Apresentação

Polestar 1. Revelado o primeiro “AMG” da Volvo

Abram alas para o Polestar 1, o primeiro modelo da nova marca sueca do universo Volvo é um coupé híbrido plug-in de 600 cv, capaz de 150 km de autonomia em modo elétrico.

Após aquisição por parte da Volvo em 2015, a Polestar viu recentemente o seu estatuto subir de mera preparadora para marca de automóveis autónoma.

Consumado o upgrade dentro da Volvo Car Group, conhecemos agora o seu primeiro modelo, denominado simplesmente Polestar 1 - ou não fossem os suecos conhecidos pelo seu minimalismo.

Minimalismo só no nome

Para compreender o papel da Polestar no seio do grupo sueco, ela está para a Volvo como a AMG está para a Mercedes-Benz - mas deverá ser dada mais independência à Polestar.

Como se pode observar, o Polestar 1 não ostenta nenhum símbolo da Volvo, ao contrário do, por exemplo, Mercedes-AMG GT. E este novo modelo não tem paralelo na gama atual da marca sueca - o primeiro modelo da Polestar é um coupé híbrido de elevadas performances. Vamos conhecê-lo melhor?

Polestar 1

Não é um Volvo Coupe Concept?

O Polestar 1 parece-vos familiar? Não admira. É mesmo a “cara” do Volvo Coupe Concept conhecido em 2013 – o concept que nos deu a conhecer a nova identidade da Volvo. Na altura a marca sueca não tinha intenções de colocar em produção o aclamado concept, apesar dos muitos apelos. Parece que encontraram uma forma de o colocar na estrada.

Não é um Volvo, é um Polestar

Não vem com o símbolo Volvo, mas pouco interessa. Na passagem para a produção não se parece ter perdido nada do que nos fez apreciar o concept original. O símbolo na frente pode até ser a estrela da Polestar, mas os elementos visuais são claramente Volvo: a assinatura luminosa “Martelo de Thor”, as óticas traseiras em duplo “C” - como no S90 - até o formato da grelha que é preenchida de forma distinta.

Concordemos ou não com esta decisão, felizmente o modelo que lhe serviu de base continua a ser, ao fim destes anos todos, bastante atual e apelativo. Aspecto compacto, proporções convincentes, e superfícies controladas e bem definidas, como os mais recentes modelos da marca sueca - mas com uma tónica claramente mais desportiva. Repare-se no tratamento específico da grelha dianteira ou no desenho das jantes.

Do exterior para o interior

A mesma história no interior. Não fosse o símbolo no volante e ninguém duvidaria de estar ao volante de um Volvo. O Polestar 1, no entanto, distingue-se pelos materiais usados, como revestimentos em fibra de carbono, e opções cromáticas.

Polestar 1

Parte Volvo, parte Polestar

Debaixo da sua esbelta carroçaria encontramos a plataforma modular SPA – a mesma que podemos encontra no XC90, XC60, S90 e V90 – ou pelo menos parte. A plataforma sofreu extensas alterações pelos engenheiros da Polestar, de tal forma que partilha apenas 50% dos componentes.

Outra diferença relativamente aos Volvo reside na carroçaria que é em fibra de carbono. Não só permite reduzir o peso total do conjunto, como permitiu aumentar a rigidez torcional em 45%. Outro dado curioso: a repartição de peso é de 48% à frente e 52% atrás. Isto promete…

Para diferenciar a sua condução dos restantes Volvo, o Polestar 1 estreia a Continuously Controlled Electronic Suspension (CESI) da Öhlins -sim, uma das marcas de suspensões mais reconhecidas na competição motorizada - que monitoriza as ações do condutor e as condições da estrada, ajustando-se de forma contínua. O eixo traseiro eletrificado também permite a vetorização do binário e os travões provém da Akebono.

Híbrido plug-in com maior autonomia elétrica de sempre – 150 km

Vamos a números (finalmente!). O Polestar 1 é um híbrido do tipo plug-in. O que é o mesmo que dizer que vem com um motor de combustão interna e dois elétricos de ligar à corrente. O motor térmico é o já conhecido quatro cilindros em linha 2.0 Turbo da Volvo, que vai motorizar exclusivamente o eixo dianteiro. O eixo traseiro será motorizado por dois motores elétricos, um por roda. No total, o Polestar 1 debita 600 cv e 1000 Nm de binário! Teremos de aguardar mais um pouco para ver como esses números se traduzem em prestações.

Polestar 1

Este híbrido permite deslocarmo-nos de modo totalmente elétrico e ao contrário do que temos visto em outras propostas, que oferecem na melhor das hipóteses 50 km de autonomia 100% elétrica, o Polestar 1 garante até 150 km de autonomia elétrica máxima, equivalente ou até melhor que alguns modelos 100% elétricos recentes.

Definitivamente sueco, mas produzido na China

Todos os Polestar serão construídos numa nova unidade de produção em Chengdu, na China. Porquê na China? Não só a Polestar e Volvo pertencem à chinesa Geely, como a China em si é atualmente o principal impulsionador da mobilidade elétrica. Será a Polestar a servir de porta-estandarte para as tecnologias relativas à mobilidade elétrica e também de conectividade.

Polestar Production Centre, Chengdu, China

Não o podes comprar

O futuro do automóvel deverá passar, não pela sua aquisição, mas pela subscrição de um serviço. Será precisamente esta a única forma que poderemos ter acesso ao Polestar 1 - um serviço de subscrição, com a duração de dois ou três anos, sem depósitos e com valor único mensal.

Os modelos da Polestar serão encomendados online e entre os serviços disponíveis nesta subscrição estão o levantamento e entrega do veículo, a sua manutenção, um assistente via telefone, e até a possibilidade de usufruir de outros modelos da Polestar ou Volvo. O nosso smartphone pode ser usado como chave para aceder ao veículo e podemos partilhar o Polestar 1 com outros graças a uma “chave virtual”.

Polestar 2 e 3 já vêm a caminho

O Polestar 1 será o único híbrido da nova marca. Os futuros modelos serão 100% elétricos e a marca já anunciou pelo menos dois. O Polestar 2 será uma berlina concorrente do Tesla Model 3, chegará em 2019, e será o primeiro elétrico do Volvo Car Group. O Polestar 3 será um incontornável SUV, também 100% elétrico.

Mais artigos em Notícias