Elétricos

Porsche. “Tesla não é uma referência para nós”

A Porsche prepara-se para lançar o Mission E, o seu primeiro elétrico em 2019. Apesar das características similares ao Tesla Model S, a Porsche distancia-se desse tipo de declarações.

O 70º aniversário da Porsche foi marcado pelo anúncio de um massivo investimento de seis mil milhões de euros que prometem levar a marca alemã para a era elétrica que se avizinha. Estes fundos permitirão à marca alemã eletrificar um terço do da sua gama até 2022, lançar dois novos modelos 100% elétricos e criar uma rede de carregadores rápidos.

O Mission E — nome do modelo de produção ainda não foi confirmado — será o seu primeiro automóvel 100% elétrico. Chega em 2019, promete muito mais do que 600 cv na sua versão mais potente, tração integral e acelerações capazes de rivalizar com superdesportivos, como os menos de 3,5s dos 0-100 km/h previstos atestam. A autonomia máxima deverá aproximar-se dos 500 km.

Números que não diferem assim tanto da outra berlina elétrica de elevadas prestações existente no mercado: o Tesla Model S. Mas a Porsche afasta-se dessas associações:

A Tesla não é uma referência para nós.

Oliver Blume, diretor executivo da Porsche
2015 Porsche Mission E detalhe

Para se diferenciar, a Porsche refere os tempos de carregamento, que serão muito mais rápidos do que qualquer outro potencial rival. Apenas 15 minutos bastarão para carregar 80% da bateria, quando equipado com o sistema elétrico de 800 V, tempo que sobe para os 40 minutos quando equipado com o sistema regular de 400 V.

RELACIONADO: Porsche. Postos de carregamento têm tecnologia portuguesa

Apesar das declarações da Porsche, os comparativos serão inevitáveis com o Model S da Tesla. No entanto, sabendo que o Porsche Mission E será mais pequeno que o Panamera, logo também será menor que o Model S, e terá um foco muito mais dinâmico — serão estas as razões para as declarações da Porsche? O preço do futuro Mission E, no entanto, está a ser equiparado ao do maior Panamera.

Investimentos

O Porsche Mission E já obrigou a um investimento de 690 milhões numa nova fábrica, em Estugarda, Alemanha, onde está a sua sede. O objetivo será o de produzir a nova berlina ao ritmo de 20 mil unidades anuais.

A nova plataforma, desenvolvida propositadamente para o efeito, servirá também para uma variante crossover, a qual foi antecipada pelo concept Mission E Cross Turismo que pudemos ver no último Salão de Genebra. O uso desta nova base dará também origem a pelo menos um futuro elétrico da Audi (e-tron GT) e, muito provavelmente da Bentley.

Uma parcela dos seis mil milhões de euros de investimento terão como missão tornar a Porsche numa líder em mobilidade digital no segmento premium. O que inclui a edificação de uma rede de carregamento rápido e o desenvolvimento de serviços conectados. A Porsche espera que estes últimos possam gerar 10% da receita da marca a médio-prazo, de acordo com Lutz Meschke, vice-presidente do conselho executivo.

Porsche Mission E Cross Turismo
Famosa, principalmente, pela sua faceta desportiva, a Porsche decidiu surpreender Genebra e mostrou um protótipo particularmente invulgar daquele que será o seu primeiro modelo 100% elétrico, o Mission E. Nome? Porsche Mission E Cross Turismo.

 

Sabes responder a esta?
Qual o Porsche mais rápido nos 0-100 km/h, segundo a Porsche

Mais artigos em Notícias