Troféu Volante de Cristal

Carro do Ano 2018. Conhece os candidatos a Citadino do Ano

Dois japoneses, um sul-coreano, um alemão e um espanhol. Conhece todos os candidatos ao prémio Citadino do ano 2018 do Essilor Carro do Ano Volante de Cristal.

É um dos segmentos onde a escolha se afigura mais difícil. Todos os candidatos a concurso têm os seus trunfos, o que promete complicar a vida aos jurados. E mais uma vez, a Razão Automóvel integra o leque de publicações que faz parte do júri permanente do mais prestigiante prémio do setor automóvel em Portugal.

Terminados os testes de estrada, aqui ficam as nossas considerações sobre cada modelo a concurso, por ordem alfabética, na categoria Citadino do Ano 2018 do prémio Essilor Carro do Ano Volante de Cristal.

Kia Picanto 1.2 CCVT GT Line (84 CV) – 14 270 euros

Kia Picanto

O simpático Kia Picanto surge a concurso na sua versão mais aguerrida. Pela primeira vez na história deste modelo, é possível adquirir o Kia Picanto associado ao pack GT-Line. Uma linha de equipamento que se traduz num visual mais desportivo (jantes de 16 polegadas, grelha específica, luzes diurnas e traseiras em LED, ponteira de escape cromada, para-choques e saias laterais desportivas, a par de decoração interior específica).

Os mais distraídos à evolução dos modelos do segmento A ficarão surpreendidos pelo equipamento e espaço interior oferecido por este modelo (cruise-control, sistema de infoentretenimento , carregador USB, computador de bordo, etc). A opção pack de navegação (600 euros) inclui câmara traseira de auxílio ao estacionamento — dois equipamentos pouco convencionais neste segmento.

Quanto ao motor 1.2 MPI atmosférico de 84 cv e 122 Nm de binário, revela-se adequado às pretensões citadinas deste modelo (12 segundos dos 0-100 km/h), onde apenas senti falta de um pouco mais de força a baixas rotações — em estrada exige um pouco mais de paciência. Em termos de consumos, registámos médias em torno dos 5,5 l/100 km, com a marca a anunciar emissões de CO2 de 106 g/km.

Em termos de comportamento, destaco a agilidade do conjunto que se pauta pelos comandos de tato leve. Os preços do Picanto começam nos 11 820 euros da versão 1.0 LX e vão até aos 14 270 euros da versão 1.2 GT-Line a concurso.

Nissan Micra 0.9 IG-T N-Connecta – 16 700 euros

Nissan Micra

Partindo da base do antigo Nissan Micra, a marca nipónica operou uma autêntica revolução neste modelo. Eleito Carro do Ano em 1985, o Nissan Micra concorre ao mesmo galardão 33 anos depois.

Ao contrário daquilo que nos tinha vindo a habituar nas últimas duas gerações, este novo Micra aposta num design mais consensual, mas nem por isso menos arrojado. As cores vivas marcam não só o exterior, mas também o interior onde se destaca a profusão de plásticos e acabamentos que vão buscar ao exterior algum desse colorido.

A lista de equipamento é muito completa: sistema de chave inteligente, botão start-stop, sistema de infoentretenimento com ecrã de 7” + GPS, espelhos retrovisores com regulação elétrica, volante em pele, ar condicionado automático (versão a concurso), entre outros. A capacidade da bagageira conta com 300 litros de capacidade.

Ao volante, o Micra é dono de um comportamento são e previsível, com foco no conforto. Face a outros modelos do mesmo segmento, não tem uma dinâmica tão apurada nem é tão confortável, mas em compensação é significativamente mais barato. No interior, pese embora a lista de equipamento, há pormenores que denotam a simplicidade e a idade da plataforma em que está assente. No entanto, nada que invalide o mérito do modelo.

Em termos de motorização, a versão a concurso está associada ao conhecido motor 0.9 IG-T (de origem Renault), um bloco de três cilindros, 900 cm3 e 90 cv de potência. Um motor que se revela adequado ao trânsito em cidade mas limitado em trajetos maiores, onde os 140 Nm de binário máximo se revelam pouco ambiciosos.

Com quatro níveis de equipamento — Visia+, Acenta, N-Connecta e Tekna — os preços do Micra variam entre 15 400 e 18 200 euros para as unidades a gasolina, e 19 600 e 22 400 euros para os modelos Diesel.

Suzuki Swift 1.0 T GLX SHVS (111 CV) – 19 298 euros

Suzuki Swift

O Suzuki Swift vendeu 5 milhões e 400 mil unidades em todo o mundo de 2005 a 2016. Um sucesso de vendas assinalável, substanciado na forte presença da marca nos países asiáticos e mercados emergentes. E desde o ano passado que Suzuki tem vindo a crescer também na Europa, graças ao reforço tecnológico dos seus modelos.

Dos modelos a concurso nesta categoria, o Swift é dos que apresenta uma lista de equipamento de série mais extensa: computador de bordo, bancos dianteiros aquecidos, câmara de visão traseira, sistema de infoentretenimento com écran tátil, faróis de LED, sistema de navegação, controlo de velocidade adaptativo com limitador, climatizador automático e arranque sem chave, entre outros.

Em termos de motorização, o Swift está muito bem servido por um moderno motor 1.0 Turbo com 111 cv associado à tecnologia semi-híbrida SHVS — onde um pequeno motor elétrico auxilia o motor de combustão, tanto em acelerações, e no fornecimento de energia a vários sistemas elétricos e eletrónicos. Esta potência aliada ao baixo peso do conjunto traduz-se em consumos francamente baixos, abaixo dos 5,0 litros em estrada aberta e pouco acima dos 5,0 litros em cidade, bem como numa disponibilidade assinalável.

O «calcanhar de Aquiles» do Swift acaba por ser as dimensões da carroçaria face à concorrência, ao oferecer apenas 265 litros de capacidade de mala. Em termos dinâmicos também está uns furos abaixo das referências deste segmento, tanto em termos de estabilidade como em termos de conforto.

O PVP da versão de ensaio Essilor Carro do Ano 2018 é de 19 298 euros. Valor este que com as campanhas em vigor poderá chegar aos 16 265 euros.

SEAT Ibiza 1.0 TSI FR (115 CV) – 19 783 euros

SEAT Ibiza FR Portugal 2018

Comparado com a anterior geração, é mais largo, mas mais curto e baixo. O novo SEAT Ibiza apresenta medidas dignas quase do segmento acima: 4,059 m de comprimento, 1,780 m de largura e 1,444 m de altura (1,429 na versão FR).

A bagageira cresceu 63 litros, chegando a um volume total de 355 litros. Medidas que não são de estranhar pois o novo SEAT Ibiza recorre à mesma plataforma MQB (Modulare Querbaukasten), ainda que numa nova variante MQB-A0, que encontramos em modelos como o SEAT Leon, Volkswagen Golf, Passat, Audi A3 ou Skoda Superb.

O equipamento da versão a concurso (FR) é bastante completo, destacando-se as jantes de liga leve de 17 polegadas, o Perfil de Condução SEAT (Eco, Comfort, Sport e Individual), sistema de infoentretenimento com ecrã de 5 polegadas, volante multifunções, ar condicionado, sensores de chuva e luz, computador de bordo, espelhos retrovisores elétricos e retrácteis, bancos desportivos e um visual exterior condizente. Há no entanto um opcional que deveria ser de série: o Seat Full Link (que oferece o Apple CarPlay, o Android Auto e o Mirror Link, por 150 euros).

A apresentação do interior é cuidada, ergonómica e pese embora os materiais sejam na sua maioria duros ao toque, a montagem não merece reparos.

Quanto ao motor, o SEAT Ibiza foi o modelo do Grupo Volkswagen onde o motor 1.0 TSI de 115 CV de três cilindros casou de forma mais feliz. Além de ser progressivo, consegue imprimir ritmos interessantes: 195 km/h de velocidade máxima e 9,3 segundos dos 0-100 km/h. A SEAT anuncia um consumo médio de 4,7 l/100 km e emissões de 108 g/km de CO2, mas registámos um valor em torno dos 6,1 l/100 km em condições mistas.

Em estrada, dos modelos a concurso, o Ibiza é o que apresenta uma relação com a estrada mais intima. Curva com uma estabilidade assinalável sem prejudicar o conforto, sem que coloque em causa as suas apetências de pequeno familiar. Em termos de preço, a versão a concurso custa 19 783 euros.

Volkswagen Polo 1.0 TSI 95 CV Confortline – 18 177 euros

Volkswagen Polo 1.0 TSI confortline

 

O Volkswagen Polo venceu em 2010 o Essilor Carro do Ano/Troféu Volante de Cristal e ainda foi eleito, na altura, Utilitário do Ano. A sexta geração tenciona dar continuidade a uma carreira comercial que conta com mais de 14 milhões de unidades vendidas desde 1975, das quais 195 000 em Portugal. O Polo está agora mais comprido e mais baixo do que a geração anterior, e também é maior no interior.

O bloco TSI menos potente do novo Polo desenvolve uma potência de 95 CV. Os dados disponibilizados pela marca declaram uma aceleração dos 0 a 100 km/h em 10,8 segundos e uma velocidade máxima de 187 km/h. O consumo combinado indicado é de 4,5 l/100 km (CO2 de 101 g/km), mas no nosso ensaio dinâmico registámos 5,9 l/100 km em condições mistas.

Apesar da versão Confortline não ser das mais equipadas — o painel de instrumentos 100% digital Active Info Display é um dos opcionais —, o Polo compensa esse fator com uma qualidade de materiais e montagem de um segmento acima.

Ainda assim, podemos contar com limitador de velocidade, sistema de infoentretenimento com ecrã tátil, sistema Front Assist com função de travagem de emergência e sistema de deteção de peões, volante multifunções de três raios em couro e jantes de liga-leve “Sassari” 5.5J X 15, entre outros. A versão a concurso está disponível a partir de 18 177 euros.

Considerações finais

São cinco propostas muito competitivas, mas diferentes entre si. O Kia Picanto é das melhores propostas de segmento A do mercado. Outrora pautado por modelos que deixavam muito a desejar, o segmento A hoje oferece modelos muito capazes. O Picanto é a prova disso mesmo.

O Nissan Micra também é um produto com uma boa relação preço/qualidade, porém uns furos abaixo dos modelos que lideram as tabelas de vendas em Portugal. O Suzuki Swift é uma evolução muito significativa do modelo anterior. Bem equipado, com um excelente motor, tem na plataforma o seu ponto menos conseguido.

O SEAT Ibiza é a prova viva do bom momento de forma da marca espanhola. Sólido, bem equipado, espaço e com um motor competente. Finalmente, o Volkswagen Polo. Igual a si mesmo: mais austero em termos de equipamento do que a concorrência, menos arrojado em termos de design e bem construído como sempre nos habituou. Em estrada sente-se essa qualidade.

Os resultados do prémio Carro do Ano 2018/Troféu volante de Cristal serão divulgados no dia 1 de março.

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos