Volvo V90 Cross Country: ao volante da pioneira do segmento

Não é um SUV, mas também não é uma carrinha convencional. É uma Volvo V90 Cross Country, o modelo que inaugurou o sub-segmento das carrinhas premium aventureiras.

Antes de começar a escrever sobre a nova Volvo V90 Cross Country, convido-vos a fazer uma breve viagem pela história do conceito Cross Country.

Corria o ano de 1997 quando a Volvo apresentou a V70 Cross Country, a primeira carrinha executiva com aptidões todo-o-terreno – o equivalente a combinar um smoking com umas botas de montanha… e resultar! Hoje, este cruzamento de conceitos não espanta ninguém, mas há 20 anos representou uma verdadeira «pedrada no charco». A V70 Cross Country preservava todas as qualidades reconhecidas às carrinhas suecas, mas adicionava-lhe tração integral, proteções em toda a carroçaria e um look mais aventureiro. O sucesso foi tão grande que atualmente quase todas as marcas premium replicam a fórmula Cross Country inaugurada pela Volvo.

Volvidas duas décadas, chega ao mercado nacional a Volvo V90 Cross Country, a herdeira deste legado de conforto e segurança salpicado de lama.

Um lançamento que se reveste de especial importância em Portugal porque o conceito Cross Country é um verdadeiro caso de sucesso em terras lusas. A percentagem de vendas das versões Cross Country em Portugal é superior à da maioria dos mercados europeus.

Sensação de poder

É quase inevitável não sentir algum desprimor pela maioria do parque automóvel quando estamos ao volante de uma carrinha destas dimensões. São quase duas toneladas de carro (1.966 kg em ordem de marcha) distribuídos por 4,93 metros de comprimento. É muito carro.

Dimensões que parecem não pesar ao motor D5 da Volvo. Esta motorização – que pertence à mais recente família de motores do construtor sueco – apresenta-se nesta versão com 235 cv de potência e 485 Nm de binário máximo (disponível logo às 1.750 rpm). A potência é entregue às quatro rodas por intermédio de uma caixa Geartronic de 8 velocidades.

A aceleração dos 0-100 km/h cumpre-se em escassos 7,5 segundos e a escalada de velocidade só termina quando o ponteiro marca 230 km/h. Eu disse que as duas toneladas não lhe pesavam…

A facilidade com que alcançamos velocidades de cruzeiro acima dos limites legais obriga a atenções redobradas ao velocímetro, principalmente em autoestrada – vale a preciosa ajuda do head-up display que projeta a velocidade no nosso campo de visão. Na imagem:

Volvo V90 Cross Country

Conforto absoluto

Bom trabalho Volvo. À semelhança dos restantes modelos da Série 90, esta Volvo V90 Cross Country também é um tapete rolante. A plataforma SPA – Scalable Product Architecture – e as suspensões (triângulos sobrepostos à frente e multilink atrás) lidam com as 2 toneladas de forma impressionante.

Apesar da superior altura ao solo desta versão Cross Country, o comportamento dinâmico não ficou comprometido. É um Volvo.

Volvo V90 Cross Country

Naturalmente, não é a escolha ideal para quem quer atacar uma estrada de forma “apressada” (para isso existem outros modelos e outras versões), mas é a escolha acertada para quem acha que a viagem não acaba quando termina o alcatrão. Desde que não se abuse dos ângulos em todo-o-terreno (a V90 tem uma chapa de proteção na dianteira para proteger o motor), o sistema de tração integral não desilude em nenhuma situação – nem quando cruzamos os eixos.

Nas descidas mais íngremes podemos sempre contar com o sistema HDC (Hill Descent Control), que controla a velocidade em descida. Quase que aposto que ninguém o vai usar, mas caso seja necessário está lá.

Abandonando a terra (ou a neve) e voltando às estradas nacionais, a Volvo V90 Cross Country transforma o «longe» em «perto», graças à velocidade com que despacha quilómetros e ao conforto com que nos transporta, fruto da excelente ergonomia dos bancos e da ótima posição de condução – do melhor que existe na indústria automóvel.

Para este conforto e serenidade ao volante contribuem bastante os sistemas de apoio à condução, nomeadamente o Pilot Assist e o Adaptive Cruise Control. Dois sistemas que trabalham em conjunto para simplificar (imenso) a condução quando nos apetece fazer tudo menos… conduzir.

O Volvo V90 Cross Country acelera, trava e mantém-nos na faixa de rodagem de forma semi-autónoma – apenas exigindo as nossas mãos no volante – funcionando de forma especialmente eficiente em autoestrada.

Senhoras e senhores, Bowers & Wilkins.

Vale a pena dedicar mais umas linhas sobre as sensações a bordo da Volvo V90. Sensações que não se esgotam naquelas que nos chegam por intermédio do volante…

Esqueçam o mundo lá fora, escolham a vossa banda favorita e liguem o sistema de som desenvolvido pela Bowers & Wilkins. Simplesmente soberbo! Entre os vários modos disponíveis há um que recria a acústica da sala de concertos de Gotemburgo. O sistema Sensus da Volvo (na imagem abaixo) é compatível com Apple CarPlay, Android Auto e aplicações como o Spotify.

Não sei como é que soa a sala de concertos de Gotemburgo, mas se for como a Volvo V90, sim senhor! Um gáudio para os audiófilos mais exigentes. Selecionem a cidade de Gotemburgo no sistema GPS, liguem o cruise-control e boa viagem…

Podia dedicar mais algumas palavras ao minimalismo sueco, ao requinte e à seleção criteriosa dos materiais do interior desta V90, mas seria «chover no molhado». Estamos a falar de uma carrinha executiva que na sua versão base custa mais de 60.000 euros. Ninguém espera menos que isso de uma marca premium e nesse campo a V90 acompanha a concorrência alemã taco-a-taco.

Defeitos? Não ter Guilherme Costa escrito no livrete.

teste Volvo V90 Cross Country

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Mais artigos sobre Testes

Pub