Ao volante

Ford Mustang 2.3 Ecoboost. É preciso ser perfeito?

O Ford Mustang 2.3 Ecoboost não é o melhor que os seus concorrentes (sejam eles quais forem...) em praticamente nenhum aspeto. E nem precisou de o ser para me conquistar... O Ford Mustang foi e continua a ser um dos automóveis que mais preenche o nosso imaginário.

Em Vendas Novas, Alentejo

O Ford Mustang 2.3 Ecoboost revelou ser a companhia ideal para um passeio descontraído entre a lezíria ribatejana e as portas do Alentejo. Depois do Volkswagen Golf GTE, foi o meu segundo teste em formato vídeo.

Como tentei explicar, não é um automóvel que nos brinde com demasiadas mordomias, mas também não nos trata mal. Longe disso…

O Ford Mustang 2.3 Ecoboost parece um amigo de longa data, com o qual já não fazemos cerimónias.

ford mustang 2.3 ecoboost
Dois cavalos e um cavaleiro do asfalto.

No interior, gostei do aspeto geral e dos detalhes. A qualidade dos materiais no interior não é fantástica (até este modelo faz melhor…), mas também não compromete o mérito do Mustang.

Comportamento dinâmico

Quanto à dinâmica, o Ford Mustang deixou finalmente de ser alérgico às curvas — já tem um chassis monobloco e uma suspensão traseira moderna. Não é o carro ideal para enfrentar uma estrada com a faca nos dentes, mas é sem dúvida o carro indicado para quem quer fazer uma condução dinâmica q.b ao melhor estilo GT.

ford mustang 2.3 ecoboost
O sonho americano a caminho de Vendas Novas.

É fácil de guiar em todas a situações, e a afinação das suspensões privilegia o conforto. A direção não é um compêndio de comunicação mas cumpre a sua função.

Motor 2.3 Ecoboost. V8 para quê?

O motor que equipa este Ford Mustang é o pequeno mas voluntarioso 2.3 Ecoboost de quatro cilindros em linha e 314 cv de potência. Sinceramente, chega e sobra. Além do mais, custa metade da versão V8 5.0 GT, consome menos e tem sempre binário disponível.

Perdemos a melodia encorpada do verdadeiro «músculo americano», mas não deixamos a carteira anorética. Se o dinheiro não for problema, comprem o V8. Mas quanto a mim, não vale mesmo a pena.

Desafio-te!

Desafio-te a encontrares um modelo novo, por menos de 50 000 euros, que tenha tanta presença em estrada como este Ford Mustang 2.3 Ecoboost. Quanto a mim, a resposta é clara: não há.

Há modelos mais desportivos, há modelos mais luxuosos, há modelos mais tecnológicos, mas com este design e presença em estrada, por menos de 50 000 euros, não me recordo de mais modelo nenhum.

Até o Sr. Romão ficou rendido ao Ford Mustang 2.3 Ecoboost.

O Sr. Romão [no vídeo em destaque] ainda pensou em trocar o seu carro pelo meu “avião” — nas suas palavras — mas não chegámos a acordo.
Cheguei ao final deste teste com a sensação que há carros que não precisam de ser perfeitos, basta serem aquilo que são. E ser um Ford Mustang é mais do que suficiente desde 1964. E ao que parece, assim vai continuar a ser…


NOTA FINAL: Queremos agradecer à Quinta da Saudade, em Canha (Montijo), pela cedência das instalações e empréstimo dos cavalos. Esperemos que tenhas gostado deste vídeo e que subscrevas o canal da Razão Automóvel no YouTube. O teu contributo é muito importante.

Ficha técnica
Ford Mustang 2.3 Ecoboost
Configurar este modelo

Preço

unidade ensaiada

49.647

Classificação Euro NCAP: 3 / 5

  • Motor
    • Arquitectura: 4 cil em linha
    • Capacidade: 2296 cc
    • Carregamento: Turbo + intercooler
    • Potência: 314 cv
    • Binário: 475 Nm
  • Transmissão
    • Tracção: Traseira
    • Caixa de velocidades: Manual 6 vel
  • Capacidade e dimensões
    • Peso: 1607 kg
  • Consumo e Performances
    • Vel. máxima: 232 km/h
    • Aceleração: 5,8 seg.
  • Equipamento
    • Jantes liga-leve
    • Sistema de infotainment
    • GPS
    • Cruise Control
    • Faróis automáticos
    • Ar-condicionado
    • Cruise-control adaptativo
    • Quadrante digital
    • Bancos ventilados
Avaliação
7 / 10
Cheguei ao final deste teste com a sensação que há carros que não precisam de ser perfeitos, basta serem aquilo que são. E ser um Ford Mustang é mais do que suficiente desde 1964. Nos próximos meses chega ao mercado nacional a versão facelift desta versão ensaiada, que também será alvo de um teste da Razão Automóvel.
  • Design
  • Motor disponível
  • Conforto de rolamento
  • Qualidade de alguns materiais
  • Direção pouco comunicativa

Mais artigos em Testes, Ensaio

Os mais vistos