Aniversário

Mazda celebra 50º aniversário da introdução do motor rotativo

O Mazda Cosmo Sport, apresentado em 1967, foi o primeiro modelo da marca a fazer uso do motor sem os tradicionais êmbolos.

O motor Wankel estará para sempre associado à Mazda. Foi esta marca que o amadureceu, quase em exclusivo, ao longo das últimas cinco décadas. E esta semana celebra-se exactamente os 50 anos desde o início da comercialização do Mazda Cosmo Sport (110S fora do Japão), que foi não só o primeiro desportivo da marca nipónica, como também foi o primeiro modelo a recorrer a um motor rotativo com dois rotores.

1967 Mazda Cosmo Sport e 2015 Mazda RX-Vision

O Cosmo veio a definir uma parte importante do ADN da marca. Foi ele o antecessor de modelos tão emblemáticos como o Mazda RX-7 ou o MX-5. O Mazda Cosmo Sport, era um roadster com arquitectura clássica: motor longitudinal frontal e tração traseira. O Wankel que equipava este modelo era um bi-rotor com 982 cm3 com 110 cavalos, que subiu para 130 cv com o lançamento, um ano depois, da segunda série do modelo.

Os desafios do motor Wankel

Grandes desafios tiveram de ser ultrapassados para tornar o Wankel numa arquitectura viável. Para demonstrar a fiabilidade da nova tecnologia, a Mazda decidiu participar com o Cosmo Sport, em 1968, numa das provas mais duras existentes na Europa, as 84 horas – volto a repetir -, as 84 Horas Marathon de la Route no circuito de Nürburgring.

Entre os 58 participantes, estavam dois Mazda Cosmo Sport, praticamente de série, limitados a 130 cavalos para potenciar a durabilidade. Um deles chegou ao final, terminando em 4º lugar. O outro abandonou a prova, não por falha do motor, mas devido a um eixo danificado após 82 horas em prova.

Mazda 50º aniversário do motor Wankel

O Cosmo Sport teve uma produção de apenas 1176 unidades, mas o seu impacto na Mazda e nos motores rotativos foi fundamental. De todos os construtores que compraram licenças à NSU – o construtor alemão de automóveis e motos -, para usar e desenvolver a tecnologia, apenas a Mazda encontrou sucesso no seu uso.

Foi este modelo que iniciou a transformação da Mazda de um construtor predominante de automóveis pequenos e veículos comerciais para uma das marcas mais excitantes da indústria. Ainda hoje a Mazda desafia convenções ao nível da engenharia e design, sem receio de experimentar. Seja pelas tecnologias – como a mais recente SKYACTIV -, seja pelos produtos – como o MX-5, que recuperou com grande sucesso o conceito dos pequenos e acessíveis sportscars da década de 60.

Que futuro para o Wankel?

A Mazda já produziu quase dois milhões de veículos equipados com motorizações Wankel. E fez história com eles até na competição. Desde o domínio no campeonato IMSA com o RX-7 (na década de 80), até ao triunfo absoluto nas 24 Horas de Le Mans (1991), com o 787B. Um modelo equipado com quatro rotores, totalizando 2.6 litros, capazes de debitar mais de 700 cavalos. O 787B fica para a história não só por ser o primeiro carro asiático a vencer a lendária prova, assim como o primeiro equipado com um motor rotativo a conseguir tal feito.

Após o fim de produção do Mazda RX-8 em 2012, deixou de haver na marca propostas com este tipo de motor. O seu regresso tem sido anunciado e desmentido múltiplas vezes. No entanto, parece que é desta que poderá regressar (ver o link acima).

1967 Mazda Cosmo Sport

Mais artigos em Clássicos

Os mais vistos