O passado e o presente da Opel está a caminho do Techno Classica

Desde um modelo da Segunda Guerra Mundial ao novo Insignia Grand Sport. «Os topo de gama da Opel» é o mote da coleção de clássicos (e não só) que a Opel vai apresentar durante a próxima semana.

Todos os anos, o Salão Techno Classica recebe alguns dos mais raros e apaixonantes clássicos da indústria automóvel. A Opel vai aproveitar a 29ª edição do certame, que decorre mais uma vez em Essen, na Alemanha, para exibir alguns dos modelos de grande porte mais importantes da sua história.

O mais antigo é o icónico Admiral (em baixo), apresentado no longínquo ano de 1937, em vésperas da Segunda Guerra Mundial.

Durante a Segunda Grande Guerra, a Opel teve de suspender a sua produção e só depois voltou ao ativo com modelos como o Rekord e o Kapitän (1956), este último especialmente importante por ter sido o modelo número 2 milhões saído das linhas de produção da marca.

GLÓRIAS DO PASSADO: Esta é a história das carrinhas da Opel

A viagem no tempo continua com o Diplomat A (1968) e o Admiral (1970), numa altura em que a Opel se aproximava já das 10 milhões de unidades produzidas. Mais tarde, em 1978, o Senator A tornou-se no primeiro modelo da marca com uma suspensão traseira independente.

Por fim, o novo Opel Insignia Grand Sport fará a ponte entre o passado e o presente da marca alemã. O Salão Techno Classica  decorre entre os dia 5 e 9 de abril.

opel techno classica

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Mais artigos em Notícias