Indústria

Volkswagen vendeu milhares de carros de pré-produção… e não podia

Um potencial novo escândalo parece abater-se sobre o gigante alemão, desta vez a envolver a venda de carros de pré-produção quando não o podia fazer.

As consequências do Dieselgate ainda se fazem sentir, mas eis que surge outro escândalo no horizonte para a empresa alemã. Em notícia avançada pelo Der Spiegel, a Volkswagen vendeu como usados 6700 carros de pré-produção entre 2006 e 2018. Como é que isso pode ser um problema?

Carros de pré-produção são, basicamente, carros de teste, mas também são usados como veículos de exposição em salões, ou nas apresentações aos media. A sua função é uma de verificação qualitativa, tanto do veículo como da própria linha de produção — o que pode levar a mudanças de componentes ou na própria linha de montagem —, antes de se iniciar a produção em série propriamente dita.

Devido ao seu propósito os carros de pré-produção não podem ser vendidos a clientes finais — podem apresentar o mais variado tipo de defeitos, sejam qualitativos ou até outros mais graves —, e não costumam ser certificados ou homologados pelas entidades reguladoras.

VÊ TAMBÉM: Lembras-te do Volkswagen Jetta do filme “The Fast and the Furious”? Está à venda…
Volkswagen Beetle Final Edition 2019

Na realidade o seu destino costuma ser mesmo a sua destruiçãoveja-se o exemplo destes Honda Civic Type R…

6700 carros de pré-produção vendidos

O Der Spiegel refere que uma auditoria interna determinou a existência de 9000 unidades com “estatuto de construção não clarificado”, construídas entre 2010 e 2015; a publicação alemã eleva esse número para 17 mil unidades experimentais (pré-produção) construídas, mas entre 2006 e 2015.

A Volkswagen agora admite que são no total 6700 carros de pré-produção que foram vendidos entre 2006 e 2018  — à volta de 4000 veículos foram vendidos na Alemanha, com os restantes a terem sido vendidos noutros países europeus como também nos EUA.

RELACIONADO: Volkswagen. Próxima plataforma será a última a receber motores de combustão

A Volkswagen informou em setembro passado a KBA — a autoridade federal de transportes alemã —, com esta a ordenar uma recolha obrigatória dos veículos. Estes, no entanto, não deverão ser reparados. Como alguns destes veículos podem diferir claramente dos produzidos posteriormente em série, a Volkswagen propõe recomprá-los e retirá-los do mercado.

Apenas veículos da marca Volkswagen parecem estar envolvidos, não havendo referências a nenhuma das restantes marcas do grupo alemão. As autoridades alemãs discutem agora como lidar com o assunto — a Volkswagen alega que carros de pré-produção podem ser vendidos, mas têm de ser autorizados a tal —, com o veredito final a poder resultar numa multa de milhares de euros por cada unidade afetada.

Fonte: Der Spiegel

Mais artigos em Notícias