes pela melhoria da rede de carregamento, aumento da sua dimensão e ainda uma redução dos tempos de carregamento.

Apesar das críticas feitas por Speth, o executivo da Jaguar Land Rover acredita que a infraestrutura acabará por crescer. Conforme cada vez mais marcas lançam modelos elétricos, a procura por postos de carregamento também aumentará, levando à sua expansão.

VÊ TAMBÉM: Smart EQ fortwo nightsky edition: um vislumbre do futuro?

Precisamos de uma rede de carregamento mais densa, de melhor qualidade e maior dimensão, que seja mais padronizada e forneça um carregamento mais rápido. Precisamos de uma boa disseminação por todo o país, não apenas em Londres.

Ralf Speth, CEO Jaguar Land Rover

O CEO das marcas britânicas afirmou ainda que acredita que os automóveis 100% elétricos são o futuro, algo que é confirmado pelo acordo assinado entre a Jaguar Land Rover e a BMW com vista ao desenvolvimento conjunto da próxima geração de motores, transmissões e sistemas eletrónicos usados por modelos elétricos.

Fonte: Autocar.

Sabes responder a esta?
Em que ano é que a Rover fechou portas?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

A Rover nunca produziu um 75 coupé mas houve quem o fizesse

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos