Desde 35 805 euros

Ao volante do Ford Mondeo Titanium Hybrid. No caminho certo

Mais do que uma questão de números, o Ford Mondeo Titanium Hybrid é uma questão de honra. Um híbrido muito despachado com consumos capazes de envergonhar os melhores Diesel. Um modelo que mostra que a Ford está no caminho certo da eletrificação.

Acabei de entregar o Ford Mondeo Titanium Hybrid. Após quatro dias na sua companhia, não esperava que ao entregá-lo sentisse alguma pena por deixá-lo nas instalações da Ford Portugal. Convenhamos que após duas semanas a saltar de desportivo para desportivo, não é com o maior ânimo do mundo que «saltamos» para o volante de uma berlina de cariz familiar.

Como já devem ter notado, a minha relação com o Ford Mondeo não foi amor à primeira vista. Mas o Ford Mondeo Titanium Hybrid soube conquistar-me à medida que somávamos quilómetros juntos.

Não foi amor à primeira vista

O apelo das berlinas é cada vez menor. Para combater esta tendência, as marcas lutam com novas soluções estéticas para salvar o que ainda resta da quota de mercado das berlinas de segmento D. Um segmento que está a ser rapidamente devorado pelos SUV’s. A Ford, a título de exemplo, vai mudar o foco brevemente.

Ford Mondeo Hybrid
A lista de equipamento de série é extensa. Mas esta unidade contava ainda com pack Couro Luxury (ver ficha técnica no final do artigo).

Mas para lá do argumentário estético — sempre subjetivo — os SUV ainda têm alguns truques para aprender com as berlinas de quatro portas. O Ford Mondeo Titanium Hybrid fez questão de me recordar alguns desses truques, ao brindar-me com um conforto de rolamento soberbo (sim, soberbo é o adjetivo mais apropriado) e um equilíbrio dinâmico típico dos Ford do séc. XXI — os ensinamentos de Richard Perry Jones, pai do Focus Mk1, perduraram no tempo e felizmente fizeram escola na marca da oval azul.

A Ford é das marcas generalistas que melhor sabe afinar o chassis e suspensões dos seus modelos.

As jantes de 16″ equipadas com pneus de alto perfil e baixo atrito não são as mais agradáveis à vista — é um facto — mas contribuem tanto para o pisar suave do Ford Mondeo que depressa esqueci aquilo que elas NÃO fazem pela sua estética. O melhor disto tudo é que esta combinação jante/pneu nem passa uma fatura demasiado elevada ao comportamento dinâmico. O Ford Mondeo Titanium Hybrid passeia-se de curva em curva com um rigor assinalável.

Uma questão de honra

A Ford tem dado passos muito tímidos no que diz respeito à eletrificação da sua gama. Aparentemente, quase toda a concorrência segue à frente da Ford neste capítulo.

Este Ford Mondeo Titanium Hybrid veio colocar ordem na casa.

Mais do que uma questão de vendas, o lançamento deste Ford Mondeo híbrido foi uma questão de afirmação de posição. Uma espécie de “estamos na corrida”.

Já testei praticamente todos os híbridos do mercado — não digo todos porque, enfim, pode ter-me escapado algum — mas esta combinação desenvolvida pela Ford foi das que mais me surpreendeu pela performance, suavidade e eficiência. É sobre isso que vou escrever nas próximas linhas.

Casamento feliz

Este modelo é um HEV, sigla que significa Hybrid Electric Vehicle. O que significa que não é possível carregar as suas baterias numa tomada elétrica. Se assim fosse era um PHEV (Plug in Hybrid Electric Vehicle).

Ford Mondeo Hybrid

Como em todos os HEV, os motores elétricos são secundários. A sua função é auxiliar o motor de combustão nas solicitações mais severas.

No caso particular do Ford Mondeo Titanium Hybrid, encontramos um motor 2.0 l atmosférico de 140 cv (ciclo Atkinson) associado a dois motores elétricos (o principal com 120 cv). A potência combinada destes motores é de 187 cv. Descobre porque é que a potência combinada não é 260 cv (140+120).

Destes três motores, apenas o motor de combustão e o motor elétrico de 120 cv é que estão ligados à transmissão do Mondeo. O segundo motor elétrico atua apenas como gerador de energia e como motor de arranque para o motor de combustão.

Na prática. Funciona?

Confuso, não é? Talvez. Mas na prática os três motores funcionam muito bem e de forma quase imperceptível. A resposta é sempre pronta e cheia desde os baixos regimes. E o melhor disto tudo são os consumos. Conseguir médias de apenas 5,3 l/100 km neste Ford Mondeo Hybrid é uma brincadeira de crianças. E mesmo quando superamos os limites legais em autoestrada (com moderação claro…) os consumos não sobem de forma catastrófica, mantendo-se nuns saudáveis 6,4 l/100km.

Como já perceberam, estamos no território dos Diesel. Com a vantagem notória de termos ao nosso dispor uma motorização mais silenciosa e agradável. Nem a caixa CVT perturba este casamento, que sabe manter o motor 2.0 l numa gama de rotações aceitável na maioria das solicitações.

A NÃO PERDER: A fundo no Ford Fiesta ST pelas estradas de Monte Carlo

Apenas o tato do pedal de travão — que tem de alternar entre o sistema de travagem e o sistema de regeneração para recarregar as baterias — é que merecia mais atenção por parte dos técnicos da Ford. O feeling que transmite não é consistente, prejudicando um pouco a agradabilidade de condução. Com este sistema híbrido quem também saiu prejudicado foi a capacidade da mala que devido à presença das baterias é de apenas 383 l.

O Ford Mondeo Hybrid convenceu-me

E vai convencer-vos a vocês também no dia em que o experimentarem. No início, olhei para ele com alguma desconfiança (e até indiferença…) e fui supreendido.

RELACIONADO: Volkswagen e Ford celebram nova aliança estratégica

O Ford Mondeo Titanium Hybrid é tudo aquilo que podemos pedir a uma berlina familiar. É confortável, seguro, despachado e muito bem equipado. Para tornar as coisas um pouco mais interessantes a Ford tem em vigor uma campanha de oferta de equipamento no valor de 2005 euros, a que se somam mais 2005 euros de desconto direto e 1500 euros de apoio à retoma.

No caso da unidade que ensaiámos, o preço desce dos 46 127 euros (c/ extras incluídos) para uns mais interessantes 40 616 euros com as campanhas. Sem extras ficaria por 35 815 euros.

Para ser um verdadeiro sucesso de vendas bastaria ser um pouco mais apelativo, porque afinal de contas, isso também é importante na hora de escolher um automóvel. É tudo uma questão de escolhas.

Preço

unidade ensaiada

46.127

Versão base: €40.560

Classificação Euro NCAP: 5 / 5

  • Motor
    • Arquitectura: Motor 4 cil. em linha + motor elétrico síncrono + auxiliar elétrico
    • Capacidade: 1999 cm3 (motor térmico ciclo Atkinson)
    • Posição: transversal dianteira
    • Carregamento: Injeção indireta
    • Distribuição: 2 a.c.c., 16 válvulas (4 válv. por cilindro)
    • Potência: 187 CV (potência combinada)
    • Binário: 173 Nm (motor térmico) + 240 Nm (motor elétrico). 300 Nm binário máximo
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: Caixa de variação contínua CVT
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4867 mm / 1852 mm / 1501 mm
    • Distância entre os eixos: 2850 mm
    • Bagageira: 383 l
    • Jantes / Pneus: Michelin Energy Saver — 215/60 R16
    • Peso: 1579 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 4,2 l/100 km
    • Emissões de CO2: 99 g/km
    • Vel. máxima: 187 km/h
    • Aceleração: 9,2s
  • Equipamento
    • Espelhos retrovisores exteriores eléctricos na cor da carroçaria, aquecidos, electrocromático
    • Pára-choques frontal e traseiro na cor da carroçaria
    • Faróis de nevoeiro com luzes de canto e pintado em high gloss com friso cromado
    • Ar Condicionado automático com controlo electrónico de temperatura duplo (DEATC)
    • Controlo ativo do ruído
    • Vidros eléctricos à frente e atrás com abertura/fecho de um só toque
    • Bancos dianteiros aquecidos e com ajuste lombar
    • Banco do condutor com ajuste eléctrico em 10 posições com memória
    • Sistema de chave inteligente (inclui Botão Ford Power)
    • Sistema de Navegação+Ford SYNC 3 com assistência de emergência e ecrã táctil de 8”
    • Aviso de Saída de Faixa (inclui assistência à manutenção de faixa)
    • Faróis máximos automáticos
    • Alerta de fadiga ao Condutor
    • Reconhecimento dos sinais de trânsito
    • Controlo automático de velocidade com limitador de velocidade
    • Faróis LED
Extras
Controlo automático de velocidade adaptativa ACC +assistência à pré colisão com detecção de peões (813 euros); Vidros escurecidos (122 euros); Pack Business [Sistema de estacionamento automático; sistema de navegação+SYNC 3+Sony CD+sistema de som premium+10 colunas e câmera de visão traseira] (1830 euros); Pack Driver [Cintos de segurança traseiros insufláveis; travagem activa em cidade, Sistema de detecção de ângulo Morto (BLIS), pára-brisas 'Quickclear' Aviso de Saída de Estrada] (1017 euros); Pack Couro Luxury com massagens [Estofos em couro micro-perfurado, Bancos multi contour com função de massagem nos bancos dianteiros, bancos do condutor e do passageiro com ajuste eléctrico em 10 posições e com memória, e bancos dianteiros climatizados] (1830 euros).
Avaliação
7 / 10
O Ford Mondeo Hybrid é um excelente familiar, e um bom ponto de partida para a ofensiva da Ford à eletrificação do automóvel. Há automóveis que é preciso conduzir para gostar, e o Ford Mondeo Hybrid foi um deles.
  • Equipamento de série;
  • Resposta do motor;
  • Consumos;
  • Conforto de rolamento.
  • Tato do pedal de travão;
  • Estética com alguns anos;
  • Capacidade da mala;
Sabes responder a esta?
A Ford Ranger Raptor foi inspirada em qual modelo?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Ford Ranger Raptor. Uma Pick-up americana em versão europeia

Mais artigos em Testes, Ensaio

Os mais vistos