24 Horas TT da Vila de Fronteira

Desafio Total Mazda continua em 2018. Mas com Fronteira a reduzida a “quatro ou cinco horas”

A cumprir 10 anos existência nas 24 Horas de Fronteira, o Desafio Total Mazda está bem e recomenda-se. Razão pela qual vai continuar para o ano.

Troféu promovido pela Mazda e pela petrolífera Total, o Desafio Total Mazda cumpriu, em 2017, a sua décima edição. Consagrando, precisamente nas 24 Horas de Fronteira, última prova da temporada, Pedro Dias da Silva e José Janela, piloto e navegador da equipa PRKSport. Onde, aliás, a marca automóvel japonesa anunciou a continuação do troféu em 2018, ainda que em moldes ligeiramente diferentes. Nomeadamente, com Fronteira reduzida a apenas “quatro ou cinco horas”.

Numa cerimónia que serviu não só de despedida da época que agora termina, com a natural consagração dos novos campeões, mas também de promessas para a nova época que se avizinha, coube a José Santos, principal responsável pelo Desafio Total Mazda, anunciar que o troféu vai voltar a realizar-se em 2018. “Ainda que num formato ligeiramente diferente”.

Desafio Total Mazda

“Apesar da festa que Fronteira é, a verdade é que esta é uma prova cara, em que os carros são submetidos a um desgaste intenso, e que fazia sentido quanto corríamos com as pick-ups. Mas que já não faz desde que adoptámos a carroçaria do CX-5. Como tal, este será o último ano em que veremos os carros do Desafio Mazda a fazer a totalidade das 24 Horas de Fronteira. Sendo que, pelo menos no próximo ano, a nossa ideia é participar, embora em moldes ligeiramente diferentes. Ou seja, fazendo apenas quatro ou cinco horas de prova. Vinte e quatro horas em prova é que, de certeza, não será”, afirma José Santos.

Por outro lado, no horizonte está também “a possibilidade de participarmos em mais provas do Nacional de Todo-o-Terreno”. Com a certeza, desde já, de que “faremos pelo menos quatro provas. Sendo que os pilotos que o desejarem, poderão fazer mais, cinco ou seis”.

Relacionado: A Razão Automóvel nas 24 Horas de Fronteira. Já chegámos!

Aliás e sobre o número de participantes, o também director do Pós-Venda e Desenvolvimento de Rede defendeu que “queremos ter, no próximo ano, mais pilotos a participar, do que os 10 que tivemos este ano”. Ficando a garantia de que “manteremos o valor global do prémio nos 50 mil euros”, ainda que o regulamento final para o próximo ano só possa ser anunciado no final de janeiro, princípio de fevereiro, depois de aprovado pela FPAK. Que, refira-se, também marcou presença no evento em plena tenda da Mazda, nas 24 Horas de Fronteira.

Desafio Total Mazda: Campeão promete voltar para o ano

Já virtual campeão, o piloto da PRKSport, Pedro Dias da Silva, não podia deixar de fazer um balanço positivo da época que agora termina, reconhecendo que “correu muito bem. Tínhamos um carro novo, fizemos quatro provas, das quais vencemos três. Sendo que, a quarta, fomos forçados a desistir numa altura em liderávamos e éramos dos mais rápidos”.

Desafio Total Mazda

Quanto à próxima temporada e apesar das alterações agora anunciadas, Dias da Silva garante que, “se o José Janela tiver disponível e quiser aceitar o desafio, cá estaremos novamente. Não somente para fazer o Desafio Mazda, mas, se possível, todas as provas do Campeonato Nacional. Até porque, esta época, fomos também os quartos mais rápidos, ex-aequo com os terceiros, na categoria T1.”

De resto e relativamente ao protótipo com carroçaria CX-5, “está muito bem, muito competitivo, especialmente a partir de Portalegre. Pelo que apenas vamos fazer algumas alterações, cirúrgicas, devido aos novos regulamentos do Campeonato do Mundo. Nomeadamente, no peso e na suspensão, de forma a torná-lo ainda mais competitivo.”

Fica a promessa: o campeão vai voltar…

Sabes responder a esta?
Qual o tempo de carregamento estimado pela Honda para os seus novos elétricos?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Honda anuncia elétricos. A boa notícia é que carregam em 15 minutos

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos