Todos os detalhes do primeiro acidente mortal com um carro autónomo

O Tesla Model S foi o primeiro carro da «nova era» do automóvel envolvido num acidente mortal.

Apesar do drástico acidente ter ocorrido no passado dia 7 de maio de 2016, numa auto-estrada na Florida, EUA, o incidente veio a público através da prórpria construtora Tesla. A NHTSA, entidade responsável pela segurança rodoviária nos EUA, está em investigação para determinar, com clareza, as causas do acidente.

Segundo a Tesla, o sistema de piloto automático não detetou o camião devido à reflexão do sol e, por conseguinte, não ativou a travagem de segurança. O condutor também não acionou os travões do carro.

RELACIONADO: Sabias que afinal o Tesla Model S… flutua?

Após embater violentamente com a zona do pára-brisas no camião, o Tesla Model S entrou em despiste e acabou por embater num poste de eletricidade, provocando morte imediata a Joshua Brown, um antigo SEAL (força especial da Marinha dos EUA). A fabricante diz que o drástico embate aconteceu em “circunstâncias extremamente raras”, visto que a traseira do camião embateu no pára-brisas do automóvel. Se, por ventura, o embate tivesse sido na frente ou na traseira do Tesla Model S, o “o sistema de segurança teria, provavelmente, prevenido danos graves, como tem acontecido em numerosos outros acidentes”.

Contrariamente ao que o condutor do camião afirmou, Brown não estava a assistir a um filme quando ocorreu um acidente. Elon Musk (CEO da Tesla) desmentiu a acusação, alegando que nenhum modelo produzido pela Tesla tem essa possibilidade. Após um breve investigação, concluiu-se que o falecido condutor estava a ouvir um audiobook.

A NÃO PERDER: Preço do seguro automóvel deverá cair mais de 60% com os carros autónomos

Ativada esta função de piloto automático, o sistema avisa que o condutor deverá manter as mãos no volante e que não pode, em qualquer circunstância, “tirar os olhos da estrada”. Elon Musk, perante o sucedido, partilhou uma mensagem de condolências pelo acidente através do Twitter, onde partilhou o comunicado a defender a sua marca de carros.

Em tempos, Joshua Brown já tinha publicado um vídeo onde evita a colisão com um camião branco, e colocou o vídeo no seu canal de Youtube. Joshua Brown era um grande defensor desta tecnologia, por infortúnio, acabou sendo vitimado por ela.

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Mais artigos em Notícias