Apresentação

Opel GT X Experimental. O futuro da marca começa aqui

O Opel GT X Experimental, um concept em forma de SUV compacto, marca o ponto de partida para uma "nova" Opel, agora integrada no Groupe PSA.

O Opel GT X Experimental não é simplesmente mais um concept — hoje em dia, no geral, não são mais que show cars, ou seja, modelos de produção “carregados de maquilhagem”.

O GT X é, por outro lado, um manifesto sobre o futuro da marca, um concentrado de soluções visuais e tecnológicas que guiarão os futuros Opel, e que também marca o início de uma “nova” Opel, agora integrada no Groupe PSA, o grupo automóvel francês que detém a Peugeot, Citroën e DS.

Mesmo adotando a tipologia “da moda”, um SUV ou crossover compacto — apenas 4,06 m de comprimento —, o GT X não antevê nenhum modelo de produção direto, mas dá fortes pistas sobre o que esperar dos futuros Opel. E claro está, o mais óbvio é a nova identidade visual.

VÊ TAMBÉM: Opel Corsa 2019. Tudo o que já sabemos
2018 Opel GT X Experimental

“Visual detox”

O estilo revela-se mais depurado do que nos Opel atuais, com os designers a terem libertado a carroçaria do excesso de linhas, arestas, e vincos que marcam o design automóvel de hoje, deixando as superfícies respirar e “falar” — uma limpeza que os designers da marca apelidaram de “visual detox” ou desintoxicação visual. Assim, as superfícies são mais fluídas e cheias, mas ao mesmo tempo estruturadas. Também nota-se o esforço concentrado em reduzir as linhas de “corte” que separam os vários painéis, contribuindo para o look limpo.

Já aqui reportámos sobre os elementos mais fortes da identidade da marca, o Opel Compass (bússola), que estrutura e organiza os elementos na dianteira, ao longo de dois eixos — vertical e horizontal —; e o Opel Vizor (viseira), efetivamente, a nova face da marca, onde passa a estar integrado num módulo único — um painel em Plexiglas escurecido —, as luzes diurnas, as óticas LED, o emblema, e também as câmaras e sensores dos sistemas de assistência à condução.

Nota-se influências de outro concept da Opel, o compacto e atrativo coupé GT, nesta nova linguagem da marca, que pode ser observado na modelação das superfícies e pelo elemento gráfico na forma de uma linha num contrastante tom amarelo, que contorna a área vidrada, e que serve de separação entre as áreas superiores e inferiores da carroçaria, adicionando dinamismo.

O resultado final é o de um veículo que continua a expressar a robustez visual expetável deste tipo de veículos, mas sem cair na agressividade visual exagerada dos automóveis dos dias de hoje.

O Opel GT X Experimental dá corpo aos nossos valores de marca alemã, acessível e emocionante. É um protótipo “acessível”, no sentido em que representa um automóvel com o qual as pessoas se identificam. Tem linhas e formas puras e marcantes, com tecnologia avançada que simplifica a utilização. De uma maneira clara, este protótipo deixa transparecer um futuro muito promissor para a marca

Mark Adams, Vice-Presidente de Design da Opel
GT X Experimental, origem do nome
O nome reflete a designação do primeiro "concept car" da Opel, e também o primeiro apresentado por um construtor europeu, o Experimental GT de 1965. A letra "X" reflete a cada vez maior influência dos SUV no mercado, com a Opel a prever que 40% das suas vendas em 2021 sejam SUV.

Interior

Refletindo o exterior, o interior sofreu também a sua própria desintoxicação, neste caso, além de uma visual, também uma “digital detox”. A informação e grande parte da operação do veículo está concentrada num único módulo, o Opel Pure Panel, eliminado outros elementos visuais de distração — composto por um largo painel, que esconde vários ecrãs, evocando a face do veículo —, e aplicando os mesmos princípios agregadores do Opel Vizor. Este módulo integra também as saídas de ventilação, localizadas por trás dos ecrãs.

A forma do Opel Vizor é também replicada no volante, que também integra comandos simplificados. Tal como no exterior, também a “pureza” do interior é quebrada pela presença de elementos gráficos, como os triângulos truncados que podem ser observados nas costas dos bancos.
2018 Opel GT X Experimental

Motorização? Elétrico, claro…

Se o Opel GT X Experimental, como manifesto, antecipa o que esperar dos futuros modelos da marca, a eletrificação teria de estar presente — no plano PACE!, todos os modelos Opel terão uma versão eletrificada até 2024. O primeiro modelo 100% da marca está já ao “virar da esquina”, e o GT X teria de ser, claro, elétrico. O GT X é um concept funcional, que integra um conjunto de baterias de iões de lítio de 50 kWh, com possibilidade de carregamento via indução.

RELACIONADO: Opel regressa aos lucros. Algo que já não acontecia desde 1999

Como já deu para perceber pela presença do volante, o Opel GT X Experimental não é autónomo, nem o pretende ser, apesar de permitir o nível 3 de condução autónoma.

(…) O foco numa identidade bem vincada pelos nossos valores — uma marca alemã, acessível e emocionante — desempenha um papel crucial no nosso regresso ao sucesso sustentado. (…) O GT X Experimental dá uma ideia clara de como nós, na Opel, vemos a mobilidade do futuro.

Michael Lohscheller, CEO da Opel

Sabes responder a esta?
Qual o motor que equipa o novo Opel Corsa GSI?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Utilitário “racer”? Opel Corsa GSi chega em setembro

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos