Antevisão

Citroën. Nova berlina para tomar o lugar dos C5 e C6

Foi da própria CEO da Citroën, Linda Jackson, que obtivemos a confirmação de um sucessor para os Citroën C5 e C6. Mas dos dois nascerá apenas uma nova berlina.

Apesar das vendas de berlinas de segmento D (não premium) estarem a cair na Europa ao ritmo de dois dígitos, a Citroën irá regressar ao segmento com uma nova proposta que tomará o lugar dos já extintos C6 e C5. Informação confirmada pela própria diretora executiva da marca francesa em declarações à Autocar.

O novo modelo ainda não tem data prevista de apresentação, com os rumores a apontarem para que o véu seja levantado ou em 2019, ou em 2020.

O que não vai ser é um novo C5. Mas vai haver uma nova berlina grande, porque ter uma na gama é uma parte crucial em ser-se um grande construtor; para ser credível precisamos de um alcance através de carros pequenos, médios e grandes, incluindo SUV. "
Linda Jackson, diretora executiva da Citroën

Agradeçam à China

A aposta numa nova berlina não parece lógica num segmento que diminui a cada ano que passa. Linda Jackson justifica a decisão com a procura esperada no gigante mercado chinês — que é também o segundo maior mercado para a Citroën.

A China, tal como o resto do mundo, também não resistiu aos encantos dos SUV e Crossover, mas o mercado de berlinas de grandes dimensões significa, ainda, um volume de vendas muito significativo e, também, margens de retorno elevadas.

A importância da China para a Citroën pode ser verificada com o C5 Aircross — o SUV “irmão” do Peugeot 3008 —, que iniciou a sua carreira em solo chinês em 2017, um ano antes de chegar ao mercado europeu.

2016 Citroën CXperience
Citroën CXperience

Inspiração CXperience

O concept CXperience, lançado em 2016, é o que temos de mais próximo do que poderá ser a futura berlina. Segundo Linda Jackson, o concept dá pistas para o futuro modelo de produção, apesar de admitir que o mesmo deverá evoluir.

Como todos os concepts, foi feito para medir reações, e o carro o evoluirá. Mas eu — e eu sei que sou parcial — adoro-o. Inspirará o carro de produção e deu uma visão de um topo de gama luxuoso sem nenhuns dos temas tradicionais de cromado, pele e madeira lacada.

O CXperience, até por destacar “CX” no seu nome, reverte para a história rica da marca em grandes berlinas. Tal como os antecessores, o design está longe de ser convencional, qualidade que deverá ser transposta para o futuro modelo de produção. A nova berlina adotará a linguagem dos atuais Citroën, mas numa versão mais madura e adulta que os mais lúdicos C4 Cactus, C3, C3 Aircross e C5 Aircross.

RELACIONADO: As suspensões hidráulicas da Citroën estão de volta

Conforto… nível avançado

A Citroën volta a apostar forte num capítulo que lhe é caro com a introdução do programa Advanced Comfort, onde, entre várias medidas, se destacam as Progressive Hydraulic Cushions, uma nova tecnologia de suspensões com batentes hidráulicos progressivos — será o regresso dos tapetes voadores? Solução que já equipa o C5 Aircross e também o renovado C4 Cactus — que perdeu os Airbumps…

Assim, além do estilo mais distinto e ousado dos seus concorrentes de desenho mais conservador, também poderá distinguir-se por níveis supremos de conforto — soa mesmo como uma grande berlina Citroën.

Nós temos a história e o ADN para construir carros únicos e gratificantes. Queremos que a CItroën seja uma marca atrativa, aspiracional e icónica, seja qual for o segmento em que opera.
Linda Jackson, diretora executiva da Citroën

Sabes responder a esta?
Qual foi o último Citroën a ser equipado com suspensão hidropneumática?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Citroën diz adeus à suspensão hidropneumática com o fim do Citroën C5

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos