Curiosidades

Qual é o motor de combustão mais vendido do mundo?

No próximo encontro de amigos, depois de falarem de futebol, política e religião (nós homens nunca falamos de mulheres... nunca!), quando o assunto for parar aos motores, puxa deste trunfo: qual é o motor de combustão mais vendido do mundo? Ninguém vai saber responder.

É uma pergunta que já deves ter feito a ti mesmo algumas vezes. Qual é o motor de combustão mais vendido do mundo? Aqui na Razão Automóvel ninguém sabia a resposta. Obrigado Google…

Sinto-me com sorte. Adoro aquele botão.

Por aqui, pensámos no Volkswagen Carocha, no Toyota Corolla, porém estávamos todos longe da resposta correta. Eu ainda disse em voz alta “deve ser um Honda”, porque a marca nipónica é o maior construtor mundial de motores a gasolina, mas disse-o sem qualquer convicção. E em abono da verdade estava longe de adivinhar…

Chega de suspense. O motor de combustão mais vendido do mundo não pertence a um automóvel, pertence a um motociclo: a Honda Super Cub.

motor de combustão
Aquele tímido motor monocilíndrico a 4 tempos é o motor de combustão mais vendido de sempre.

Já que falamos na Honda Super Cub vale a pena dizer que este motociclo alcançou este ano as 100 milhões de unidades produzidas desde 1958, ano em que foi lançada a primeira geração.

Mais um pouco de história?

Vamos a isso! Já que aqui estás vamos ao fundo da questão. Quando a Honda Super Cub foi lançada em 1958, o mercado dos motociclos de baixa cilindrada era dominado pelos motores a dois tempos — e mesmo as motas de alta performance eram todas a dois tempos. Se como eu, também cresceste no interior do país, algures durante a tua infância também deves ter andado numa Casal ou numa Famel. Eram motores mais ruidosos, mais poluentes mas menos complexos e mais espevitados. Na década de 60, os motores a quatro tempos ainda eram rocket science no mundo das duas rodas.

Quando a Honda lançou a Super Cub equipada com um pequeno motor monocilíndrico a quatro tempos refrigerado a ar foi uma «pedrada no charco». Este motor era à «prova de bala» e não carecia de praticamente manutenção nenhuma. Não consumia praticamente gasolina nenhuma e a embraiagem centrifuga também contribuiu para conquistar mais clientes. Só vantagens, portanto.

Mas não foi só graças ao motor que a Honda Super Cub ganhou o estatuto que tem hoje. A sua ciclística também escondia muitas vantagens. O baixo centro gravítico, a acessibilidade mecânica e a capacidade de carga são trunfos que perduram até aos dias de hoje. Se já visitaste algum país asiático, certamente que já quase foste atropelado por uma.

Foi esta moto que colocou a «Ásia sobre rodas». E não estou a exagerar!

Fiel ao conceito original

O conceito original da Honda Super Cub é tão genial que após 59 anos de produção, a Honda praticamente não mexeu na fórmula. O motor monocilíndrico a quatro tempos ainda hoje conserva a arquitetura original. A maior mudança em termos tecnológicos aconteceu em 2007, quando a Honda Super Cub adoptou pela primeira vez o sistema de injeção eletrónica de combustível PGM-FI em detrimento do velhinho carburador.

Na prática a Honda Super Cub é quase como o Porsche 911 só que não tem nada a ver… adiante!

A última evolução do pequeno mas fiável motor da Honda Super Cub.

O sucesso continua até aos dias de hoje. A Honda Super Cub é produzida atualmente em 15 países e é vendida em 160 mercados a nível global. Por cá, a nossa «Honda Super Cub» chama-se Honda PCX. Os espelhos retrovisores do vosso carro já devem ter tido um encontro imediato com uma destas…

Mais um facto interessante

Gostas do novo Honda Civic? Sonhas com uma CBR 1000RR e vibras com as vitórias do Marc Marquez no MotoGP? — não mencionei a Fórmula 1 por motivo óbvios… Então agradece à Honda Super Cub.

59 anos depois, pouca coisa mudou.

Além de ser a portadora do motor de combustão mais vendido do mundo, foi durante muitos anos a «galinha dos ovos de ouro» da Honda. Vamos lá regressar ao passado mais uma vez. Caramba que esta crónica nunca mais acaba! Juro que o plano era escrever só três parágrafos…

A «salvadora» da Honda

No final da década de 80, a Honda atravessava um dos melhores períodos da sua história. Em todas as frentes de negócio (automóveis, motociclos, motores de trabalho, etc.) as coisas corriam de feição à marca japonesa. Até que Soichiro Honda, fundador da marca, morreu — estávamos em 1991.

Soichiro Honda
Soichiro Honda, fundador da marca.

Não foi um drama, mas foi o suficiente para a Honda ser «apanhada» pelos seus principais concorrentes. O Civic e o Accord deixaram de vender o que vendiam (principalmente nos EUA), e os lucros desceram abruptamente. Nesta altura menos feliz, valeu à marca nipónica a humilde Honda Super Cub.

Como se diz no Alentejo, “até da pior moita sai o melhor coelho”, não é verdade? Em japonês não faço ideia o que se diz, mas eles são como os alentejanos: têm ditados para tudo! E por acaso há uma frase de Soichiro Honda que me diz muito:

“My biggest thrill is when I plan something and it fails. My mind is then filled with ideas on how I can improve it.”
Soichiro Honda

Tem sido assim com a Razão Automóvel. Foi graças a muitos falhanços que hoje estamos no TOP 3 dos portais de automóveis mais lidos em Portugal. Somos júri do Carro do Ano em Portugal, e somos os únicos representantes nacionais no World Car of The Year. BAZINGA!  E brevemente vamos lançar um canal de Youtube, mas ainda ninguém sabe! E ninguém lê estes textos até ao fim portanto, acho que vai continuar no «segredo dos deuses».

Mas se fores um dos poucos leitores que estourou cerca de três minutos de vida a ler esta crónica deixa-me dizer-te o seguinte: é imperdoável ainda não seguires a Razão Automóvel no Instagram — agora é aquela parte em que tu segues este link (vá… não custa nada!).

PS: Também pode seguir o meu Instagram pessoal aqui, mas não tem grande interesse.

Sabes responder a esta?
Na minha opinião, o melhor carro do mundo é um:
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Qual é o melhor carro do mundo?
Em cheio!!
Vai para a próxima pergunta

ou lê o artigo sobre este tema:

Qual é o melhor carro do mundo?

Mais artigos em Crónicas

Os mais vistos

Pub