Indústria

Elétricos da Tesla passam a contar para cálculo das emissões de CO2 da… FCA

As novas leis de emissões de CO2 aprovadas pela Comissão Europeia levaram a FCA a comprar créditos de carbono à Tesla. Tudo para evitar multas.

Para 2020, a Comissão Europeia aponta para uma média de emissões de CO2 por fabricante de apenas 95 g/km. A partir de 2021 essa meta passa a lei, estando previstas avultadas multas aos construtores que não a cumprirem. Face a este cenário, a FCA, cuja média de emissões de CO2 em 2018 se ficou nas 123 g/km arranjou uma solução “criativa” para o problema.

De acordo com o Financial Times, a FCA vai pagar centenas de milhões de euros à Tesla para que os modelos vendidos pela marca americana na Europa sejam contabilizados na sua frota. O objetivo? Reduzir a média de emissões dos carros vendidos na Europa e assim evitar as multas de milhares de milhões de euros que a Comissão Europeia possa aplicar.

Graças a este acordo, a FCA vai compensar as emissões de CO2 dos seus modelos, que têm crescido devido à venda crescente de motores a gasolina e também de SUV (Jeep).

VÊ TAMBÉM: O Tesla Roadster é o carro que mais quilómetros fez na história

Ao contabilizar os elétricos da Tesla para o cálculo das emissões da sua frota, a FCA reduz assim a média de emissões enquanto construtor. Designada “Open Pool”, é a primeira vez que esta estratégia é usada na Europa, sendo no fundo uma compra de créditos de carbono.

Tesla Model 3
No que às emissões diz respeito, as vendas da Tesla serão contabilizadas na frota da FCA, permitindo assim uma redução da média de emissões de CO2.

A FCA não é estreante

Para além de permitirem as “Open Pool”, os regulamentos europeus prevêem ainda que as marcas integrantes do mesmo grupo possam agrupar as emissões. Isto permite, por exemplo, ao Grupo Volkswagen compensar as elevadas emissões da Lamborghini e da Bugatti com as reduzidas emissões dos compactos da Volkswagen e com os seus modelos elétricos.

Para a Europa, esta é a primeira vez que fabricantes completamente separados agrupam suas emissões como uma estratégia de conformidade comercialmente viável.

Julia Poliscanova, diretora sénior da Transport & Environment

Se na Europa é a primeira vez que se opta por uma “Open Pool” para comprar créditos de carbono, o mesmo não se pode dizer a nível global. A prática de compra de créditos de carbono também não é estranha à FCA. Nos Estados Unidos a FCA não só já comprou créditos de carbono à Tesla como também à Toyota e à Honda.

A FCA está comprometida em reduzir as emissões de todos os nossos produtos... A "Open Pool" oferece flexibilidade para vender os produtos que os nossos clientes estão dispostos a comprar enquanto se cumprem as metas com a abordagem que menos custo gera.

Comunicado FCA

Já em relação à Tesla, a marca norte-americana também está habituada a vender créditos de carbono. Segundo a Reuters, a marca de Elon Musk fez, nos últimos três anos, cerca de mil milhões de euros através da venda de créditos de carbono nos Estados Unidos.

Fontes: Reuters, Automotive News Europe, Financial Times.

Sabes responder a esta?
Em que ano foi lançado o Fiat Coupé?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Lembras-te deste? Fiat Coupé 2.0 20v Turbo, o fim da linhagem

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos