Roborace

Humano vs máquina. Qual o mais rápido?

A Roborace, futura competição para carros autónomos, colocou o seu protótipo DevBot contra uma piloto humana. Qual foi o mais rápido?

O arranque do campeonato de Fórmula E, em Hong Kong, foi marcado por uma outra corrida, de contornos mais intrigantes: um duelo entre um carro autónomo e outro conduzido por um humano.

A Roborace será um campeonato para carros autónomos — um tema já tratado nas nossas páginas —, e 2017 deveria ser o primeiro ano deste campeonato. Como já deu para perceber, tal nunca chegou a acontecer, já que os tempos de desenvolvimento tiveram de ser prolongados.

Qual será o mais rápido?

Após algumas voltas de demonstração efetuadas durante este ano, chegou o momento da verdade. Conseguirá o Robocar ser mais rápido do que um humano em circuito? Nada melhor que colocar os dois em pista e tirar as teimas.

Robocar
Robocar

Ainda não com o futurista Robocar, que será o carro usado no campeonato, mas com um protótipo de desenvolvimento com base no chassis do Ginetta LMP3, o qual foi suprimido do seu V8 e recebeu, ao invés, quatro motores elétricos totalizando 760 cv.

O DevBot, como é chamado, ao contrário do Robocar, ainda mantém um lugar e comandos para que uma pessoa o possa conduzir — uma componente necessária ao seu desenvolvimento, onde o piloto poderá calibrar diversos parâmetros do carro ou “ensiná-lo” como conduzir em circuito.

O facto de ser conduzido permitiu a realização deste duelo. É possível, assim, comparar as prestações de ambos no mesmo carro, ou seja, o software de condução autónoma contra um piloto determinado — neste caso uma piloto, não profissional. Nicki Shields, a apresentadora de televisão britânica, conhecida pelas suas reportagens na Fórmula E, teria de demonstrar a (ainda) superioridade humana sobre a máquina.

Nicky Shields no interior do DevBot
Nicky Shields no DevBot

Humanos 1 — Máquinas 0

Nos 1,86 km de extensão do circuito urbano de Hong Kong, o melhor tempo alcançado por Nicki Shields foi de 1 minuto e 26,6 segundos. O DevBot? Não foi além dos 1 minuto e 34 segundos. 

Relembremos o facto do Shields não ser uma piloto profissional e teve oportunidade de realizar mais duas voltas que o DevBot, para se acostumar ao carro e circuito, mas o DevBot foi mais consistente nos tempos efetuados, revelando a eficácia do seu software, radares e sensores.

Noutro duelo semelhante, efetuado há umas semanas atrás, Valentino Rossi enfrentou a Motobot da Yamaha, saindo vitorioso. Os humanos ainda são os mais rápidos em pista. Mas até quando?

RELACIONADO: Se os carros autónomos vão chegar em breve, o que vai acontecer ao volante?

Velocidade, precisa-se.

Segundo os engenheiros por detrás do Robocar e do DevBot, este último é capaz de igualar a performance dos Fórmula E em circuito, o que significa que ainda existe uma margem de progressão de imensos 30 segundos relativamente ao tempo alcançado neste duelo.

Desde o seu nascimento, o Max Verstappen precisou de 17 anos para ganhar uma corrida de Fórmula 1. Nós estamos a tentar chegar a esse nível — torná-lo tão bom com os melhores pilotos de Fórmula 1 — num período mais curto.

Victoria Tomlinson, porta-voz Roborace
DevBot

 

 

Sabes responder a esta?
Em que ano deixou de ser produzido o Land Rover Defender?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

É o fim. Land Rover Defender deixa de ser produzido hoje…

Mais artigos em Notícias