À boleia do novo Porsche Panamera

A Porsche levou-nos até à Alemanha para conhecermos (ainda mais) de perto o novo Porsche Panamera. Desta vez tínhamos pela frente uma boleia no Lausitzring e uma série de workshops. Depois do que vimos e ouvimos, mal podemos esperar para lhe por as mãos em cima.

Em Lausitzring, Alemanha

Já lá vão mais de 7 anos desde que em maio de 2009 a produção do Porsche Panamera arrancou na fábrica de Leipzig, ao lado do Porsche Cayenne. Dois colossos da marca de Estugarda (em tamanho e vendas), que representam a união de três valores cada vez mais importantes para a Porsche: luxo, versatilidade e…vendas. São atributos de simbiose muitas vezes difícil, principalmente quando se trata de um automóvel que tem de ser extremamente eficaz no limite e garantir, ao mesmo tempo, o conforto de uma berlina de luxo.

“Só há uma coisa que podem encontrar neste novo Porsche Panamera e que não mudamos em relação ao modelo anterior: o símbolo.” Isto promete, pensei.

Com o lançamento do novo Porsche Panamera a Porsche abre um novo ciclo na sua história: a marca de Estugarda está agora na dianteira do segmento das berlinas dentro do grupo Volkswagen. A nova plataforma do Porsche Panamera (MSB) é a última “bolacha do pacote” desenvolvida pelo Grupo – uma plataforma que serve modelos de tração traseira ou integral e permite versões plug-in híbridas. E sim, o novo Porsche Panamera vai ter tudo isso e também uma versão shooting brake e uma versão longa (long-wheelbase), como já vos tínhamos revelado aqui.

Este novo modelo quebra, segundo a Porsche, a “regra de ouro” da indústria automóvel: nunca lançar um novo modelo, com novos motores, nova plataforma e construído numa nova fábrica. Segundo os entendidos, há uma série de coisas que podem correr mal quando juntamos tanta novidade – é um cocktail potencialmente explosivo.

porsche-panamera-2017-1-3

Depois da revelação mundial, desta vez saltamos para o lugar do “pendura” do Panamera Turbo e percorremos o Lausitzring a fundo, confortavelmente sentados. Condição que rapidamente nos passou ao lado quando temos 550 cv e quase 2 toneladas de peso a “despistarem-se” para as curvas. Mas antes disso, vamos levar-vos a uma volta da praxe com todas as novidades desta nova proposta da marca de Estugarda.

Conceito

Precisamos mesmo de uma berlina desportiva com 4 portas e 4 lugares, vulgo coupé de quatro portas? Claro que sim. E desenganem-se aqueles que acham que a palavra “desportiva” não deveria entrar aqui. Provavelmente ficarão mais entusiasmados ao volante do novo Porsche Panamera do que de muitos outros desportivos, e não se esqueçam que o vosso escriba ainda não o conduziu, só andou “ao lado” e “de lado” (e no banco de trás também…vá lá).

VEJAM TAMBÉM: Todos os detalhes do novo Porsche Panamera 4 E-Hybrid

Primeiro, o cenário. Não estamos perante um automóvel pequeno. A versão “curta” (lembram-se que vai existir uma longa?) mede 5049 mm de comprimento (34 mm maior do que a geração anterior), tem 1937 mm de largura (6 mm mais larga) e 1423 mm de altura (5 mm mais alta). Apesar de ter crescido em todos os sentidos, visualmente é baixo e “atlético”.

porsche-panamera-2017-1-2

É claro que este crescimento ajudou a tornar o interior ainda mais espaçoso e o espaço para a mala é generoso: 495 litros e até 1304 litros com os bancos traseiros rebatidos. A distância entre eixos também é maior (cresceu 30 mm para 2950 mm).

Como nos disseram logo que iniciámos o dia: “Só há uma coisa que podem encontrar neste novo Porsche Panamera e que não mudamos em relação ao anterior modelo: o símbolo.” Isto promete, pensei.

Motorizações e transmissão

O novo Porsche Panamera foi lançado para o mercado com três versões disponíveis (Panamera 4S, Panamera 4S Diesel e Panamera Turbo). As características comuns a todas as versões são a tração integral e a caixa de dupla embraiagem com 8 velocidades (PDK). Como seria de esperar, a potência destes motores permite prestações avassaladoras e impressionantes para uma berlina.

porsche-panamera-2017-1-7

Nos Panamera 4S e 4S Diesel as prestações não conseguem ser tão avassaladoras como no “Todo Poderoso” Turbo, mas já servem os interesses de um estômago que procura sessões de esmagamento.

Panamera 4S com novo motor V6 twin-turbo de 2.9 litros

São 440 cv de potência às 5.650 rpm (mais 20 cv do que o seu antecessor) e menos 11% de consumo de combustível. Bastante linear, este bloco produz 550 Nm de binário desde as 1.750 rpm até às 5.500 rpm. É claro que estes números traduzem-se em prestações de referência: 4.4 segundos dos 0-100 km/h (4.2 segundos com o Pack Sport Chrono) e a velocidade máxima é de 289 km/h. Já o consumo médio anunciado é de 8.1 l/100 km. Pensem assim: é tão rápido dos 0-100 km/h como o novo Porsche 911 Carrera 4S (991.2) sem o pack Sport Chrono.

A berlina Diesel mais rápida do mundo

Se heresia é a palavra certa para descrever o momento em que as palavras Diesel e Porsche se unem, por outro lado, este “grande pecado” tinha de ser feito “à grande e à Porsche”. Para o Porsche Panamera 4S Diesel a marca de Estugarda disponibiliza um novo motor V8 twin-turbo de 4 litros, o Diesel mais potente de sempre colocado num Porsche.

Capaz de produzir 422 cv entre as 3.500 e as 5.000 rpm, conta com um binário avassalador de 850 Nm disponível totalmente logo às 1.000 rpm. A velocidade máxima é de 285 km/h e o sprint dos 0-100 km/h cumpre-se em 4.5 segundos (4.3 com o pack Sport Chrono). Esta é, atualmente, a berlina Diesel mais rápida do planeta.

Novo motor V8 twin-turbo a gasolina

O novo Porsche Panamera Turbo é (para já…) a versão mais potente da gama. O motor V8 twin-turbo com 3,996 cc, 550 cv e 770 Nm de binário máximo desta versão é capaz de cumprir o sprint dos 0 aos 100 km/h nuns escassos 3.8 segundos, e após 13 segundos flat out, o ponteiro já está nos 200 km/h. A velocidade máxima é de 306 km/h. Impressionante? Com o Pack Sport Chrono vemos estes números descer para os 3.6 seg e 12.7 segundos.

RELACIONADO: Novo V6 do Porsche Panamera poderá equipar o Audi R8

porsche-panamera-2017-1-5

Se por um lado a Porsche procurou no Panamera Turbo materializar todo o seu ideal de como satisfazer um verdadeiro petrolhead, por outro também se preocupou em colocar a inovação ao serviço do ambiente. Este novíssimo motor V8 twin-turbo apresenta um consumo médio (anunciado) de 9.3 litros aos 100 km e consegue-o recorrendo a um novo sistema de desativação de cilindros, sendo capaz de passar uma grande parte do tempo a circular apenas com 4 cilindros em funcionamento (dependendo, claro, das solicitações do pé direito). Este sistema está disponível entre as 950 e as 3500 rpm e até aos 250 Nm de binário.

Estreia mundial: PDK de 8 velocidades

O Porsche Panamera estreia a nova caixa PDK (Porsche DoppelKupplung) de 8 velocidades. Esta caixa de dupla embraiagem pode ser utilizada por modelos com tração traseira ou tração integral e também com um modelo híbrido. Todos os “Panameras” atingem a velocidade máxima à 6ª velocidade, servindo as ultimas duas velocidades apenas para a redução do consumo de combustível e para aumentar o conforto (acústico) ao volante (overdrive).

porsche-panamera-2017-1-6

Chassis e Carroçaria

Para dar uso a toda a potência disponível de forma eficaz, a Porsche dotou o novo Panamera com um eixo traseiro direcionável. Com este sistema as rodas traseiras giram no sentido contrário às da frente até aos 50 km/h, provocando uma sensação de redução da distância entre eixos, resultando num ganho significativo de agilidade e facilitando a realização de manobras a baixa velocidade. Já acima dos 50 km/h o efeito é contrário, com as rodas traseiras a acompanharem as dianteiras. Aqui a distância entre eixos parece que aumenta, traduzindo-se em ganhos significativos na estabilidade a alta velocidade.

porsche-panamera-turbo-world-premiere-8

Mas a cereja no topo do bolo é o 4D Chassis Control, o “cérebro” que interliga os componentes mecânicos ativos e o software do Panamera. Este sistema lê dados em 3 eixos (aceleração longitudinal, transversal e vertical) e conforme os valores obtidos afina os componentes do Panamera para a máxima eficiência. Assim que começamos a abordar uma curva, este sistema vai obrigar, por exemplo, o sistema de controlo ativo da suspensão (PASM) a trabalhar em conjunto com o eixo traseiro direcionável, suspensão adaptativa, sistema de vetorização de binário (PTV Plus) e com a direção eletromecânica, para otimizar ao máximo a performance naquele instante.

A NÃO PERDER: O Porsche 989 foi o Panamera que a Porsche nunca produziu

O novo Porsche Panamera utiliza a plataforma modular MSB (Modular Standard Drive Train Platform), desenvolvida pela Porsche para o Grupo Volkswagen. No caso do Porsche Panamera, a plataforma, constituída por 3 módulos (frontal, central e traseiro), é produzida recorrendo a materiais leves, num verdadeiro cocktail de aço, alumínio e plástico de alta tecnologia.

Sport Chrono e Sport Response Button

A Porsche não quis deixar os créditos de uma boa dose de emoção em mãos alheias e dotou o Porsche Panamera de Launch Control e quatro tipos de modos condução: Normal, Sport, Sport Plus e Individual. A acrescentar a isto há ainda o Sport Response Button (a.k.a “botão bazófia”), um botão no volante multi-funções que, uma vez pressionado, coloca o Porsche Panamera em modo full-attack durante 20 segundos.

No interior, um escritório em movimento

À excepção do conta rotações colocado ao centro do quadrante, tudo é digital. A Porsche chamou-lhe “Porsche Advanced Cockpit”, um trabalho de digitalização do cockpit inaugurado pelo Porsche 918 Spyder e que neste modelo conhece uma nova fase do seu desenvolvimento. Ao centro do cockpit está um ecrã de 12.3 polegadas, equipado com a versão mais recente do Porsche Communication Management (PCM), cuja apresentação é totalmente configurável.

porsche-panamera-2017-1-4

De série o novo Porsche Panamera oferece informações de trânsito em tempo real, Google Earth e Google Street View, integração do smartphone através de Apple Car Play, Wi-Fi, leitor de cartão SIM 4G e ligação do smartphone à antena dedicada do carro. Para além disto, através do Connect Plus é possível obter informação sobre preços dos combustíveis, ditar SMS, aceder ao Twitter, horários de comboios e aviões, meteorologia, notícias, etc.

Na consola central os botões são sensíveis ao toque e a orientação/abertura das saídas da ventilação são operadas digitalmente, tudo isto porque pressionar botões é demasiado mainstream. No banco de trás somos brindados com uma segunda consola que permite, por intermédio de um ecrã de 7 polegadas de alta resolução e de botões sensíveis ao toque, controlar a climatização, obter informações sobre o percurso, entre outras comodidades.

A tecnologia ao serviço da condução

Para além do cockpit mais avançado do que o computador lá de casa, o Porsche Panamera está equipado com luzes LED de série e LED Matrix como opcional, estas últimas completamente novas e de série no Porsche Panamera Turbo. Podemos contar também com um assistente de Visão Noturna e o Porsche InnoDrive com cruise control adaptativo, uma espécie de vidente que prevê o que temos pela frente (sem necessitar de ler as cartas). Conjugando os dados que retira do sistema de navegação, o sistema calcula a aceleração e travagem ideal com três quilómetros de antecedência, informando o motor, a caixa e o sistema de travagem.

porsche-panamera-turbo-world-premiere-1

Como não poderia deixar de ser o Porsche Panamera ainda vem equipado com Lane-change e Lane Departure Assistant, capazes de detetar as marcas da via até aos 250 km/h.

A bordo do novo Porsche Panamera Turbo no Lausitzring

“Agora vamos começar com um Launch Control, seguido de uma volta rápida.” revelou o piloto. Confesso que tentei filmar o arranque, mas os 3.6 segundos que o Turbo necessita para chegar aos 100 km/h tornaram a tarefa ingrata mesmo para um interessado como eu. No final da reta da meta, já o ponteiro se aproximava dos 230 km/h quando reparo que o nosso “motorista” confirma se o seu cinto está bem preso, e depois desse gesto, não demorou um segundo até travar a fundo para os 100 km/h e “atirar” o Porsche Panamera Turbo para uma esquerda que nem percebi de onde veio.

RELACIONADO: E se o Porsche Panamera fosse comercializado em versão pick-up?

Provocado, o Porsche Panamera Turbo mostra-nos que apesar da tração integral, a sua distribuição pelos eixos permite umas valentes atravessadelas no modo Sport Plus. Apesar de ter objetivos claros de proporcionar um grande conforto na utilização e de o conseguir fazer, conseguimos também ouvir o V8 a borbulhar e a pedir mais esmagadelas no pedal direito. Foi um excelente dia e agora só falta a chave na mão em território nacional, algo que esperamos ter muito em breve para um ensaio completo.

porsche-panamera-turbo-world-premiere-18

O novo Porsche Panamera Turbo já está à venda (e esgotado) em Portugal. Os preços do Porsche Panamera em Portugal iniciam-se nos 115.347 euros para o Porsche Panamera E-Hybrid e nos 134.644 euros para o Porsche Panamera 4S. A versão mais potente a gasolina, o Porsche Panamera Turbo, chega com um preço de tabela de 188.001 euros. Na oferta Diesel encontramos o Porsche Panamera 4S Diesel, disponível desde 154.312 euros.

Mais artigos em Testes, Primeiro Contacto