Antevisão

Alpine A110. Versão mais potente poderá ter o cunho da AMG

Ainda fresco da apresentação em Genebra, já se discute a variante mais potente do Alpine A110. E com uma eventual ajuda (pouco provável) da AMG.

O Alpine A110 está a gerar imensas expectativas. Ainda estamos longe da sua chegada ao mercado – a acontecer no início do próximo ano – mas já se discute as futuras versões do modelo.

Entre outros rumores, fala-se de uma versão descapotável e de um A110 mais potente. Este último rumor é o motivo da nossa atenção.

2017 Alpine A110 em Genebra

Como sabemos, o A110 está equipado com um novo motor 1.8 litros turbo de 252 cv. Nos dias que correm estes números parecem já não impressionar ninguém – já são comuns desportivos de tração dianteira com 300 cv ou até mais. Só que o desportivo francês casa esta “modesta” potência com um peso muito baixo. Apenas 1080 kg (com nível de equipamento base) é quanto pesa o A110, 255 kg a menos que um Porsche 718 Cayman em termos comparativos.

Apesar de ter menos 50 cv que o Porsche, o baixo peso nivela os dois rivais, e permite ao Alpine rivalizar com o modelo de Estugarda. Na realidade, nos 0-100 km/h o pequeno A110 está até mais próximo dos valores do 718 Cayman S com 350 cv. Só que para os amantes dos desportivos, mais potência é sempre bem vinda.

Possível aliança entre a Alpine e a AMG

O rumor do lançamento de um A110 mais potente já era expectável. Mas este rumor veio acompanhado por três letras mágicas: AMG. Possibilidade descabida? Nem por isso.

Importa recordar que já existe uma parceria entre a Aliança Renault-Nissan e a Daimler AG (que integra a Mercedes-Benz e a AMG). Esta parceria já permitiu o desenvolvimento de diversos produtos como o Smart Fortwo/Renault Twingo e uma gama de veículos comerciais. Mas a parceria não se ficou por aqui: não podemos esquecer a partilha de motores e até a partilha de procedimentos de produção (controlo de qualidade nas linhas de montagem) entre as duas marcas.

Foi a Auto Moto que avançou com a possibilidade do envolvimento da AMG. Segundo a publicação francesa, o motor 1.8 do A110 poderá ver a sua potência aumentar para os 325 cv, graças aos préstimos da casa de Affalterbach. Números capazes de elevar ou superiorizar o patamar de performance do A110 face ao 718 Cayman S.

E a Renault Sport não tem competências para tal?

Como referimos, para já, esta aliança Alpine/AMG não passa de um rumor. Além do mais, ninguém duvida do savoir-faire da Renault Sport e da Alpine.

Este novo motor 1.8 do Alpine A110 deverá ser também o motor do futuro Renault Mégane RS. E olhando para a concorrência do futuro hot-hatch, 300 cavalos parece ser a bitola mínima para discutir a supremacia do segmento – não esperamos menos que isso do Mégane RS.

2017 Alpine A110 em Genebra

Logo, o motor 1.8 terá de produzir, pelo menos, mais cinco dezenas de cavalos para atingir esse fim. Missão perfeitamente ao alcance da Renault Sport. A entrada da AMG na equação parece-nos, portanto, despropositada. Ainda que a AMG não seja estranha à conceção, construção e fornecimento de motores a outras marcas, bem pelo contrário.

Além dos Mercedes-AMG, a marca também é responsável pelos motores da Pagani e começará brevemente a fornecer motores à Aston Martin – se quisermos recuar um pouco mais no tempo, podemos incluir na lista a Mitsubishi. Não acreditas? Vê aqui.

RELACIONADO: Um SUV. Também tu Alpine?

A própria AMG já tem no seu portefólio um motor 2.0 litros turbo com 381 cv, que equipa o A 45. Porque não recorrer a essa unidade para colocar na traseira do A110? Só nos ocorrem questões relativas ao packaging ou incompatibilidades com a transmissão do A110 para tornar inviável esta opção.

2015 Mercedes-AMG A 45 motor

Não que nos queixemos do envolvimento da AMG – certamente o motor do A110 ficará em boas mãos. Mas não deixa de ser um rumor pouco provável.

Além do mais, o Alpine A110 é um desportivo francês. Algo que tem sido evidenciado várias vezes pelos seus responsáveis. Pelo que envolver a reputada empresa alemã na equação faz-nos franzir os sobrolhos. A data avançada para a chegada do A110 mais potente é 2019.

Mais artigos em Notícias