Todo-o-terreno

Mini JCW ataca o Dakar 2018, pela primeira vez, em duas frentes

Com a partida já no horizonte, a Mini acaba de apresentar a sua nova arma para o Dakar 2018 - o JCW Buggy e Rally, com tração integral e traseira.

Depois de um Dakar 2017 com sabor amargo, em que o Mini melhor classificado terminou no sexto posto (pilotado pelo argentino Orlando Terranova), a marca britânica do BMW Group acaba de dar a conhecer, aquela que será a sua nova arma para o Dakar 2018 — o buggy John Cooper Works. Que, mais uma vez a cargo da equipa X-Raid e elaborado em duas variantes distintas entre si no sistema de tração, promete voltar a apontar ao topo. Assim o permitam os adversários…

Mini Dakar 2018

Depois da vitória conseguida em 2012, 2013, 2014 e 2015, a Mini quer voltar a sentir, em 2018, a alegria do triunfo, naquela que é mais famosa prova de todo-o-terreno do mundo. Desta feita, fazendo alinhar uma nova interpretação daquele que tem sido o Mini para o Dakar – concebida segundo um conceito mais “francês” de buggy (quem não se lembra das criações de Schlesser?…), traduzido em duas variantes ambas denominadas John Cooper Works, embora distintas entre si no sistema de tração. Uma das quais, intitulada Rally, está equipada com tração integral, enquanto a outra, denominada Buggy tem tração traseira.

Relacionado: Peugeot 3008DKR MAXI. Será este o novo «Rei do Dakar»?

A explicar esta opção, as regras muito especificas do Dakar, que permitem aos modelos de apenas tração traseira exibir uma maior altura ao solo e rodas maiores, além de um menor peso. Objetivo, neste caso, alcançado graças à utilização de uma estrutura tubular envolvida em plástico reforçado com fibra de carbono, e painéis em Kevlar.

Dakar 2018: Mini promete potência… e fiabilidade

Quanto ao motor, trata-se de um seis cilindros em linha a gasolina, 3,9 litros, que, recorrendo à tecnologia de sobrealimentação BMW TwinPower, anuncia 340 cv de potência e 800 Nm de binário. Argumentos que não deixam de ter o seu peso, ainda que, mais importante do que a velocidade no Dakar, é a resistência…

Contudo, é o próprio diretor da X-Raid, Sven Quandt, quem revela que, durante os testes realizados tanto em Marrocos como na Hungria, “os nossos Minis nunca foram obrigados a parar devido a problemas técnicos”. Deixando logo aí a certeza de que não será pela fiabilidade que os novos carros poderão falhar, este ano, o pódio. Aspeto que, considera o mesmo responsável, não deixa de ser “verdadeiramente notável”.

Mini Dakar 2018

Recorde-se que a nova armada Mini vai ser uma das equipas à partida para o Dakar 2018, cujo arranque está agendado para o dia 6 de janeiro de 2018, no Perú. Com os concorrentes, entre os quais a campeã em título Peugeot, a cumprirem cerca de 5 500 quilómetros, não somente por território peruano, mas também pelos traçados da Bolívia e da Argentina.

Sabes responder a esta?
Qual a percentagem de crescimento do mercado mundial de eléctricos só este ano?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Vendas de elétricos sobem 63%. A culpa é da China…

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos