Mazda diz “não” ao RX-9. Estes são os motivos.

Más noticias para quem suspirava pelo regresso de um Mazda com motor rotativo. Neste momento, o sucessor do RX-8 está longe de ser uma prioridade para a marca nipónica.

Parece que o futuro Mazda RX-9 está cada vez mais longe de se tornar realidade. Ao contrário do que se previa, o desportivo nipónico com motor rotativo Skyactiv-R de 1.6 litros poderá já não chegar ao mercado em 2020, data em que a marca nipónica celebra o seu centenário.

A NÃO PERDER: A nossa entrevista ao pai do Mazda RX-8, Ikuo Maeda.

Em entrevista à Automotive News, o CEO da Mazda, Masamichi Kogai, garantiu que para já a prioridade é o cumprimento das regulamentações de emissões e a eficiência nos consumos, deixando de parte o desenvolvimento de um desportivo acima do Miata:

“Considerando os regulamentos como o mandato dos veículos com emissões zero, a eletrificação é uma tecnologia que precisamos introduzir no futuro próximo. Penso que como opção para um desportivo, o Mazda MX-5 1.5 ou 2.0 litros, com a sua potência e aceleração, acaba por ser uma experiência mais estimulante”.

AUTOPÉDIA: “The King of Spin”: a história dos motores Wankel na Mazda

Embora não esteja completamente fora de questão, o futuro desportivo com motor rotativo tão cedo não chegará às linhas de produção da marca em Hiroshima. “Se voltássemos a produzir um motor rotativo teríamos de ter a certeza de que era um motor para o longo prazo”, afirma Masamichi Kogai.

Mazda RX-Vision Concept (1)

Fonte: Automotive News Imagem: Mazda RX-Vision Concept

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Mais artigos em Notícias